Fundação Cidade das Artes

Memoria

Memória

A Fundação Cidade das Artes é um espaço concebido para abrigar múltiplas atividades artísticas, como exposições, apresentações de dança, teatro e música. Este complexo cultural também é utilizado para palestras, oficinas, congressos, conversas com autores, lançamentos de livros e outras atividades de formação cultural e artística.

Os eventos que ocorrem neste espaço são filmados e fotografados para que todos os interessados possam ter acesso, através deste site, ao histórico de programação da Cidade das Artes e os programas das peças podem ser pesquisados na Sala de Leitura, local onde serão preservados todos os materiais impressos relacionados à programação.

Eventos Passados

1 V Semana Internacional de Música de Câmara 21/06 a 27/06 Música FESTIVAL COMPLETA CINCO ANOS E DESTACA O ECLETISMO DA MÚSICA DE CÂMARA   Quarteto de cordas Enso, de Nova Iorque, é a atração principal de evento aqui na Cidade das Artes    Criada pela pianista Simone Leitão com o objetivo de alargar os domínios da prática da música de câmara, a  Semana Internacional de Música de Câmara do Rio de Janeiro - único festival da categoria no Brasil – apresenta sua quinta edição entre os dias 21 e 26 de junho, com uma série de concertos na Cidade das Artes, e dia 28 de junho, a noite de encerramento na Sala Cecília Meireles.   Também conhecido como Rio Music Week, este ano o programa privilegia o ecletismo estilístico e cultural da música de câmara, através da variedade de nacionalidades entre os músicos. Entre eles, cubanos, norte-americanos, um russo, um português, e brasileiros de vários estados.   O repertório focaliza desde Bach até Shostakovich. Revisita os fundamentais Haydn, Mozart e Brahms, e oferece a luz do século XX com obras de Vaughan Williams, Bartók e Ravel. Há momentos dedicados à música brasileira de concerto em canções de Carlos Gomes e Alberto Costa, obras orquestrais de Egberto Gismonti, peças de câmara de Villani-Cortes e do Mestre Heitor Villa-Lobos. Uma série de outros compositores também estão na programação, como os franceses Fauré, Chausson e Debussy, e contemporâneos portugueses. O festival celebra Anacleto de Medeiros e o compositor argentino Alberto Ginastera, que completariam 150 e 100 anos respectivamente.   Destaque para a individualidade artística de cada uma das noites, representada por grandes intérpretes, como a argentina Meredes Arcuri, o premiadíssimo Art Metal Quinteto, do Rio de Janeiro, o jovem violista russo Vladimir Babeshko, o destacado clarinetista português Nuno Pinto, o violoncelista Kayami Satomi, de João Pessoa, a soprano Angelica de La Riva e o pianista Orlando Alonso, ambos cubanos, o virtuose da harmônica José Staneck, e os duos Bretas-Kervokian, de piano e Sá, de percussão.   Um dos pontos altos desta quinta edição é o aclamado Quarteto de Cordas Enso, de Nova Iorque. Em sua primeira atuação no Brasil, o grupo irá apresentar três concertos exclusivos para o festival.   Simone Leitão, além de assinar a concepção e direção artística, também é solista no concerto de abertura e nos dias 24, 25 (20h) e 26 de junho.   O sonho de Simone em festejar a prática de música de câmara na Cidade do Rio de Janeiro, lançando luz e espaço que essa arte merece, é concretizado através do apoio da Cidade das Artes, do patrocínio do Banco Itaú, fomentado pela Lei Rouanet de Incentivo a Cultura, juntamente com a Braskem e Vivo, através da Lei de Incentivo à Cultura do Estado do Rio de Janeiro.     PROGRAMAÇÃO   TERÇA-FEIRA, 21 DE JUNHO, 21H   Notas do programa   O concerto de abertura da V Semana Internacional de Música de Câmara do Rio será uma celebração da música das Américas, em que se poderá experimentar a diversidade sonora do continente, desde a Argentina até os Estados Unidos, através do Brasil e de Cuba. As obras enfatizam a força rítmica e a beleza melódica que permeiam todas estas culturas musicais. Destaque para os clássicos choros do pioneiro compositor brasileiro Anacleto de Medeiros, que completa 150 anos de nascimento este ano, e para as “Canções Populares Argentinas”, de Alberto Ginastera, na voz do soprano Mercedes Arcuri, cujo centenário de nascimento vem sendo comemorado em todo o mundo.   Mercedes Arcuri, soprano (Argentina) Daniel Guedes, violino Simone Leitão, piano Art Metal Quinteto Jessé Sadoc e Wellington Moura, trompetes, Antonio Augusto, trompa, João Luiz Areias, trombone e Eliezer Rodrigues, tuba   Programa   CAMARGO GUARNIERI (1907-1993) Dança Brasileira (1941) 2:30´   HENRIQUE ALVES DE MESQUITA (1830-1906) Marquês de Pombal (1882) 4´   ANACLETO DE MEDEIROS (150 anos de nascimento, 1866 - 1907) Três estrelas (s.d.) 3:30´ Medrosa (s.d.) 2:30´   LEONARD BERNSTEIN (1918-1990) Medley de West Side Story (1957) 8´   ERNESTO LECUONA (1895-1963) (poesias de Juana de Ibarbourou) Canción del Amor Triste (1937) 3:40´ Balada de Amor (1937) 2:30   VILLA-LOBOS (1887-1959)   (poesias de Dora de Vasconcellos) Canção de Amor (1958) 4:30 Melodia Sentimental (1958) 3:30   VILLA-LOBOS (1887-1959) Sonata-Fantasia nº 1 para violino e piano, “Désespérance” 10´   ALBERTO GINASTERA (100 anos de nascimento, 1916-1983) Canções Populares Argentinas op 10 para voz e piano (1943) 10´ 1. Chacarera 2. Triste 3. Zamba 4. Arrorró 5. Gato   QUARTA-FEIRA, 22 DE JUNHO, 21H   Notas do programa   O segundo concerto traz a estreia brasileira do Quarteto Enso, de Nova Iorque. O grupo mostra neste aqui todo o seu potencial, iniciando a noite com uma obra clássica vienense, que define a formação em quarteto de cordas. Em colaboração com o soprano Mercedes Arcuri, e com a pianista brasileira Josiane Kervokian, oferecem a sonhadora obra do compositor francês Chausson, rarissimamente apresentada no Brasil. Entretanto, o destaque da noite é uma das mais audaciosas obras do homenageado Alberto Ginastera, o Quarteto nº 3 para cordas e soprano, em que a poesia em língua espanhola de Jimenes, Lorca e Alberti engrandecem a sonoridade vanguardista do Villa-Lobos argentino.   Mercedes Arcuri, soprano (Argentina) Josiane Kervokian, piano Quarteto Enso (EUA)   Programa   JOSEPH HAYDN (1732-1809) Quarteto de Cordas em Lá Maior op 20 nº5 Hob III:36 (1772) 25´ 1.         Allegro di molto e scherzando 2.         Adagio cantabile 3.         Menuetto: Allegretto 4.         Fuga a 3 soggetti: Allegro   ERNEST CHAUSSON (1855-1899) Chanson Perpétuelle, para soprano, piano e quarteto de cordas op. 37 (1898) 10´   ALBERTO GINASTERA (100 anos de nascimento, 1916-1983) Quarteto de Cordas nº 3 para soprano e cordas (1973) 25´   1.         Contemplativo ("La música", Juan Ramón Jiménez) 2.         Fantástico 3.         Amoroso ("Canción de Belisa", Federico García Lorca) 4.         Drammatico ("Morir al sol", Rafael Alberti) 5.         Di nuovo contemplativo ("Ocaso", Juan Ramón Jiménez)     QUINTA-FEIRA, 23 DE JUNHO, 21H   Notas do programa   A genialidade de Mozart se faz notar em todas formações, do piano à ópera, da orquestra à música de câmara. Seu Quinteto em Dó Maior, que dá início ao concerto desta noite, é um dos pilares de sua obra, e por contar com duas violas, nos oferece a oportunidade de ouvir o Quarteto Enso tendo como colaborador o jovem violista russo Vladimir Babeshko, estrela em ascensão no cenário europeu. A delicada Crisantemi, escrita por Puccini, mostra a faceta de camerista do gênio da ópera italiana. A noite se encerra com o belíssimo Quinteto para clarineta e cordas de Brahms, em que o Quarteto Enso encontra mais no incrível músico português Nuno Pinto, convidado exclusivo da Semana de Música de Câmara, o colaborador ideal para jogar luz sobre esta maravilhosa obra-prima do romantismo alemão.   Nuno Pinto, clarineta (Portugal) Vladimir Babeshko, viola (Rússia/Alemanha) Quarteto Enso (EUA)   Programa   MOZART (1756-1791) Quinteto para cordas em Dó maior KV 515 (1787) 35´ 1. Allegro 2. Menuetto: Allegretto 3. Andante 4. Allegro   GIACOMO PUCCINI (1858-1924) Crisantemi (1890) 6´   JOHANNES BRAHMS (1833-1897) Quinteto em Si menor para clarineta e cordas op. 115 (1891) 40´ 1. Allegro 2. Adagio. Piu lento 3. Andantino, Presto non assai,ma non sentimento 4. Con moto   SEXTA-FEIRA, 24 DE JUNHO, 21H   Notas do programa   O concerto desta noite oferece ao público duas obras de grande beleza e que raramente se ouvem. O Trio nº dois de Villa-Lobos, que conta com Simone Leitão ao piano, escrito há 100 anos, na primeira fase do compositor, mescla com maestria a sua já exuberante tropicalidade com o estilo francês da Belle Époque, o que lhe confere uma sonoridade inusitada. O programa se completa com o Quinteto em Dó menor, também obra da juventude do inglês Ralph Vaughan Williams, com forte influência do romantismo alemão, mas com uma sonoridade especial, fresca, tendo o cubano Orlando Alonso ao pianista. Além das obras, a colaboração de um elenco verdadeiramente internacional é destaque.   Bridget Dolkas, violino (EUA) Vladimir Babeshko, viola (Rússia/Alemanha) Lars Hoefs, violoncelo (EUA) Rodrigo Favaro, contrabaixo Orlando Alonso, piano (Cuba/EUA) Simone Leitão, piano   Programa   VILLA-LOBOS (1887-1959) 30´ Trio nº 2 para piano e cordas (1915) 1. Allegro moderato 2. Berceuse - Barcarolla 3. Scherzo: Allegro vivace spirituoso 4.  Molto allegro   RALPH VAUGHAN WILLIAMS (1872-1958) Quinteto para piano e cordas em Dó menor 26´ 1.  Allegro con fuoco 2.  Andante 3.  Fantasia, quasi variazioni   SÁBADO, 25 DE JUNHO, 16H   Notas do programa   Esta tarde apresenta uma programação bastante diferente, com um recital de piano e canto que é um verdadeiro passeio entre o Brasil, Cuba, Espanha e França, na voz do soprano Angelica de la Riva e nas mãos do pianista Orlando Alonso, ambos cubanos de experiência artística cosmopolita. São canções que nos remetem aos diversos universos sentimentais destes países, algumas delas raramente apresentadas por aqui. Completa o programa uma obra supresa, criada coletivamente durante o festival com alguns dos convidados e que será anunciada somente no dia.   Angelica de la Riva, soprano (Cuba/Brasil) Orlando Alonso, piano (Cuba/EUA) Artistas participantes da Semana de Música de Câmara   Programa   GABRIEL FAURÉ (1845-1924) 3´ Les Berceaux (1879)   ALBERTO COSTA (1834-1886) Canto da Saudade (s.d.) 4´   CARLOS GOMES (1836-1896) Suspiro d'alma (s.d.) 3´ Conselhos (s.d.) 2´ Mon Bonheur (s.d.) 3´   CLAUDE DEBUSSY (1862-1918) Trois Chanson de Bilitis (1894) 10´ 1. La Flûte de Pan 2. La Chevelure 3.  Le Tombeau des Naïades   ERNESTO LECUONA (1895-1963) Maria La O (1930) 3´   XAVIER MONTSALVATGE (1912-2012) Cuba dentro de un Piano (1945) 4´ Canto Negro (1945) 2´   ENRIQUE GRANADOS (1867-1916) “Tonadillas al estilo antiguo” H.36 (1912) (poema de Fernando Periquet) ¡Oh, muerte cruel!  2´   JOAQUIN TURINA (1882-1849) Poemas en forma de canciones, opus 19 nº5, Las Locas por Amor (1917) 1,30´   OBRA COLETIVAMENTE SELECIONADA E ENSAIADA DURANTE O FESTIVAL   SÁBADO, 25 DE JUNHO, 20H   Notas do programa   Noite de mais ecletismo musical, que se estende das íntimas sonoridades do duo de clarineta e piano, que privilegia compositores portugueses e brasileiros, e nos conduz à riqueza de timbres angulosos do Quarteto de Maurice Ravel, obra marcante do impressionismo francês. O concerto nos leva, em sua conclusão, até a experiência emocional quase à beira da histeria do fabuloso Quinteto com piano do russo Shostakovich. Destaque para a colaboração ao piano de Simone Leitão em estilos tão distintos.   Nuno Pinto, clarineta (Portugal) Simone Leitão, piano Quarteto Enso (EUA)     Programa   EDMUNDO VILLANI-CORTES (1930) Águas Claras (1990) 5´   MANUEL IVO CRUZ (1901-1985) Aguarelas nº 3, Canto de Luar (s.d.) 4´   TELMO MARQUES (1963) Waxed Floor (2010) 5´   MAURICE RAVEL (1875-1937) Quarteto de Cordas em Fá Maior (1903) 30´ 1. Allegro moderato – très doux 2. Assez vif – très rythmé 3. Très lent 4. Vif et agité   DMITRI SHOSTAKOVICH (1906-1975) Quinteto para piano e cordas em Sol menor op 57 (1940) 36´ 1. Prelude: Lento 2. Fugue: Adagio 3. Scherzo: Allegretto 4. Intermezzo: Lento 5. Finale: Allegretto   DOMINGO, 26 DE JUNHO, 18H   Notas do programa   O domingo é o dia da Academia Jovem Concertante e seu mergulho musical de riquezas de estilos e variedade de solistas. Sob a batuta de Daniel Guedes, o concerto se inicia com duas pérolas de Egberto Gismonti, compositor e instrumentista contemporâneo. Especialmente arranjadas pelo próprio compositor para a harmônica virtuose de José Staneck e orquestra de cordas, serão apresentadas pela primeira vez no Rio de Janeiro. Em seguida, a Academia recebe como solista a sua diretora artística Simone Leitão para o Concerto em Ré menor de Bach, uma das obras inaugurais para esta formação, mas que mantém uma invencível atualidade que atravessa três séculos. A noite se encerra com a maravilhosa Serenata em Dó Maior de Tchaikovsky, uma das mais delicadas composições do gênio russo e declaradamente inspirada em Mozart. Um desafio possível para um grupo jovem de grande potencial musical como a Academia Jovem Concertante.   José Staneck, harmônica Simone Leitão, piano Daniel Guedes, regente Academia Jovem Concertante   Programa   EGBERTO GISMONTI (1947) Memória e fado para harmônica e orquestra (1973/2008) 7´ Sonhos de Recife (1995/2008) 6´   BACH (1685-1750) Concerto em Ré menor BWV 1052 para piano e orquestra (1738,9) 22´ 1. Allegro 2. Adagio 3. Allegro   PIOTR YILICH TCHAIKOVSKY (1840-1993) Serenata para cordas em Dó Maior op. 48 (1880) 30´ 1. Pezzo in forma di sonatina: Andante non troppo — Allegro moderato 2. Valse: Moderato — Tempo di valse 3. Élégie: Larghetto elegiaco 4. Finale (Tema russo): Andante — Allegro con spirito [+] saiba mais 1 OSB - Série Esmeralda II 26/06 Música Neil Thomson, regência Federico Colli, piano     BEETHOVEN Sonata nº 22 em Fá maior, Op. 54 RACHMANINOV Concerto para piano nº 3 em ré menor, Op. 30 KODÁLY Danças de Marosszék NIELSEN Sinfonia nº 2, Op. 16 - “Os Quatro Humores”  [+] saiba mais 1 Hamilton Vaz Pereira - O Cão Comendo Mariola 04/06 a 25/06 Teatro O Cão Comendo Mariola - é uma oportunidade da Cidade do Rio de Janeiro entrar em contato com uma parte da obra dramatúrgica de Hamilton Vaz Pereira a partir da leitura de quatro textos escritos, que tornam-se realizações teatrais nos palcos do Rio e do Brasil nas últimas 4 décadas.   O público carioca está convidado a assistir nos sábados de junho a leitura de obras teatrais testadas nos nossos palcos e, que agora voltam a ser disponibilizadas para apreciação do espectador de hoje interessado nas artes cênicas.     PROGRAMAÇÃO   LEITURA I   | Sábado, 04 de junho TRATE-ME LEÃO, 1977 Leitores Luisa Arraes, George Sauma, Luana Martau, Igor Angelkorte, Renato Góes, Valentina Herszage, Cesar Cardadeiro, Luiza Casé e Daniel Passi   Em abril de 1977,depois de nove meses de dias extraordinários e noites esplendorosas,uma inédita dramaturgia se estabelece e a trupe teatral Asdrubal Trouxe o Trombone pôde nascer de si mesmo e anunciar a estreia do seu terceiro espetáculo. Fruto de Regina Casé,Luiz Fernando Guimarães,Perfeito Fortuna,Patricia Travassos,Evandro Mesquita, Nina de Pádua e Fábio Junqueira, TRATE-ME LEÃO, texto e direção de Hamilton Vaz Pereira, ganha o epíteto "Criação Coletiva".   LEITURA II  | Sábado, 11 de junho ATALIBA, A GATA SAFIRA , 1987 Leitores Karina Teles, Francisco Cuoco, Maria Padilha, Lena Brito, Fausto Fawcett, Simone Spoladore, Marcos Breda, Cris Larin, Ernesto Piccolo e Rodrigo Penna   No meio dos anos 80, Vaz PE & FAWCETT escrevem essa obra repleta de cenas, canções,cenários e personagen com seus propósitos de vida e esforços para realizá-los.   LEITURA III | Sábado, 18 de junho A LEVE - O PRÓXIMO NOME DA TERRA, 2002 Leitores Eriberto Leão, Armando Babaiof, Lena Brito, Álamo Facó, Natália Lage e Karine Teles   A Leve - O Próximo Nome da Terra estreia no Rio de janeiro, em maio de 2004. Coloca sobre o palco um pedaço da vida de um pequeno grupo de brasileiros em terras estrangeiras; observa, através de uma série de acontecimentos vividos por seus personagens, um Brasil conectado com o mundo.   LEITURA IV  | Sábado, 25 de junho NARDJA ZULPÉRIO, 1991 Leitora Regina Casé   No inverno de 1988, Regina Casé convida Hamilton Vaz Pereira para inventar para ela um solo teatral. Durante dois meses os dois misturaram em seus caldeirões cenas,cenários,personagens,palavras,sons e luzes. A realização desse espetáculo celebra o reencontro artístico desses parceiros numa primeira produção pós- ASDRUBAL TROUXE O TROMBONE.   CONCEPÇÃO, DIREÇÃO E APRESENTAÇÃO - HAMILTON VAZ PEREIRA TRILHA AO VIVO  -  EXÉRCITO DE BEBÊS   [+] saiba mais 1 Ludi na Floresta da Tijuca | Lançamento do Livro 25/06 Arte e Educação Ludi na Floresta da Tijuca | Lançamento do Livro    A autora e ilustradora Luciana Sandroni vai lançar o livro "Ludi na Floresta da Tijuca", uma aventura com direito a viagens no tempo e mergulhos históricos. O livro é protagonizado pela família Manso, dos livros "Ludi na TV", "Ludi e os fantasmas da Biblioteca Nacional", "Ludi vai à praia", "Ludi na Revolta da Vacina" e "Ludi na chegada e no bota-fora da Família Real". [+] saiba mais 1 CineArtes - Wall-e 19/06 Cinema A animação acompanha as aventuras do último robô que restou na Terra, encarregado de limpar o planeta, a partir da chegada do robô Eve. Os dois precisam avisar aos humanos que passaram a viver em uma estação espacial que ainda é possível haver vida na Terra. [+] saiba mais 1 Oficina dos Inventores - Força do Vento 18/06 Arte e Educação Oficina dos Inventores - Força do Vento | Vanessa Miranda    A oficina dos Inventores convida crianças a fabricar artefatos que se movem com o vento, ouvir histórias e interagir com as instalações, com o objetivo de incentivar a curiosidade e a vontade de investigar o mundo. O encontro é ministrado pela fundadora do grupo, a psicóloga Vanessa Miranda.    Inscrições pelo e-mail saladeleitura@cidadedasartes.org ou pelo telefone 3325 0448 ( de terça a domingo, das 10h às 18h) Limite de vagas: 40 [+] saiba mais 1 Mobilidade Sonora 15/06 Música Mobilidade Sonora é um projeto sócio cultural, que tem por objetivo mobilizar plateias, contribuir para a formação de jovens profissionais, preservar a memória da música brasileira e internacional através de incentivos que possibilitem o surgimento de novos talentos.   Realizado com sucesso desde 2011, o projeto Mobilidade Sonora expande a música através de concertos gratuitos abertos em praças públicas e teatros populares e outros concertos didáticos voltados para jovens alunos da rede pública de ensino. Esses jovens são transportados para grandes teatros onde participam de um bate-papo musical que promove a troca de saberes entres os jovens músicos e maestros de projetos sociais diversos. Em 5 edições o projeto já envolveu aproximadamente 35.000 (trinta e cinco mil) jovens em seus concertos didáticos, 560 mil (quinhentos e sessenta mil) pessoas em seus concertos abertos e mais de 3 milhões de pessoas nas mídias digitais.   ESSE ANO AS ORQUESTRAS FARÃO SUA JUSTA HOMENAGEM AOS JOGOS OLÍMPICOS REALIZADO NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO INCLUINDO EM SEU REPERTÓRIO CANÇÕES OU TRILHAS ESPORTIVAS. Esta iniciativa foi concebida pela Fetranspor por meio do Programa Fetranspor Social. [+] saiba mais 1 Sura Berditchevsky - Cartas de Maria Julieta e Carlos Drummond de Andrade 11/06 a 12/06 Teatro "Cartas de Julieta e Carlos Drummond de Andrade"  - Um emocionante monólogo com a atriz Sura Berditchevsky   A peça retrata, através das correspondências entre pai e filha, a relação de Maria Julieta e seu pai Carlos Drummond de Andrade. Desde que Maria Julieta tinha cinco anos de idade, pai e filha iniciaram uma profunda e intensa cumplicidade com a troca de cartas. "Julieta e Drummond estabeleceram uma relação de amor, respeito, ética, companheirismo, afinidade intelectual através da literatura”.. Sura dá neste espetáculo um especial destaque à família e à fortíssima relação entre pai e filha. "Família é intimidade. Eles são elegantes na relação, no afeto. Essa intimidade está refletida nas correspondências”, observa Sura.    Duração do espetáculo 60'   Ficha Técnica   Concepção Sura Berditchevsky Direção e Interpretação Sura Berditchevsky Codireção Luis Fernando Philbert Pesquisa de correspondência e idealização do projeto Pedro Drummond, Sura Berditchevsky Direção de arte Bia Junqueira Figurino Wagner Marquette Iluminação Paulo Cesar Medeiros Trilha Alexandre Elias Animação gráfica Renato e Ricardo Vilarouca Pesquisa iconográfica Lucia Cerrone Preparação vocal Rose Gonçalves Programação visual PVDI Preparação corporal Jean Marie Dubrul Produção Lilian Bertin, Celso Lemos M/12                     [+] saiba mais 1 CineArtes - O Sal da Terra 12/06 Cinema O filme conta um pouco da longa trajetória do renomado fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado e apresenta seu ambicioso projeto “Gênesis”, expedição que tem como objetivo registrar, a partir de imagens, civilizações e regiões do planeta até então inexploradas. [+] saiba mais 1 OSB - Concertos da Juventude 11/06 Música Ingressos a R$ 1,00 uma hora antes na bilheteria da Cidade das Artes.   CLAUDE BOLLING Suíte para Violoncelo e Trio de Jazz Movimentos: Baroque in Rhythm, Concertante, Galop, Ballade, Romantique, Cello Fan   Violoncelo Paulo Santoro Contrabaixo Alexandre Brasil Bateria Andre Frias Piano Tamara Ujakova [+] saiba mais 1 Bia Hetzel - Por onde andam as baleias e os golfinhos? - Oficina Mariana Massarani 11/06 Arte e Educação Bia Hetzel - Por onde andam as baleias e os golfinhos? - Oficina Mariana Massarani   A pesquisadora Bia Hetzel, participante do projeto Ilhas do Rio, mostrará imagens das baleias e filhotes que estão vivendo nas águas do Rio de Janeiro. Em seguida, a premiada ilustradora e escritora Mariana Massarani falará um pouco do universo da ilustração e confeccionará um painel com as crianças.   [+] saiba mais 1 Inusitado | Villa-Lobos Ontem e Hoje 07/06 a 08/06 Música INUSITADO | VILLA-LOBOS ONTEM E HOJE   Mais uma vez à frente da curadoria, André Midani reforça o caráter de experimentação do Inusitado, cujo objetivo é deixar os artistas completamente livres para executar suas ideias. “A liberdade criativa e rebelde de cada artista deve ser incentivada. Se ele quiser pintar em vez de cantar, que pinte como um pintor. Ou então, que cante e faça, no transcurso de duas noites, o que ele sempre quis fazer e nunca fez, seja um número de circo, de magia ou um recital de poesia”, comemora Midani, que criou o formato após receber um convite de Emilio Kalil, presidente da Fundação Cidade das Artes, para desenvolver um projeto especialmente para o espaço cultural da Barra   VILLA-LOBOS ONTEM E HOJE   Dado Villa-Lobos (guitarra) ao lado de Cristina Braga (harpa) que toca um dos instrumentos preferidos de Heitor, eles desafiam, a pedido de André Midani, o melhor do tempo e dos dois mundos, o do clássico e o do rock.                                      Composições e músicas gravadas por Dado; prelúdios, bachianas e canções de Heitor. O que é ontem, o que é hoje?   Quem toca o quê? Uma harpa, instrumento milenário, entra no rock, e uma guitarra tange com suas cordas elétricas sons eruditos.   Isto é Inusitado!   Acompanhados ora de quarteto de cordas, ora do contrabaixo de Ricardo Medeiros e da bateria de Joca Moraes, o espetáculo conta ainda com a participação de um jovem de 16 anos - Miguel Braga, que personifica o jovem Heitor Villa-Lobos, com um cello nas mãos.   Dado Villa-Lobos - Guitarra e Voz e Cristina Braga - Harpa e Voz Miguel Braga - Violoncelo Ricardo Medeiros - Contrabaixo Joca Moraes - Bateria de Alfaia   Quarteto de Cordas   Ana de Oliveira - 1º Violino Dhyan Lucas Toffolo - 2º Violino Fernando Thebaldi - Viola David Chew - Violoncelo  [+] saiba mais 1 Jean-Guihen Queyras 06/06 Música PROGRAMA   JOHANN SEBASTIAN BACH   Suite n°1 para violoncelo solo Suite n°3 para violoncelo solo   Intervalo   Suite n°6 para violoncelo solo   JEAN-GUIHEN QUEYRAS - Técnica e sensibilidade  A precisão e a sensibilidade são as mais enaltecidas qualidades do violoncelista Jean-Guihen Queyras. Jean-Guihen Queyras goza de uma reputação invejável como um músico de versatilidade e integridade excepcionais. Seus horizontes musicais são aparentemente sem limites e ele está presente no cenário musical, tanto como solista com orquestras e maestros internacionais, como músico de câmara e artista solo. Ele já se apresentou com grandes orquestras do mundo, incluindo a Philharmonia, Orchestre de Paris, NHK Symphony, Tokyo Symphony, a Filarmónica de Roterdam, Tonhalle de Zurique, Leipzig Gewandhaus, Budapest Festival Orchestra, Orchestre de la Suisse-Romande e Holanda Philharmonic sob a batuta de maestros como Franz Brüggen, Günther Herbig, Ivan Fischer, Philippe Herreweghe, Yannick Nézet-Séguin, Jiri Belohlavek, Olivier Knussen e Sir Roger Norrington.    Jean-Guihen fez a sua estreia no Carnegie Hall, em Nova York, com o Concerto Köln, em Março de 2004. Jean-Guihen é um expoente entusiasta da música contemporânea e está empenhado em expandir os limites de repertório do seu instrumento.  Ele estreou o concerto de Michael Jarrel, bem como concerto de Johannes-Maria Staud, que estreou na Berlin Konzerthaus e o Musikverein Wien em 2010 e, posteriormente, realizado no Festival de Salzburgo.   Jean-Guihen fez várias gravações de sucesso, a exemplo das Suites solo de Bach em 2008, pelo qual recebeu o reconhecimento imediato, premiado com o Diapason d'Or e CD do Ano em Diapason, CHOC du Monde de la Musique, além das nomeações como Solista do Ano no Victoires de la Musique e artista do Ano dos leitores de Diapason em 2009, quando lançou mais três gravações; um CD Debussy-Poulenc com o pianista Alexandre Tharaud, Cello Concertos do século 21 e, mais recentemente, Vivaldi Cello Concerti com Akademie für Alte Musik Berlin. CDs anteriores incluem de Schubert 'Arpeggione' ao lado de obras de Berg e Webern, Concerto para Violoncelo de Dvorák com a Filarmônica de Praga sob a batuta de Jiri Belohlavek. Jean-Guihen toca um violoncelo feito por Gioffredo Cappa em 1696.     BAIXE O APP CIDADE DAS ARTES E PARTICIPE DAS SUPERPROMOS EXCLUSIVAS! [+] saiba mais 1 CineArtes - Lixo Extraordinário 05/06 Cinema O documentário filmado ao longo de três anos acompanha visitas do artista plástico Vik Muniz ao Jardim Gramacho, na prefeitura do Rio de Janeiro, um dos maiores aterros sanitários do mundo. O objetivo inicial de Muniz era criar obras que retratassem os catadores de materiais recicláveis que vivem no local, mas o trabalho com estes personagens revela a dignidade e o desespero que enfrentam quando sugestionados a imaginar suas vidas fora daquele ambiente.  [+] saiba mais 1 OSB - Série Rubi 04/06 Música Lee Mills, regência Mason Bates, compositor e DJ   BENJAMIN BRITTEN Peter Grimes | Quatro Interlúdios Marítimos, Op. 33a MASON BATES Interface Líquida Nave Mãe CLAUDE DEBUSSY O Mar [+] saiba mais 1 Investigando bolha de sabão com a Oficina dos Inventores 04/06 Arte e Educação "Se bolinha de sabão é diversão garantida imagina um BOLHÃO! A Oficina dos Inventores junta contação de história, atividades "mão na massa" e instalações interativas com o objetivo de incentivar a curiosidade e a vontade de investigar o mundo. Entre nessa bolha também. "   Ministrado por Vanessa Miranda   Vanessa Miranda psicóloga formada na Florida Atlantic University, FL USA, primeira brasileira a concluir o curso de Aprendizado Investigativo pelo Institute of Inquiry no Exploratorium Museum San Francisco Ca, USA, fundou a Oficina dos Inventores para incentivar crianças a investigarem o mundo através das práticas científicas. O objetivo é contribuir na formação de pessoas com prática em solução de problemas, pensamento crítico e tolerância à diferentes ideias.     Vagas : 40 crianças por horário   Inscrições :  ESGOTADO [+] saiba mais 1 Interlocuções - O estranho nas meninas de Velázquez 03/06 Arte e Educação Palestra | O estranho nas meninas de Velázquez - Professor Alexandre Sá   Como pensar a estética da aparição e da desaparição (da imagem e da poética) dentro do quadro As Meninas e presentificada em algumas personagens retratadas por Velázquez?   Através de um mergulho na obra (e paradoxalmente, inclusive na tela que fica dentro dele), Alexandre Sá conduz uma reflexão que tem por objetivo desvelar alguns conceitos psicanalíticos,como por exemplo, o objeto a e o real. Neste momento, além de fazer uso do Seminário XIII, de Jacques Lacan, recorre a alguns historiadores de arte importantes, como por exemplo Hubert Damisch e Daniel Arasse.   Por último, a arte moderna e contemporânea servem como elementos para pensar o legado de tal obra e reavaliar sua potência enquanto proposta artística.   Alexandre Sá vive e trabalha no Rio de Janeiro. É psicanalista e pós-doutor em Estudos Contemporâneos das Artes pela Universidade Federal Fluminense. É um profissional híbrido que trabalha com as mais diversas linguagens (instalações, performances, objetos e vídeos) e sua pesquisa plástica tem como preocupação estética as relações entre o texto, a imagem, a poesia, a psicanálise e o corpo. Uma de suas particularidades é o diálogo entre teoria e prática, pois atua também como crítico, escrevendo textos para revistas especializadas; além de desenvolver trabalhos como curador. Coordena o curso de Artes Visuais da Unigranrio. É diretor do Instituto de Artes da UERJ e docente do Programa de Pós-Graduação em Artes nesta mesma instituição. É membro do Fórum do Campo Lacaniano Rio de Janeiro e do International of Forums (IF).   [+] saiba mais 1 Festival Rio H2K - Rio Cidade das Artes Urbanas 26/05 a 29/05 Dança MAIO | MÊS DA ARTE URBANA NA CIDADE DAS ARTES RIO CIDADE DAS ARTES URBANAS    Com aulas de dança, acampamento e espetáculos, o FESTIVAL INTERNACIONAL RIO H2K coloca de crianças a idosos para dançar no mês das Artes Urbanas na CIDADE DAS ARTES!   Festival traz dançarinos de Justin Bieber, Beyonce, Justin Timberlake, Anitta e Chris Brown para a cidade!   O Rio H2K, considerado um dos maiores festivais de danças urbanas do mundo, chega a sua 6˚ edição na Cidade das Artes a partir do dia 26  até o dia 29 de maio, os mais importantes coreógrafos e companhias da dança urbana mundial desembarcam na cidade para participar de uma programação especial que inclui mais de 100 workshops, 12 espetáculos, 6 painéis e bate-papos, showcase, festas, e as famosas batalhas de dança, em uma grande disputa pela melhor posição no Rio H2K Battles.   Segundo os organizadores, o evento recebe um público variado de jovens que estudam dança, que apostam nesse mercado para se profissionalizar ou que querem simplesmente aprender a dançar para trocar experiências e fazer novos amigos.   "É uma mistura de sotaques com gente de todos os estados brasileiros, e uma mistura de línguas também, espanhol, inglês, francês, pessoas de todo o mundo… todos unidos pela dança urbana", explica Miguel Colker, que dirige o Festival junto com Bruno Bastos. “Agora, todas estas pessoas, também terão a oportunidade de ficarem no acampamento do festival, vivendo a dança 24 horas por dia” termina Miguel.   Durante o período do evento, a Cidade das Artes se tornará a Cidade da Dança! Os participantes poderão ocupar literalmente todos os espaços do local. A troca de energia será 24hs por dia, já que além das atividades na praça, salas e teatros o público poderá acampar no espaço e viver por completo uma experiência dançante e inesquecível! A programação dos workshops é extensa e reúne estilos para todos os gostos e tribos, e também, níveis para que todos possam dançar, desde iniciantes que nunca experimentaram nenhuma aula de dança, passando por intermediários amadores, até profissionais.    Os alunos profissionais ou iniciantes podem aprender desde o tradicional hip hop, house e stiletto, como conhecer e aprender novos estilos e tendências como Flexionamento, Charme, Passinho e uma preparação fitness específica para dançarinos, chamada Physical training.   O público geral pode esperar por aprender com os dançarinos dos astros pop internacional e nacional, como Sheryl Murakami, coreógrafa dos videoclipes "EGO", " Who Run The World" e "Dance For You" da cantora Beyoncé, e a bailarina e coreógrafa brasileira da cantora Anitta, Arielle Macedo, que coreografou sucessos como "Show das Poderosas", "Blá blá blá" e "Na batida". Além delas, os coreógrafos Lyle Beniga, dançarino do Justin Timberlake e Usher, Josh Williams, dançarino do Pharell e Jason Derulo, e Antoine Troupe, já coreografou para Prince e Chris Brown, também darão aulas super animadas no Festival.   Para as crianças não ficarem de fora, o evento tem uma colônia de férias chamada Rio H2Kids, para crianças de 4 a 11 anos, em parceria com a Recria, responsável pela colônia de férias do CMDC (Centro de Movimento Deborah Colker). No Rio H2Kids o objetivo é criar um ambiente lúdico de aprendizado e criação tendo como mola propulsora temas artísticos e estéticos oriundos da Danças Urbanas.    Para os que ao invés de dançar, preferem assistir, o festival possui uma programação de espetáculos imperdível! O Rio H2K receberá a premiada companhia francesa S´Poart, do coreógrafo Mickael Le Mer, com o espetáculo “Rouge” na Grande Sala da Cidade das Artes nos dias 26 e 27 de Maio. O festival também abre espaço para jovens companhias e talentos mostrarem seus espetáculos na “Mostra Novos Rumos”. Além disso, serão apresentados outros espetáculos nacionais e internacionais.   Outra grande novidade de 2016 será o novo projeto realizado pela organização do festival, o Rio H2K Battles. Um duelo de dança onde o grande campeão leva uma premiação em dinheiro, além de o título de melhor dançarino do seu estilo no ranking, tendo sido julgado pelos mais importantes dançarinos do mundo.    “Para fechar com chave de ouro o Festival teremos o Rio H2K Battles, prato cheio para quem deseja somente assistir as atrações, além de torcer um pouco. São batalhas de dança, em 6 estilos diferentes, com os 8 melhores dançarinos de cada um destes estilos. As finais de cada estilo sempre reservam momentos de muita emoção, além das incríveis apresentações dos jurados” explica Bruno Bastos.   Os competidores de diferentes países, participam das batalhas nas categorias: hip hop, popping, locking, house, passinho e breaking. As inscrições acontecem até o dia 27/05 e as seletivas acontecem no dia 28/05, na Cidade das Artes. O Rio H2K Battles promete emocionar o público com batalhas de tirar o folego e atrações musicais.   O Rio H2K, apresentado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura, é uma produção da Araucária Agencia Cultural. Conta com o patrocínio da Multiterminais, Affero Lab  e Rede Globo e co-patrocinio das empresas O Boticário, Beleza Natural, Mills Estruturas, Estácio e Grupo Libra. O Grand Mercure RJ Rio Centro é o hotel oficial. É co-realizado pela Fundação Cidade das Artes e tem apoio da GL Events, Delphos e Peixe Urbano – também responsável pela venda exclusiva do evento. Os interessados podem comprar o passaporte para todo o festival ou ingresso para cada dia. Também serão vendidas entradas separadas para quem quiser conferir somente o Rio H2K Battles. A programação completa, valores dos ingressos e outras informações do festival estão no site: www.rioh2k.com.br     PROGRAMAÇÃO      • Cie S’Poart – Espetáculo  ROUGE  (França)   Datas: 26/05 – 21h | 27/05 – 21h   Local: Grande Sala – Cidade das Artes   Ingressos: R$ 50,00 (inteira) | R$ 25,00 (meia) | R$ 20,00 (convite amigo/passaporte Rio H2K) https://www.ingressorapido.com.br/compras/?id=48364#!/tickets    Coreógrafo: Mickaël Le Mer  Com parceria do Ministério da Cultura da França e co-produção do Centro Nacional de Dança Contemporânea de Angers, o lema da peça Rouge é “Tudo é Vermelho”.  O  vermelho é onipotente, por causa dos estados do corpo, coreografia, emoção, o que é visto e sentido. A cor vermelha é visualmente obscurecida, não aparece nos elementos  cênicos nem em ternos ou nas luzes, mas é o estado global do show.     • Paradox-Sal – Espetáculo FIGHTING SPIRIT (França)   Data: 26/05 – 19h   Local: Teatro de Câmara – Cidade das Artes   Ingressos: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia) https://www.ingressorapido.com.br/compras/?id=48367#!/tickets   Coreógrafo: Ousmane « Babson » Sy No show Fighting Spirit, oito dançarinas se confinam dentro dos seus diferentes gestos (popping, locking, waacking, top rock…) com um desafio único: alcançar a liberdade   de um estilo. Nesse espaço de expressão, elas vão encontrar os movimentos a fim de interpretar o que elas são: mulheres nos seus corpos e nas suas forças, a onde a pregunta da feminilidade já não é colocada, mas encarnada.   • Mostra Novos Rumos Data: 28/05 – 21h Local: Teatro de Câmara – Cidade das Artes Ingressos: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia) https://www.ingressorapido.com.br/compras/?id=48368#!/tickets   Crütz – Espetáculo: Um samba de amor desfeito (Brasil/Rio de Janeiro) Coreógrafos: Ricardo Lima e Lucas Sauer Grupo carioca de danças urbanas criado em 2010. Em 2012 participou do Festival de Dança de Rio das Ostras ganhando o prêmio ‘’destaque da noite’’. No ano seguinte, esteve presente de diversas mostras como as do Rio H2K (Rio de Janeiro – RJ), Festival Internacional de Hip Hop (Curitiba – PR) além de participar do evento X-Tudo Cultural organizado pelo SESI como grupo convidado. Ainda em 2013 foi agraciado com o Prêmio Ana Botafogo de Dança, uma competição de videodança, com a coreografia ‘’O Sofá’’. Em 2014, continuou desenvolvendo seu trabalho com música brasileira em nova apresentação no Rio H2K, abrindo a noite de competições do Festival Internacional de Hip Hop como grupo convidado e saindo vencedor do Prêmio Novos Talentos Coreográficos, organizado pelo Sindicato de Dança do Rio de Janeiro. Já em 2015, volta aos palcos do Rio H2K como grupo convidado apresentando um trecho do espetáculo ‘’Uma Dancinha Pra Machucar Os Corações’’ com excelente resposta de crítica e público.   904 KM – Espetáculo: NO (Brasil/Rio de Janeiro) Coreógrafos: Bruno Duarte e Bárbara Lima Um espaço ocupado por dois indivíduos diferentemente semelhantes, cujo suas ideologias não se conectam. Corpos que se chocam e se deslocam, que se juntam e se separam, na busca de nunca se encontrarem, em uma conexão que nunca irá acontecer. Dois ambientes, um espaço. A busca pelo lugar mais alto. Um denominador comum visto e interpretado com olhares totalmente opostos.  A dificuldade de abrir mão do próprio ego, tornando difícil o simples ato de concordar com o próximo. Dizer "não" quando poderia ser dito "sim".   Cia Gente – Espetáculo: Do It! (Brasil/Rio de Janeiro) Coreógrafos: Paulo Emílio Azevedo e Jean Clei de Oliveira Direções, conflitos, orientações, caminhos e cores. As marcas, referenciais estéticos e polaridades de uma juventude, habitam o corpo do intérprete que tem no breaking sua principal fonte de vida; também o princípio ativo de sua desistência em ser artista. Investigando os elementos de constituição de sua performance, "Do It" expressa o caráter do "fazer"; do "fazer agora"; o agora mais uma vez é a própria juventude. A obra se apresentou dentro da Semana da Dança na cidade de Campo Grande/MS e no Festival de Hip Hop Arena Híbrida do Rio de Janeiro/RJ, ambos em 2014.     WORKSHOPS RIO H2K 2016   Data: 26/05 Valor: R$110,00 Aulas com: Praça Esplanada: Babson/Kapela, Toshiba e Sheryl Murakami Sala Start: Alefh Mendes, Arielle Macedo e André Rockmaster (House) Sala I: Ricardo Lima e Lucas Sauer, JP Black   Data: 27/05 Valor: R$140,00 Aulas com: Praça Esplanada: Lyle Beniga, Arthur Saaman, Josh Williams e Showcase Sala Start: Dream Team do Passinho, Arielle Macedo, Marcio Alves, Laure Coutelllemont e André Rockmaster (Hustle) Sala I: Luan San e Sheryl Murakami   Data: 28/05 Valor: R$140,00 Aulas com: Praça Esplanada: JP Black, Ricardo Lima e Lucas Sauer, Josh Williams, Mecnun Giasar e Lyle Beniga Sala Start: André Rockmaster (House), Toshiba, Bryan Tanaka, Jeff Antonio e Dream Team do Passinho Sala I: Kid Eyez, Antoine Troupe e Arthur Samaan   Data: 29/05 Valor: R$140,00 Aulas com: Praça Esplanada: Toshiba, Bryan Tanaka, Marcio Alves e Laure Coutellemont Sala Start: Dream Team do Passinho, Jeff Antonio, Alefh Mendes e André Rockmaster (Hustle) Sala I: Mecnun Giasar e Kid Eyez   Obs: Passaporte 1° lote: R$ 220 - Inclui todos os Workshops oferecidos na Praça Esplanada, Sala Start e Sala I durante os quatro dias de evento.      RIO H2K BATTLES: Data: 29/05 | 16h às 19h Local: Grande Sala – Cidade das Artes Ingressos: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia) https://www.ingressorapido.com.br/compras/?id=48967#!/tickets   O Rio H2K Battles são as grandes finais das nossas famosas batalhas de danças urbanas. Um duelo onde o grande campeão leva uma premiação em dinheiro, além de o título de melhor dançarino do seu estilo no ranking, tendo sido julgado pelos mais importantes dançarinos do mundo. Os competidores de diferentes países participam das batalhas nas categorias: hip hop, popping, locking, house, passinho e breaking. As inscrições acontecem até o dia 27/05 e as seletivas acontecem no dia 28/05. A grande final acontece no dia 29/05 na Grande Sala da Cidade das Artes.  O Rio H2K Battles promete emocionar o público com batalhas de tirar o folego e atrações musicais.         [+] saiba mais 1 Dorotéia | Rosamaria Murtinho e Letícia Spiller 07/05 a 29/05 Teatro DOROTÉIA, DE NELSON RODRIGUES   Rosamaria Murtinho e Letícia Spiller  juntas em cena, como a fera e a bela, na montagem de “Dorotéia”, texto de Nelson Rodrigues, com direção e encenação de Jorge Farjalla, em nova temporada aqui na Cidade das Artes. Rosamaria Murtinho interpreta Dona Flávia, uma mulher feia, frustrada e infeliz que faz de tudo para destruir a beleza da prima Dorotéia, ex- prostituta, uma pecadora incorrigível, porém arrependida, vivida por Letícia Spiller.   “Sempre interpreto mulheres ricas e sofisticadas. Queria uma personagem que me desconstruísse completamente, e pedi isso ao Farjalla”, revela Rosamaria, que idealizou o projeto junto com o diretor, dentro das comemorações de seus 60 anos de carreira.   Letícia Spiller se descobriu apaixonada por “Dorotéia”. “Logo que comecei a estudar teatro, o meu desejo era fazer essa peça”, lembra ela que, mais de 20 anos depois, enfim recebeu o convite do diretor Jorge Farjalla e de Rosamaria Murtinho para encená-la.   “Sou um privilegiado por trabalhar com duas gerações de grandes atrizes, com personagens de peso e no texto de Nelson. A energia que a Letícia tem é exatamente o que eu quero para a Dorotéia e Rosinha traz a visceralidade peculiar à Dona Flávia”, diz Farjalla.   Bate-papo com o diretor Jorge Farjalla na Sala de Leitura nos dias 14 e 21/05, às 18h30.   SINOPSE   DOROTÉIA, ex-prostituta que largou a profissão depois da morte do filho, vai morar na casa de suas primas, três viúvas puritanas e feias que não dormem para não sonhar, portanto condenadas a desumanização e a negação do corpo, dos sentimentos e da sexualidade. DOROTÉIA linda e amorosa, nega o destino e entrega-se aos prazeres sexuais. Este é seu crime, e por ele pagará com a vida do filho buscando a sua remissão. Na história desta família de mulheres, o drama se inicia com o pecado da avó, que amou um homem e casou-se com outro. É neste momento que recai sobre todas as gerações de mulheres da família a “maldição do amor”: estarão todas condenadas a ter um defeito de visão que as impede de ver qualquer homem, casarem-se com um homem invisível e sofrer da náusea nupcial – único sinal de contato que teriam em toda vida com este marido invisível. DOROTÉIA, em troca de abrigo, aceita se tornar tão feia e puritana como as primas.       Ficha Técnica   Direção e encenação | Jorge Farjalla Ass. Direção | Diogo Pasquim e Raphaela Tafuri Elenco | Rosamaria Murtinho, Leticia Spiller, Alexia Dechamps, Dida Camero, Jaqueline Farias e Anna Machado Homens Jarro | André Américo, Daniel Martins, Du Machado, Fernando Gajo, Pablo Vares e Rafael Kalil Direção musical | João Paulo Mendonça Trilha original | João Paulo Mendonça, Leila Pinheiro, Fernando Gajo e Rafael Kalil Produção musical | André Américo, Daniel Martins, Du machado, Fernando Gajo, Pablo Vares e Rafael Kalil Direção de arte e espaço cênico | José Dias Figurinos | Lulu Areal Maquiagem e visagismo | Anderson Calixto Fotografia | Carol Beiriz Preparação vocal | Patrícia Maia Iluminação | Patrícia Ferraz, Jorge Farjalla e José Dias Assessoria de imprensa | Debs Comunicação Produção executiva | Sandra Valverde Coordenação de produção | Lu Klein     [+] saiba mais 1 CineArtes - Exibição do filme "A Batalha do Passinho" 22/05 Cinema Surgido nas favelas cariocas, o passinho, explodiu em 2008 e desde então vem mudando a cara da periferia do Rio de Janeiro. Uma nova forma de dançar o funk, o Passinho é a manifestação cultural carioca mais importante dos últimos 10 anos.O documentário “A Batalha do Passinho”, dirigido por Emilio Domingos, acompanha de perto esse fenômeno e mostra de dentro do movimento a evolução dessa cultura.   Logo após exibição do filme, haverá o bate-papo com o diretor Emílio Domingos.     Emílio Domingos   Cineasta e cientista social, formado pela UFRJ, atua no mercado como diretor, pesquisador, roteirista e assistente de direção, com foco principal em documentários. Desde 1997 trabalha com Antropologia Visual, principalmente na área de cultura urbana, pesquisando temas como funk, samba e hip-hop. Como diretor, realizou 9 curtas e 2 longas-metragens. Sua estréia na direção de longas-metragens, o documentário L.A.P.A (2008), ganhou o prêmio de melhor filme no Festival Câmera Mundo, em Roterdã, Holanda. Entrou em cartaz nos cinemas em 2009. Em 2012, lançou seu segundo longa, “A Batalha do Passinho”, que foi vencedor da Mostra Novos Rumos no Festival do Rio. No mesmo ano criou a Osmose Filmes com Julia Mariano.   Além da produção documental, também dirigiu clipes de artistas como BNegão e Lucas Santtana e trabalhou no cinema como pesquisador, roteirista e assistente de direção com diretores como João Salles, Breno Silveira, Lula Buarque de Hollanda, Andrucha Waddington, Carolina Jabor e Denise Garcia em filmes como: "Mistério do Samba"​, "Viva São João"​, "Pierre Verger"​ e "Sou Feia Mas Tô Na Moda"​. NA TV, foi pesquisador para o programa “Esquenta”. Também realizou pesquisa de repertório para os CDs “Tudo Azul” da Velha Guarda da Portela, e “Universo Ao Meu Redor” da cantora Marisa Monte, além de pesquisa de imagens para a vídeo instalação da mostra permanente sobre a história dos bailes black a ser inaugurada no novo MIS-RJ.    Além disso, é curador da Mostra Internacional do Filme Etnográfico desde 2007 e do Festival Visões Periféricas desde 2013.  Em 2014, Emílio recebeu da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, a Medalha Pedro Ernesto por serviços prestados à cidade.  Atualmente, finaliza seu novo longa, “Deixa na Régua”, sobre barbearias na periferia do Rio de Janeiro,  e concluiu o documentário "Toda A Cidade Vai Cantar" sobre novos artistas das favelas do Rio.     Ficha Técnica   A Batalha do Passinho Documentário - 2013 - 75 minutos. De: Emílio Domingos. Ficha Técnica Direção: Emílio Domingos Produção Emílio Domingos e Julia Mariano (Osmose Filmes) Montagem: Guilherme Schumann Roteiro: Emílio Domingos e Julia Mariano Fotografia: Daniel Neves e Paulo Castiglione Som: Julio Lobato   Produção: Osmose Filmes.  Produtores Associados: Apavoramento, Boca do Trombone e Maria Gorda Filmes. [+] saiba mais