Fundação Cidade das Artes

Memoria

Memória

A Fundação Cidade das Artes é um espaço concebido para abrigar múltiplas atividades artísticas, como exposições, apresentações de dança, teatro e música. Este complexo cultural também é utilizado para palestras, oficinas, congressos, conversas com autores, lançamentos de livros e outras atividades de formação cultural e artística.

Os eventos que ocorrem neste espaço são filmados e fotografados para que todos os interessados possam ter acesso, através deste site, ao histórico de programação da Cidade das Artes e os programas das peças podem ser pesquisados na Sala de Leitura, local onde serão preservados todos os materiais impressos relacionados à programação.

Eventos Passados

Contação de Histórias e Oficina Sobre o Meio-Ambiente 24/06 Arte e Educação O Educativo da Cidade das Artes junto com a Contadora de histórias Sandra Carneiro,   convidam todas as crianças para participarem de uma contação de história com temas envolvendo as práticas de conscientização ambiental através da literatura infantil. Após a contação, faremos uma atividade, onde as crianças plantarão as suas sementes para levar para casa.     30 vagas para maiores de 5 anos Inscrições pelo telefone 3325-0448 ou pelo e-mail saladeleitura@cidadedasartes.org [+] saiba mais Dia Internacional do Yoga 24/06 Esporte DIA INTERNACIONAL DO YOGA  Arte de Viver e Globo promovem comemoração inédita na Cidade das Artes no dia 24, sábado, a partir das 8h  Celebração contará com a presença dos Swamis Paramtej e Chandramuka, além de aula de yoga gratuita para crianças e adultos, shows, performances, feira de produtos orgânicos e lançamento do livro do programa Bem Estar  Uma grande celebração na Cidade das Artes com música, meditação guiada, aulões de yoga e feira gastronômica marcarão as comemorações do Dia Internacional do Yoga, 24 de junho, a partir das 8h. Várias escolas de yoga de toda a cidade estão convidadas e já confirmaram presença. No palco estarão dois swamis: o indiano Swami Paramtej e o brasileiro Chandramukha Swami. Esse será o primeiro encontro que reunirá, em um só espaço, as diversas vertentes do Yoga, comprovando que a prática milenar é para todos. Para participar do evento, organizado em parceria pela Arte de Viver e pela Globo, é preciso levar apenas tapete de yoga ou canga e roupas confortáveis.  A data, comemorada oficialmente no dia 21 de junho, será celebrada no Brasil e em vários países. Até agora já confirmaram programação para o evento Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Juiz de Fora, Recife, Salvador e São Paulo, além de outros países como Alemanha, Estados Unidos, Japão e, é claro, a Índia.    Aulas gratuitas para crianças, adultos, música e meditação  O encontro começa às 8h, com uma aula de yoga para crianças conduzida pelo professor Atre Fabres, que trabalhará os conceitos da prática de forma lúdica com elementos da natureza, estimulando a criatividade da criançada. Em seguida, haverá aula para adultos com a participação de Monica Vidigal, Mahavir Thury e Lila Shakti, professora que ainda apresentará um show e o Kirtan.  O público poderá conferir ainda o Bhajans, mantras em formas de canção.  O grande momento do evento será o encontro de dois Swamis: um indiano e um brasileiro. Swami é título concedido, na Índia, para aqueles que se dedicam totalmente a encontrar a realização espiritual. Junto a eles estarão outros dois mestres de yoga, os professores Paulo Murilo Rosas e Jonas Massetti. Muito querido entre os adeptos da prática da meditação e yoga, o embaixador e instrutor sênior da organização internacional Arte de Viver Swami Paramtej será o responsável por conduzir as práticas de postura e meditação. Indiano, têm viajado o mundo levando a prática milenar do Yoga como forma de alívio de estresse e ansiedade. Em sua passagem pelo Rio irá representar a Arte de Viver na celebração pelo Dia Internacional do Yoga, guiando a sequência de posturas protocolar da Organização das Nações Unidas. Ao seu lado, estará o brasileiro Chandramukha Swami. Escritor e músico, ele já produziu mais de 20 livros sobre filosofia védica, meditação, yoga e demais temas ligados à tradição Vaishnava dos Vedas.  O momento ainda contará com a presença de mestres yogis homenageando o professor Hermógenes, figura importante na divulgação do yoga no país, com a participação do seu neto Thiago Leão, também seguidor da prática.  A programação terá dança indiana com Aline Civinelli, apresentação dos projetos “Yoga de Rua” e “Yoga da Maré”, participação dos músicos da Orquestra Sinfônica do AfroReggae e do Harmonicanto, coral de crianças e adolescentes do Cantagalo. Durante todo o evento, o público poderá conhecer a feira de produtos orgânicos (Green Market) e também conferir o pré-lançamento do primeiro livro da coleção do programa Bem Estar “As dores que mais maltratam os brasileiros: dor de cabeça e dor nas costas” (Réptil Editora), com sessão de autógrafos da jornalista Michelle Loretto, repórter da Globo.  Sobre o Dia Internacional do Yoga  O Dia Internacional do Yoga foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) para celebrar a prática milenar de equilíbrio para o corpo e a mente. A intenção é levar a mais pessoas o conhecimento sobre uma ferramenta simples e acessível capaz de trazer relaxamento e tonicidade ao corpo e positividade à mente, além de melhorar a memória, concentração, criatividade, disposição física e o nível de energia vital como um todo.  [+] saiba mais Precisamos falar sobre Shakespeare | "Rei Lear" 17/03 a 23/06 Arte e Educação Precisamos falar sobre Shakespeare | "Rei Lear"   Rei Lear é uma apaixonante tragédia, que trata de loucura, velhice, vaidade, integridade... Vamos nos encantar com a riqueza de Shakespeare, a partir de genial narrativa e personagens inesqueciveis. O grupo de leitura  | estudo é aberto a todos que desejam falar sobre Shakespeare, e tem ênfase na articulação com a psicanálise. Os encontros serão realizados nos dias  17 e 31/03  |  28/04  |  12 e 26/05  |  09 e 23/06  - sextas-feiras   Grupo de estudo quinzenal  Coordenadora Lísia Filgueiras, psicanalista [+] saiba mais RIO H2K 2017 – Festival Internacional de Danças Urbanas 15/06 a 18/06 Dança RIO H2K 2017 – FESTIVAL INTERNACIONAL DE DANÇAS URBANAS De 13 a 18 de junho, Rio H2K 2017 ocupa diversos espaços da Cidade das Artes e os teatros Carlos Gomes e Cesgranrio.   Ingressos:  RIO H2K 2017 - ESPECES - Compre aqui!  RIO H2K 2017 - SHOWCASE - Compre aqui!  RIO H2K 2017 - MOSTRA NOVOS RUMOS - Compre aqui!  RIO H2K 2017 - BATTLES - Compre aqui!    Festival traz coreógrafos e companhias brasileiras e estrangeiras de sete países: Alemanha, Angola, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Inglaterra e República Tcheca.   Programação para todos os públicos e idades inclui espetáculos, workshops, competições, batalhas de danças, bate-papos e festas. Entre 13 e 18 de junho, o Rio de Janeiro é palco da sétima edição do Rio H2K. O festival internacional promove as danças urbanas e suas múltiplas vertentes de forma ampla e acessível a todos os públicos e idades. A abertura oficial está marcada para o dia 13, no Teatro Municipal Carlos Gomes, com duas atrações inéditas no Brasil: Lil Buck, jovem dançarino americano de street dance, e Cie Zahrbat, companhia francesa de hip-hop e dança contemporânea. No dia 14, o trio franco-brasileiro formado por Cyrille Brissot, JP Black e Wagner Faria apresenta o projeto multimídia Incandescente 24hLuz, no Teatro Cesgranrio. De 15 a 18, o Rio H2K ocupa a Cidade das Artes, onde a programação inclui espetáculos, workshops, competições, batalhas de danças, bate-papos e festas.  O Rio H2K tem direção do produtor Miguel Colker. A direção artística é de Bruno Bastos, que divide a curadoria da mostra de espetáculos com o francês Guy Darmet, ex-diretor da Bienal de Dança de Lyon e da instituição Maison de la Danse.“Queremos inspirar as pessoas a dançar. É um festival que coloca mais o público para dançar do que para assistir”, diz Colker, sem deixar de enfatizar o compromisso que eles têm em incentivar e fomentar a profissionalização das companhias de danças urbanas no país, além de investirem em ações sociais em quatro comunidades do Rio, com aulas regulares, durante o ano. “Pela primeira vez, vamos patrocinar um grupo amador de street dance com um prêmio de R$ 15 mil, para ser investido na montagem de um espetáculo que será apresentado na edição do ano que vem”, adianta o diretor.   Desde a sua primeira edição, em 2011, a essência do Rio H2K é a dança urbana e os seus diferentes gêneros, que vão desde os estilos originais que surgiram nos Estados Unidos, entre as décadas de 1960 e 1980 (breaking, hip hop, dance house, locking e popping) até as criações mais recentes (dancehall, krumping, stiletto e videodancing). Em 2014, o festival incorporou com sucesso aulas de sapateado e batalhas de passinho. “Nesta edição, vamos ampliar ainda mais o leque com novas danças. Teremos professores de afromix, coco de roda, jongo, samba e zouk”, explica Bastos. “Nós temos uma parceria com o maior dance camp da Europa, o Fair Play Dance Camp, na Polônia. Na última edição, eles fizeram uma promoção e uma dançarina da Espanha ganhou uma bolsa para vir fazer aulas no festival deste ano. Agora, nós faremos essa mesma promoção para levar um brasileiro para participar do Fair Play, em agosto”, destaca Bastos.    Durante seis dias, a cidade recebe importantes coreógrafos e companhias brasileiras e estrangeiras de sete países: Alemanha, Angola, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Inglaterra e República Tcheca. A programação se concentra na Cidade das Artes. No maior complexo cultural da cidade, o Rio H2K ocupa os espaços tradicionais (Grande Sala, foyer superior da Grande Sala, Teatro de Câmera, Sala de Música Eletroacústica, Sala de Dança e Sala 1) e cria três novos ambientes (Praça, Palco Start e Palco Solar) para receber os workshops e as apresentações do Showcase. Para quem quiser ter a experiência de viver 24 horas dentro do festival e acampar ao ar livre, na Cidade das Artes, o Kemp é uma oportunidade única. As barracas individuais são dispostas no jardim e estão disponíveis para quem adquirir o “passaporte com acampamento”. A produção oferece vestiários com chuveiros, área de convivência (com pontos de energia), água potável e posto médico. O regulamento completo está disponível no site do evento.  MOSTRA DE ESPETÁCULOS O festival programou seis espetáculos nacionais e estrangeiros. A abertura oficial do Rio H2K 2017 está marcada para o dia 13 de junho, no Teatro Municipal Carlos Gomes, com duas atrações inéditas no país: Lil Buck & Facundo Estefanell e Cie Zahrbat.  Nascido em Chicago, o jovem dançarino americano de street dance Lil Buck ficou conhecido depois que o cineasta Spike Jonze gravou e divulgou no YouTube a sua performance The Dying Swan, ao lado do violoncelista Yo-Yo Ma, em 2011. De lá pra cá, Buck fez parte da turnê MDNA World Tour, da Madonna; e do show Michael Jackson: The Immortal World Tour, do Cirque du Soleil. Lil virou também queridinho de marcas internacionais. Ele dança com Mikhail Baryshnikov no comercial da linha masculina da Rag & Bone. Criou uma exclusiva linha de sapatos e camisas inspiradas no seu próprio estilo para a Versace e apresenta o fone sem fio do iPhone 7 dançando pelas ruas da Cidade do México. Para a performance The Swan, Lil Buck estará acompanhado do jovem músico uruguaio Facundo Estefanell, que mora no Brasil e é chefe de naipe na Orquestra Sinfônica Cesgranrio, no Rio.  Na mesma noite, a companhia francesa Cie Zahrbat apresenta Sillons. O coreógrafo Brahim Bouchelaghem foca em um dos temas mais essenciais para a dança: o espaço. Cercado por quatro dançarinos de diferentes técnicas – hip-hop e dança contemporânea – ele cruza o palco, com paixão e passadas fortes, buscando incansavelmente extrair a essência que rege esse tema, além da área do palco estão escondidos indivíduos, o que os liga ou os separa. Cada artista é responsável pelo seu trajeto e cada individualidade ecoa no grupo, criando uma área comum que dá existência a relacionamentos invisíveis entre os corpos. A batida da música eletrônica tocada por Nicolas Zorzi e a presença magnética dos dançarinos são os elementos que conduzem essa montagem hipnotizante. No dia 14 de junho, o Teatro Cesgranrio recebe o trio franco-brasileiro formado por Cyrille Brissot, JP Black e Wagner Faria para uma apresentação do projeto multimídia Incandescente 24hLuz. O espetáculo é um encontro artístico, científico e cultural, entre a arte urbana e as novas tecnologias, entre França e Brasil, entre a dança de rua e a música eletrônica em tempo real, entre o grafite e a tecnologia visual digital. O trio proporciona um espetáculo visual e sonoro. A mistura de sons, luzes e imagens na live performance provoca uma reflexão sobre a dificuldade de viver a realidade de todos os dias e a possibilidade de transformação que nasce na fusão da arte com a vida. Na Grande Sala da Cidade das Artes, o público confere duas apresentações no dia 15 de junho, com os artistas franceses Antoinette Gomis e Enfants Prodiges. Criado e interpretado por Gomis, Images é um solo inspirado na música da cantora e compositora americana Nina Simone. Apontada como um dos principais nomes do cenário da dança urbana francesa, fez parte do musical Kirikou, dirigido por Wayne McGregor, além de ter se apresentado com Madonna, em Nova York, e Chiambretti, no Sunday Night Show, em Milão. Além de dançarina e coreógrafa, Gomis é modelo e já estrelou campanhas para marcas como Nike, Adidas e Puma.  Enfants Prodiges é formado por Frankwa, Bouboo, Malkom, Nelson, Dee, Willow, Marvin, Kefton, Chakal and Kapela – considerados os dez melhores dançarinos da cena hip hop da França. Cada um deles construiu sua reputação por meio de conquistas nas maiores batalhas pelo mundo e por trabalhar com grandes artistas e marcas. No palco, eles alternam, sem esforço, entre várias técnicas e estilos (top rock, house, newstyle, locking, krump, breaking e popping).   MOSTRA NOVOS RUMOS No dia 17 de junho, o Teatro de Câmara, na Cidade das Artes, recebe a Mostra Novos Rumos, um espaço para jovens companhias e talentos brasileiros mostrarem seus espetáculos. Nessa edição, o Rio H2K programou apresentações dos grupos Brainstorm Dance Company, D-Efeitos e Xstyle Dance Company. A Brainstorm Dance Company apresenta Físico, Verbal e Emocional, espetáculo que traz à tona a violência contra a mulher. Apesar de polêmico e forte, o tema é abordado de maneira leve e tem como intuito, por meio da arte, construir um mundo com mais igualdade, solidariedade e liberdade. O grupo paulista D-Efeitos mostra D-Versos, um trabalho que mistura dança urbana e influências da glitch art – estética que tem como ponto de partida “defeitos digitais”, como imagens distorcidas e pixels estourados. O show se ambienta em “Mutrópolis”, cidadelaboratório fictícia dos robôs. Os dançarinos se apropriam de diversos estilos (waving, animation, robboting e warping) para simularem os movimentos das máquinas e as imperfeições que podem vir a apresentar.   Já os cariocas do Xstyle Dance Company apresentam Du Rio, espetáculo que mostra a cidade do Rio de Janeiro por meio de diferentes pontos de vista. No palco, os bailarinos passeiam pelos quatro cantos da cidade, mostrando os inúmeros tipos de cariocas com suas singularidades, conexões, diferenças, qualidades, desafios e perspectivas. WORKSHOPS Ministrados por coreógrafos internacionais e nacionais, os workshops de diferentes estilos estão disponíveis para todos os públicos (iniciante, intermediário e profissional). O Rio H2K traz dançarinos que já trabalharam com artistas consagrados do pop mundial, como Britney Spears, Beyoncé, Justin Bieber, Justin Timberlake, Madonna, Rihanna, Ne-Yo, Usher, entre outros. Os coreógrafos convidados:  Anthony Lee (Estados Unidos) – Inédito no Brasil Um dos fundadores do remorado grupo Kinjaz, radicado em Los Angeles, Anthony Lee ganhou grande destaque na oitava temporada do programa America’s Best Dance Crew. Sua principal característica é combinar música e danças urbanas como uma forma de contar histórias. Lee também participou dos programas Dancing WithThe Stars e The LXD: The Legion of Extraordinary Dancers. Ele é um dos coreógrafos mais requisitados mundialmente e seus vídeos no YouTube têm milhões de visualizações. Andre Bidu (Brasil) Criador do grupo de pesquisas D-Efeitos, Andre Bidu é um dos mais antigos pesquisadores do estilo popping do Brasil. É campeão nas maiores competições de popping do país, sendo tricampeão no Rio H2K. Viaja o país como professor, jurado e orientador. Competiu em diversos programas na televisão e venceu várias edições do Festival de Dança de Joinville. Ian Eastwood (Estados Unidos) Supervisor de coreografia do badalado filme Breaking Through – No Ritmo do Coração, longa-metragem inédito que conta com a participação de Anitta e Bruna Marquezine, Ian Eastwood vem ao Rio pela primeira vez. Nascido em Chicago e atualmente morando em Los Angeles, o jovem dançarino de 23 anos é conhecido por seu estilo contagiante. Começou a dançar aos dez anos e aos 13 já era um fenômeno no YouTube. De lá para cá, coreografou e estrelou videoclipes de Justin Bieber, Tori Keller, Vic Mensa e Trevor Wesley.    Bboy Junior (França) Natural na República Democrática do Congo, Junior Bosila Banya, o Bboy Junior, é considerado um dos melhores dançarinos de break do mundo. Ele se destaca por ter desenvolvido sua própria técnica. Aos dois anos, Bboy contraiu poliomielite, mas isso não impediu que brilhasse no break. Fenômeno da internet, seus vídeos têm mais de 10 milhões de acessos. Em 2000, Bboy se juntou ao coletivo Wanted Posse. Com o grupo, interpretou diversas criações como Bad Moves (2002), Trance (2006) e Konnexion (2010). Participou de vários programas de TV em todo o mundo e ganhou o France's got talent (2007).    Dashaun Wesley (Estados Unidos) – Inédito no Brasil Considerado o Rei no Vogue, Dashaun Wesley participou, em 2016, da turnê mundial de Rihanna, como um dos seus principais dançarinos. Sua coreografia The 5000 fez dele uma sensação na internet, conquistando milhões de hits no YouTube. Participou do MTV America’s Best Dance Crew e fez campanhas para a Coca-Cola. E ainda tem tempo para a militância sobre a causa do HIV, principalmente na conscientização de crianças e jovens.    Dylan Mayoral (Inglaterra) – Inédito no Brasil Dançarino e coreógrafo londrino, o jovem Dylan Mayoral, de 19 anos, iniciou a carreira aos sete no teatro musical. Artista versátil, já fez diferentes trabalhos que vão desde dança a acrobacias em megaeventos, comerciais de TV, desfiles de moda, vídeos de música, performances teatrais e muito mais. Mayoral já se apresentou em locais de prestígio como The Royal Opera House, The Royal Festival Hall, The Royal Albert Hall, entre outros. Em 2015, formou-se na The BRIT School of Performing Art, onde recebeu formação rigorosa em balé, dança contemporânea, jazz e sapateado.    Flockey (Alemanha) Nascido na Alemanha, Flockey começou a dançar em 2004 e atualmente é um dos mais bem-sucedidos em locking do mundo. Membro da Bad Newz Mp, nos últimos anos ganhou vários eventos internacionais como o U.K BBOY Championship e o World Dance Colloseum, em Tóquio, além de apresentar seu novo show Slave of the own, no Breakin Convetion, em Londres.    Hoan (Correia do Sul) – Inédito no Brasil Atual campeão de popping do Juste Debout 2017, maior evento de batalha do mundo, o sulcoerano Hoan já ganhou mais de 50 batalhas do estilo em campeonatos na China, Coreia, França, Inglaterra, Japão e Amsterdam. Hoan também será um dos jurados do Rio H2K Battles.   Israel Alves (Brasil) Integrante do grupo Remiwl Street Crew, o mineiro Israel Alves conquistou o primeiro lugar na batalha de dancehall do Juste Debout 2017, o maior evento de batalha do mundo. Ele ainda foi um dos três brasileiros convidados para participar do espetáculo Dare to Dancehall, dirigido e criado por Laure Courtellemont Ragga JAM e Babson Baba Sy, apresentado em março passado em Paris, reunindo bailarinos da cena mundial do dancehall.   Steven Harper (Estados Unidos/Brasil) Sapateador, coreógrafo, professor e produtor, Steven Harper é um dos principais incentivadores da arte do sapateado no Brasil. Residente no Rio de Janeiro desde 1991, Harper é uma figura requisitada nos palcos e nas salas de aulas do país e do exterior. Já trabalhou em quatro continentes e abriu caminho para o sapateado em grandes eventos como o Festival de Jazz de Montreux (2000), Back 2 Black (2009), desfile Carnaval no Rio de Janeiro (2011), Rock in Rio (2011 a 2015, no palco Rock Street) e o Rio H2K. É coreógrafo da comissão de frente da escola de samba Mangueira e é um dos organizadores, com Adriana Salomão, do festival Tap in Rio. Mecnun Giasar (Alemanha) Ele já se apresentou e deu aulas em quase todos os países da Europa e da Ásia e, recentemente, começou a viajar pelo planeta. Seu estilo diferente e versátil o levou a renomados estúdios de dança pelo mundo. Além de ensinar, Mecnun Giasar tornou-se um dos principais juízes no World of Dance Tour em toda a Europa e também o juiz no Hip Hop Internacional em países como Israel, Espanha, Itália, Alemanha e Peru.   Mateus dos Anjos (Brasil) Nascido em Brasília, Mateus dos Anjos é professor, coreógrafo e dançarino reconhecido internacionalmente. Atualmente reside em São Paulo, onde desenvolve suas pesquisas em dancehall e atua como professor no Westside Full Dance Studio. Também tem formação em balé, dança de salão e várias danças brasileiras. Já ministrou workshops em outros países como Bélgica, Portugal e Argentina. Foi campeão na batalha com dançarinos de dancehall no evento Level Up, em 2015, no Chile. Recentemente dançou no Dare to Dancehall, o primeiro show do estilo no Festival La Villete.   Jaja Wankova (República Tcheca) Dançarina do I.aM.mE Crew, grupo campeão da sexta temporada do MTV's Americas Best Dance Crew, Jaja Wankova também participou do Paramount's League of Extraordinary Dancers, mais conhecido como The LXD, e do filme Step Up 5 interpretando a Robot Girl. Wankova venceu diversas competições de dança urbana e batalhas, além de ter participado de campanhas para marcas como Nike, Puma, Vlado, Scoodie e Aqua. Ela também coreografou e estrelou vídeos para artistas como Skrillex, Nick Cannon e Far East Movement.   Kinho (Brasil) Artista e dançarino, Kinho fez parte da primeira geração de dançarinos do estilo Passinho. Participou das primeiras batalhas oficiais da modalidade, promovidas pelo Sesc e pela CocaCola, Kinho foi tema de reportagens em diversos programas de televisão. Fez parte do elenco da abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e é um dos personagens do filme Batalha do Passinho. Atualmente sustenta o título de campeão do Festival RioH2K e dá aulas na Cidade de Deus, onde mora.   Aline e Charles (Brasil e Estados Unidos) A dupla se conheceu na cidade de Nova York. Quando perceberam que ambos eram brasileiros e dançarinos, decidiram unir suas técnicas em parceria. Charles contribuiu com as danças urbanas e Aline, com as de salão. No exterior, ministraram aulas no Boston Brazil Dance Festival, LA Zouk Congress, Fujairah Latin Festival (Emirados Árabes), Brazuka Dance Festival (Moscou) e I'm Zouk (Miami), onde foram surpreendidos quando o vídeo da performance da dupla obteve mais de 50 milhões de visualizações no Facebook. Produziram três de seus diversos vídeos artísticos, sendo que It won't Stop (2014) foi compartilhado no Instagram por Justin Bieber.   Guiga de Souza (Brasil) Como professor, coreógrafo e bailarino, Guiga de Souza passou pela Bélgica, México, República Tcheca, Argentina, Brasil e Estados Unidos, onde fez parte da crew oficial de dançarinos do palco Street Dance, no Rock in Rio Las Vegas, junto a grandes nomes das danças urbanas no mundo, como Bryan Tanakna, e tendo como coreógrafos Shaun Evaristo, Jillian Meyers, Tony Tzar e Filipi Ursão. Atualmente, atua como o diretor idealizador do Epifania Dance Project, que visa à formação de dançarinos profissionais, e integra o Brainstorm Dance Company, grupo com premiações nacionais e internacionais.    Dilo Paulo e Lenna Santos (Angola) Bailarino da Cia de dança Deborah Colker, o angolano Dilo já fez participações em programas da TV Globo (Esquenta e Encontro com Fátima Bernardes) e ganhou prêmios como melhor grupo de hip hop da capital de Angola (2011) e no concurso Bounce Angola. Lena, também angolana, passou pela Escola Estadual de Danças Maria Olenewa. Formou-se no Conservatório Brasileiro de Dança e entrou na Cia Brasileira de Ballet, onde permaneceu por oito anos. Em 2016, trabalhou como bailarina profissional na abertura dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Juntos, fundaram o projeto Intercâmbio de Dança Angola e Brasil.   Fernanda Fiuza (Brasil) Iniciou seus estudos na Claude Debussy Instituto de Música e Dança. Foi finalista programa Se ela Dança eu Danço (SBT), participou da abertura dos shows da Beyoncé no Brasil, dançou com a cantora Wanessa Camargo e com Kanye West em sua turnê no país. Integrou o elenco do musical londrino Thriller Live Brasil Tour e Dance Captain, coreografado e dirigido por Gary Loyd. Trabalhou como dançarina e coreógrafa ao lado de Bryan Tanaka no último DVD da cantora Wanessa Camargo. Coreografou vídeo clipes para Wanessa, NX Zero e Thiago Abravanel.   Filipi Escudine (Brasil) Bailarino da Cia Deborah Colker, Filipi Escudine coreografou campanhas publicitárias de marcas como Adidas, Nike, Samsung, Reebok, Heinikken, entre outras. Trabalhou com artistas diversos artistas: Ludimila, Valesca Popozuda, Xuxa, Lorena Simpson, Turbo double T. (EUA), Celeste Bukinnham (ING) e Ben Cristivao (Rep.Theca). Começou sua carreira no grupo Xstyle Dance Company, onde obteve conquistas no cenário nacional, como principal premiação o festival internacional de Curitiba. Fez turnê com o GRN (Grupo de Rua) com o espetáculo H3. Coreografou os grupos Out Of Bounds e JAD Dance Company, da República Tcheca.   Jefferson Antônio (Brasil) Coreógrafo e bailarino, Jefferson Antônio teve sua base na dança de rua e nos bailes black cariocas. Fez parte da Cia de Dança Deborah Colker, entre 1994 e 2005, pela qual voltou a se apresentar como bailarino convidado, entre 2006 e 2010. Integrou a Intrépida Trupe e comissões de frente e alegorias de escolas de samba do carnaval carioca e do Festival de Parintins. Participou de diversos videoclipes e trabalhos em televisão e cinema. É professor e diretor responsável pelo Projeto Social Rio H2K, no Viaduto de Madureira. Jeff é diretor, intérprete e criador do grupo de dança CiaD Fora.    Josh Antonio (Brasil) Filho do bailarino Jefferson Antonio, foi integrante do Projeto Social do Centro de Movimento Deborah Colker, com o qual se apresentou na 14ª Biennale de La Danse de Lyon, e já fez parte do Grupo de Rua de Niterói – GRN, do diretor Bruno Beltrão. Josh Antonio foi premiado em batalhas de dança de rua nas categorias house dance e hip hop dance e foi professor e coreógrafo do grupo Dream Team do Passinho. Dançou na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Hoje é professor em dois projetos de Danças Urbanas do Rio de Janeiro: From The Block e SPOT, além de fazer parte dos coletivos Bonde do Jack (diretor e coreógrafo), Under Crew, 904 Krump Movement e Xstyle Dance Company.    Juliana Kis (Brasil) Coreógrafa há mais de 12 anos, Juliana Kis é diretora artística e uma das coreógrafas do Brainstorm Dance Company, grupo finalista da competição Batalha no Salto, do programa TV Xuxa (Rede Globo) e vencedor do concurso Rock in Rio Street Dance. Estudou Establish Your Empire, ligado ao Movement Lifestyle, em Los Angeles, onde realizou performances nos eventos Collaboration Urban Dance Competition & Showcase, The Carnival e World of Dance. Atuou como bailarina na Ásia, passando por países como Singapura, China, Vietnã e Coreia do Sul. Em 2016, ministrou workshops na Alemanha. Foi professora e jurada das seletivas do Festival Internacional de Hip Hop e do Festival de Dança de Joinville.    Kauan Gracie (Brasil) Dançarina profissional em diversas disciplinas, como balé clássico, contemporâneo, moderno, jazz, entre outros, Kauan Gracie também é faixa azul na arte marcial Jiu-Jítsu. No Rio H2K, Kauan dará aula de Flexionamento ou Flexibilidade que, como o nome indica, é uma aula que ajuda o dançarino a se esticar para criar mais mobilidade por meio do relaxamento.    Kefton (França) Membro das crews Pro Phenomen, GhettoStyles e Enfant Prodiges, Kefton já dançou com Kylie Minogue e estrelou o show Robin des Bois com M.Pokora. Participou e ganhou muitas batalhas internacionais, entre eles o Hip Hop Forever, Who iz Who, Fusion Street Concept, Hip Hop International e Danse Delight.    Netto Soares (Brasil) É coreógrafo e integrante do balé de artistas como Wanessa Camargo, Nikki (finalista do The Voice) Alinne Rosa (X Factor), Lorena Simpson e Tiago Abravanel. Coreógrafo e preparador artístico do programa Esse Artista Sou Eu (SBT) e Programa do Gugu (Rede Record). Atualmente, Netto Soares mantém seus estudos dentro e fora do país nas melhores instituições de ensino artístico do mundo, como a Broadway Dance Center e Peridance, em Nova York, além de atuar como dançarino profissional, performer, coreógrafo, Netto ministra aulas, cursos e workshops.   Nobru de Souza (Brasil) Especializado em hip hop dance, locking, R&B, Nobru utiliza elementos de outras danças para combinar com seu estilo, tais como o popping e krumping. Já venceu mais de 100 premiações como coreógrafo e dançarino. Foi membro dos grupos Rua em Dança e Dance 2XS Brasil. É fundador e coreógrafo do Xstyle Dance Company e do Xstyle Europe. Foi coreógrafo do grupo Out of Bounds. Coreografou também a JAD Company, uma das mais prestigiadas companhias da Europa, onde esteve à frente de diversos shows, comerciais, videoclipes e fashion shows. Coreografou e dançou em videoclipes e shows de inúmeros cantores: Jota Quest, Pepe e Nenem, Charlie Brown Jr., AirFare e o astro internacional Craig David. É jurado de competições de grupo no Brasil e na Europa. Atualmente, compõe a banca de jurados do International Dance Federation.   Pâmela Carvalho (Brasil) Com licenciatura em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Pâmela Carvalho desenvolve pesquisa sobre o jongo, remetendo à abolição da escravidão e à contemporaneidade. Ela é técnica em Turismo e estudou e desenvolveu pesquisas em teatro. Trabalha como educadora no Museu de Arte do Rio (MAR) e como dançarina popular. Integra atualmente três grupos de dança e cultura popular: Tambor de Cumba, Tambores de Olokun e Companhia Mariocas. Pam de Brito (Brasil) Bailarina e uma das coreógrafas do Brainstorm Dance Company, Pam de Brito está na cena das danças urbanas há 15 anos. Mora atualmente em São Paulo e trabalha como professora no Westside Dance Studio. Com apoio cultural da marca Adidas Originals desde 2012, Pam desenvolve trabalhos importantes pelo país como bailarina e professora. Já participou de diversos videoclipes, comerciais, programas de TV, onde foi finalista da Batalha no Salto, na TV Xuxa. Em 2015, foi integrante da Rock in Rio Dance Crew e integrou o elenco profissional na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016, com direção de Deborah Colker.    Rodrigo Marques (Brasil) Diretor artístico da Cia de Dança Carlinhos de Jesus e idealizador do Gafieira Brasil, o maior evento do gênero no mundo, Rodrigo Marques dança há 20 anos. Tem vasta experiência em levar as danças de salão para os palcos e, em 2014, coreografou o espetáculo Ópera do Malandro. Rodrigo representou a cultura brasileira mundo afora, dançando em grandes eventos na China, Cuba, Angola, Espanha e Tailândia. É um grande divulgador da cultura da dança do samba nos Estados Unidos, onde há dois anos realiza workshops e o também o International Samba Congress¸ em Los Angeles.     Rodrigo Soninho (Brasil) Diretor geral do grupo Xstyle Dance Company Brasil, Rodrigo Soninho está envolvido com as danças urbanas há 18 anos. Trabalhou como coreógrafo de shows de televisão, eventos e performances, como a campanha Tocha Olímpica da Coca-Cola, o flashmob da marca Trident, no Rock in Rio, além de ações para marcas como Nike, Vogue, Diesel, Rede Globo, Ford e Caixa Econômica Federal. Como dançarino trabalho no Palco Street, do Rock in Rio e na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Ministrou workshops por todo o Brasil, incluindo Festival Internacional de Hip Hop, e também em países como Argentina, Estados Unidos e República Tcheca.   Vini Azevedo (Brasil) Especialista em popping, animation, ground move e roboting, Vini Azevedo é integrante da Cia Discípulos do Ritmo e do Grupo D-Efeitos. Desde 2002, Vini é dançarino de street dance, professor no Westside Dance Studio, de São Paulo, e campeão do Festival de Dança de Joinville, na categoria Solo de Danças Urbanas, em 2015. Foi semifinalista no programa Qual é o Seu Talento, no SBT, e fez participações em programas de televisão e campanhas publicitárias. Ministra workshops em diversas cidades do Brasil e apresenta espetáculos junto com a Cia Discípulos do Ritmo.   SHOWCASE No dia 16 de junho, grupos nacionais e internacionais amadores selecionados pelo festival se apresentam dentro do Showcase, na Grande Sala da Cidade da Artes. Com o intuito de incentivar e fomentar a profissionalização de grupos de street dance do Brasil, pela primeira vez, o evento oferece um prêmio no valor de R$ 15 mil, para ser investido na montagem de um espetáculo que será apresentado no Rio H2K 2018. Os grupos escolhidos serão divulgados no dia 17 de maio, no site do festival.  RIO H2K BATTLES No dia 18 de junho, o clima promete ser de competição no encerramento oficial do Rio H2K, na Grande Sala, na Cidade das Artes. O público acompanha a grande final dos duelos do Rio H2K Battles. De cerca de 300 inscritos, 24 são selecionados para participar, sendo quatro de cada categoria: hip-hop, popping, locking, house, breaking e passinho. A TV Brasil transmite a final, ao vivo, diretamente do teatro. Os vencedores de cada categoria levam uma premiação em dinheiro (entre R$ 500 e R$ 1.500) e o título de melhor dançarino do seu estilo.   PATROCINADORES E APOIADORES O Ministério da Cultura, a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e a Secretaria Municipal de Cultura apresentam a sétima edição do RioH2K. Com patrocínio master da Smart Fit e da Technip, o evento conta com patrocínio das empresas Libra Terminais, Multiterminais e Rede Globo, com copatrocínio da Estácio, GL Events, Affero e Delphos. O Grand Mercure Rio Centro Hotel é responsável pela hospedagem oficial dos convidados. O festival tem apoio institucional do Consulado da França, Goethe Institut e Centro de Movimento Deborah Colker. O RioH2K é uma realização da Araucária. A programação diária e os valores dos ingressos estarão disponíveis no site do festival – www.rioh2k.com.br – a partir do dia 15 de maio.  [+] saiba mais Deu Treta 10/06 a 11/06 Teatro Caio e Alex são amigos de infância e estudam na mesma faculdade que Luisa e Taís. Taís é uma daquelas pessoas sem limites e sem pudor, onde o que importa é ser feliz em tempo integral. Alex faz engenharia, é a figura mais sociável da faculdade, se dá bem com todo mundo, tem autoestima elevada e é sempre muito solicito quando se trata de amizade. Luisa está à procura de alguém para dividir as contas e o apartamento onde mora. Para encontrar seu futuro inquilino ela deixa um anuncio no quadro de avisos da faculdade, mas um detalhe em especial chama atenção no anuncio, o futuro morador precisar ser “homem e gay”. Caio fica sabendo do anuncio e vê aí sua grande chance de aproximação com Luisa (sua paixão de vários períodos). Ele então propõe a Alex que se passe pelo candidato gay. Apesar de achar uma loucura, Alex aceita e a partir daí a confusão está armada. DEU TRETA, trata-se de uma comédia teatral, escrita com intuito de divertir e fazer rir. O texto também propõe uma reflexão sobre amizade. Até onde vamos ou chegamos por uma amizade? Qual o limite imposto dentro de uma relação entre amigos? DEU TRETA é uma mistura de reflexão, diversão, paixão e entretenimento para o público. [+] saiba mais Encontro de Corais - 25 anos da Câmara comunitária da Barra da Tijuca 10/06 Música Câmara da Comunitária da Barra da Tijuca celebra seus 25 anos com programação especial A agenda de eventos inclui o Encontro de Corais, na Cidade das Artes, com a participação do violinista Allyrio Mello. A Câmara Comunitária da Barra da Tijuca celebra seu Jubileu de Prata em 2017. Para comemorar os seus 25 anos, a CCBT, preparou uma programação especial em Junho, mês de sua fundação. A programação inclui o Encontro de Corais, que será realizado, no próximo dia 10, na Cidade das Artes. O evento contará com a apresentação dos corais da Câmara Comunitária da Barra da Tijuca e dos Condomínios: Barramares, Riviera Dei Fiori, Rio 2, Nova Ipanema e Península, e com o show do violinista Allyrio Mello. Fundado em 2007,   o coral da CCBT, promove a integração dos moradores da Barra da Tijuca, com ensaios semanais no auditório da sede da instituição. Há 10 anos encantando por onde passa, o coral composto por 60 vozes, é considerado um dos mais importantes do Rio de Janeiro, tendo realizado  apresentações em diferentes lugares: Cristo Redentor, Cidade das Artes, Forte Copacabana, São Lourenço, São Paulo, entre outros.       [+] saiba mais O que é a arte? Para que serve? 10/06 Arte e Educação 10/06 – Sábado O que é a arte? Para que serve?   A arte está presente em nosso dia a dia, em nossas casas, nas ruas, na TV, na internet e até em nossas escolas. Mas o que é arte? Tendo essa questão como tema da atividade, as crianças presentes participarão de um divertido bate-papo sobre arte e a sua importância no mundo. Ao final da conversa, cada criança irá criar e participar de uma brincadeira baseada na performance “O que é arte? Para que serve?” do artista pernambucano Paulo Bruscky.   Local: Sala de Leitura Horário: 15h 25 vagas para maiores de 7 anos Inscrições pelo telefone 3325-0448 ou pelo e-mail saladeleitura@cidadedasartes.org [+] saiba mais Conversa Literária na Cidade das Artes | Bate-papo sobre o filme “A Família Dionti” com o diretor,Alan Minas, Bia Bedran e convidados 07/06 Cinema Conversa Literária na Cidade das Artes | Bate-papo sobre o filme “A Família Dionti” com o diretor,Alan Minas, Bia Bedran e convidados O projeto Conversa Literária em parceria com a Cidade das Artes convidam o público para o bate-papo sobre o filme “A Família Dionti” com o diretor premiado, Alan Minas, e elenco: Bia Bedran, Alisson Minas e Ana Luiza Marques. Os atores Alisson Minas e Ana Luiza Marques falarão sobre a experiência de participar do filme, poético, bucólico que remete ao ambiente de Guimarães Rosa e Manoel de Barros. Filmado em Cataguases, Minas Gerais, o filme encanta por seu ritmo lento (em contraponto à correria das grandes cidades) e seus silêncios (em contraponto ao excesso de informação) que remetem a uma linguagem simbólica que requer um espectador atento aos preenchimentos de sentido do texto cinematográfico que engloba imagem e palavra. A contadora de histórias, arte-educadora, compositora, cantora e escritora Bia Bedran, estreia como atriz no cinema e também participa do bate-papo. A mediação da Conversa Literária será feita pelo educador e escritor, Fernando Arosa da Escola de Formação Paulo Freire. É sobre esta experiência “Cinema e Literatura” que a Conversa Literária vai acontecer na Cidade das Artes em 07 de junho de 2017, na sala de Cinema, das 15h às 17h. Vamos saber mais sobre este filme que encantou o escritor moçambicano Mia Couto. Idealização, Produção e Direção da Conversa Literária: Prof.ª Doutora Cintia Barreto   Entrada gratuita. Sorteio e venda do livro “A Família Dionti”. Sessão de autógrafos. Local: Sala de Ensaio 3 Horário: 15h às 17h [+] saiba mais Espetáculo “Arte Volante” – Grupo Arte Volante 03/06 Arte e Educação O grupo Arte Volante convida o público a participar de uma prática de jogos teatrais e assistir o espetáculo teatral homônimo "Arte Volante" que transita pelo universo brincante e é permeado por ditos populares através de diferentes histórias. O Grupo “Arte Volante” nasceu do desejo de quatro artistas em polinizar a Arte pelas ruas acreditando que o teatro realizado em vias públicas possibilita o contato com pessoas de todos os gêneros e idades, sem nenhuma distinção, ampliando assim a propagação da Arte como via de reflexão para nossa sociedade. Vamos ocupar o jardim da Cidade das Artes com muita alegria e diversão.   Local: Jardins da Cidade das Artes Horário: 15h Atividade gratuita. Classificação etária: livre   [+] saiba mais Sifuxipá | Show Beneficente 03/06 Música A Cidade das Artes apresenta: Sifuxipá, uma festa beneficente em prol do projeto "A Arte Salva" e do "Lar Maria de Lourdes".  O evento será realizado no dia 3 de junho, a partir de 14h. A iniciativa contará com a presença da cantora Barbara Dias, dos atores Caio Lucas Leão e Thales Calvancanti além de outros artistas com apresentações musicais e performances teatrais. A entrada custa R$ 20,00 e deverá ser comprada no local. Pagamento em dinheiro. Não perca!   [+] saiba mais Exposição Vicente de Mello | Utopia Lírica + Fugitivo 01/04 a 28/05 Artes Visuais Utopia Lírica Em Utopia lírica, quis desenvolver uma visão particular sobre a arquitetura e o urbanismo da cidade, como se o que já se conhece dela e o que é relembrado fossem as camadas que originam uma “transvisão” – não um desvio, e sim uma nova ordem: uma leitura subjetiva e atemporal. Brasília representou, para a fotografia, algo semelhante que foi para a arquitetura: um marco no modernismo fotográfico do país, que resultou em registros incessantes que logo levaram a certo desgaste imagético. Fotografei os lugares conhecidos e também os pouco comentados, como a torre de TV  projetada por Lucio Costa, os edifícios funcionais, militares e religiosos de Oscar Niemeyer, procurando encontrar uma fagulha que desencadeasse uma imagem vigorosa.   Fugitivo  Um farol náutico congelado é um projetor de cinema em transe, um facho continuo que projeta um só fotograma sem imagem, límpido e branco. Fugitivo é uma instalação dentro das práticas criada por Hélio Oiticica e Neville de Almeida, do QUASI-CINEMA que são experiências com o uso dos recursos cinematográficos ou referentes a ele.Velhos spots de fotografias reunidos em uma única torre, são refugos da memória física e da transformação das utopias.  A luz que atraem os insetos é a mesma que revela imagens fulgazes nas telas. A mesma que alerta e emociona. Do cinema vem a tridimensionalidades das latas de transporte de filmes de 70 mm, dos anos sessenta, latas que guardei por 36 anos a procura de uma nova significação. Nos espaços das latas para identificação dos filmes, imagens impressas de faróis náuticos em várias cromaticidades, referenciando  evolução das películas , do preto e branco ao magenta do esmaecimento dos Technicolors. Fugitivo se mimetiza a todos os espaços, de cubos neutros à espaços em estado de abandono. O grande deflagrador da instalação é que qualquer arquitetura se amalgama à obra,  em uma unidade própria das intervenções em espaços não programados ( cantos, quinas, porões, depósitos ...). O farol que guia para fora do perigo, é o mesmo que atrai, como a doce perversão do canto das nereidas, traiçoeiras para armadilhas mortais, como o cinema que inebria e transporta para universos efêmeros. [+] saiba mais Cohen Festival 19/05 a 28/05 Teatro Em sua quarta edição, o festival de teatro judaico da Zona Oeste do Rio de Janeiro, agora como COHEN Festival, traz para o público uma mostra de dança, música, performance, teatro em diferentes gêneros sempre com uma temática judaica. São atores, bailarinos, músicos, cantores, com espetáculos singelos mas portadores de nuances da cultura judaica. A comunidade judaica da Zona Oeste apesar de pequena torna-se expressiva enquanto fomentadores de arte. PROGRAMAÇÃO Dias 19, e 21 de Maio. 1ª Sessão: 15:00h   Espetáculo:  A Estrela Amarela Gênero: Teatro / Drama Classificação: 12 anos. Duração: 50min Encenação: COHEN.Cia – Companhia de Teatro    2ª Sessão: 17:00h        Espetáculo:  Lydio Gênero: Dança Contemporânea. Classificação: Livre Duração: 50min Execução: COHEN. Co – Companhia de Dança 3ª Sessão: 19h Espetáculo:  Lydio Gênero: Dança Contemporânea. Classificação: Livre Duração: 50min Execução: COHEN. Co – Companhia de Dança   Dias 26, 27 e 28 de Maio. 1ª Sessão: 15:00h   Espetáculo:  SurpresA Gênero: Teatro / Dança  Classificação: Livre. Duração: 50min Encenação: COHEN.Cia – Companhia de Teatro    2ª Sessão: 17:00h        Espetáculo:  AKEDAH Gênero: Mimica e Pantomima. Classificação: Livre Duração: 120min Encenação: COHEN. Cia – Companhia de Teatro.   3ª Sessão: 20:00h        Espetáculo:  AKEDAH Gênero: Mimica e Pantomima. Classificação: Livre Duração: 120min Execução: COHEN. Cia – Companhia de Teatro.   INGRESSO POPULAR Inteira: R$20,00 Meia: R$10,00   Compre seu ingresso: Dias 26 ,27 e 28 /05. Clique aqui!    Compre seu ingresso: Dias 19 e 21/05. Clique aqui!    Obs: Todos os espetáculos no horário das 15h são gratuitos para alunos da rede pública de ensino. [+] saiba mais Semana Mundial do Brincar - Arte e Educação 28/05 Arte e Educação   O Movimento BrincaCidade traz a Semana Mundial do Brincar para a Cidade das Artes.   Abrimos espaços para o brincar livre, com fim em si mesmo: Um brincar que inclui elementos não estruturados, mais próximo da natureza e que respeita a cultura da infância. Convidamos vocês para entrarem nesse ritmo com a gente, traga sua canga seus quitutes e venha participar de mais um piquenique colaborativo na praça!   Dia 28 de maio, das 11h00 às 15h00 – Na praça!    Local: Jardins da Cidade das Artes (o evento acontece mesmo com chuva). Atividade livre e gratuita. [+] saiba mais Atividade de Arte e Educação - Exposição Utopia Lírica | Vicente de Mello 27/05 Arte e Educação A atividade será uma visita guiada com o Vicente a sua exposição "Utopia Lírica" sobre o recorte fotográfico de Brasília. Após a visita o público será convidado a fotografar a Cidade das Artes com o olhar embasado na troca e conceito apresentado pelo Vicente. Cada participante deverá usar o seu próprio smartphone. Após os registros, cada participante escolhe sua foto favorita e a defende apresentando-a na televisão da Sala de Leitura. Essas imagens podem ser compartilhadas no Facebook da Cidade das Artes como registro da atividade. 30 vagas para maiores de 12 anos Obs: O participante deve trazer um smartphone ou celular que possa fotografar Inscrições pelo telefone 3325-0448 ou pelo e-mail saladeleitura@cidadedasartes.org   Vicente de Mello concilia investigações sobre elementos específicos da fotografia com questionamentos de caráter intimista. Possui ensaios sobre o corpo humano, paisagens, objetos e ambientes privados, mas seu interesse está voltado, sobretudo, para a luz, o tempo e a ideia de fragmentação.   [+] saiba mais Os opostos se atraem... 27/05 Dança “Os Opostos se Atraem” é um espetáculo de dança cuja montagem surgiu de uma criação coletiva utilizando diversas técnicas de teatro, ballet clássico e hip hop. Feita por jovens do projeto “Vidançar” apaixonados por dança, que se divertem em cena, contagiando a plateia ao levar diversão e entretenimento aos espectadores. Baseada no cotidiano dos alunos do projeto “Vidançar”, o espetáculo de dança que retrata as mais diversas situações do dia a dia.   É um espetáculo cômico de estereótipos dos dançarinos, divertido e bem humorado; contagiante por natureza. A história retrata o cotidiano de uma escola de balé clássico que recebe alunos de dança de rua, que não tinham local para realizar os ensaios. No início percebemos uma rivalidade entre os grupos, mas no desenrolar da história, encontram semelhanças e afinidades, constatando que “Os Opostos se Atraem!”   ENTRADA GRATUITA. [+] saiba mais Enfim, Sexta! 07/04 a 26/05 Música "Enfim, Sexta!" Toda sexta-feira uma apresentação gratuita pra você! Venha curtir o melhor da música brasileira. O projeto contará com a presença de artistas renomados da música brasileira, que se apresentarão todas as sextas-feiras ao longo do ano, a partir das 18h. O público poderá desfrutar de uma programação totalmente gratuita na Praça da Cidade das Artes, com grandes nomes da música. O projeto inicia na primeira sexta-feira do mês de abril. Inicialmente serão duas atrações a cada sexta, sendo uma atração principal e a segunda a definir.   Confira a programação já confirmada:   26/05 - Marcelinho Moreira, Tempero Carioca e Gabby Moura.       [+] saiba mais Nádia Figueiredo & Plácido, Juntos pelo Brasil 25/05 Música NÁDIA FIGUEIREDO & PLÁCIDO, ‘JUNTOS’, PELO BRASIL SOPRANO E BARÍTONO INICIAM A TURNÊ EM MAIO De um encontro mágico nas redes sociais, em 2014, às gravações de uma música e um videoclipe. Isso só podia render bons frutos e foi o que aconteceu. ‘Juntos’ é a turnê, no Brasil, que inicia no final de maio e vem para coroar a parceria entre o soprano brasileira, Nádia Figueiredo, e o barítono mexicano, Plácido, filho do famoso tenor, Plácido Domingo. A estreia será no dia 25, no Rio de Janeiro, no complexo cultural Cidade das Artes, onde vão receber como convidado especial, o renomado artista João Donato. Depois, eles se apresentam nos teatros Guaíra, em Curitiba (26/05); J. Safra, em São Paulo (01 e 02/06); Palácio das Artes, de Belo Horizonte (03/06); Castro Alves, em Salvador (10/06); Cine Teatro São Luiz, em Fortaleza (11/06); Santa Isabel, em Recife (15 e 16/06); Trianon, em Campos dos Goitacazes - RJ (22/06), entre outros locais ainda a confirmar. Acompanhados pelos músicos João Carlos de Assis Brasil (piano), Antón Caballo (violino), Alexandre Ito (contrabaixo) e Ary Dias (percussão), os artistas prometem emocionar com um repertório conhecido do grande público, com american standards, clássicos Italianos, franceses e um pouco de música brasileira. Além dos números solo de cada um, em ‘Juntos’, Nádia Figueiredo e Plácido farão dueto em seis canções: “The way you look tonight” (letra de Dorothy Fields e música de Jerome Kern), que foi a música escolhida por eles para gravar um clipe, lançado no ano passado, assista ao vídeo, além de “Garota de Ipanema” (Antônio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes), “Manhã de Carnaval” (Luiz Bonfá e Antônio Maria), “La vie en Rose” (letra de Édith Piaf e música de Louis Gugliemi), “Sous le ciel de Paris” (Hubert Giraud e Jean Drejac) e “Parla Più Piano” (letra de Larry Kusi e música de Nino Rota). “Já se passaram três anos desde a gravação do nosso primeiro dueto. Eu sempre tive o imenso desejo de cantar com o Plácido no Brasil. É um sonho que está se realizando e sou muito grata por ele ter confiado e acreditado em mim. Espero que todos gostem do que estamos preparando para essa turnê”, diz Nádia, que fez a sua primeira parceria com o barítono, em 2015, na gravação de “Lacrime D'inchiostro”, no estilo pop com vozes líricas. O primeiro encontro da dupla aconteceu no ano passado, quando Plácido esteve pela primeira vez no Brasil. Ele convidou o soprano para prestigiar a apresentação do seu pai no “Amazônia Live”, projeto socioambiental do “Rock in Rio”. “Me sinto muito feliz e com uma imensa alegria de visitar o Brasil novamente. Eu tive o prazer de colaborar com a Nádia em duas gravações e foi lindo o resultado. Agradeço a ela de todo coração pela confiança em mim e por ter me escolhido como parceiro profissional para uma maravilhosa turnê em seu país. Será uma experiência única e inesquecível”, comenta Plácido, que, além de cantor, também é compositor e produtor.   Artistas: Nádia Figueiredo – Mineira de Belo Horizonte, Nádia começou a cantar, aos 10 anos de idade e se dedica ao seu maior projeto, o "Ópera Lounge Music", onde faz uma homenagem a diversas culturas, países, povos e tradições. No repertório, canções interpretadas em latim, francês, hebraico, esperanto, inglês, russo, alemão, espanhol, hindi e italiano. Neste mês de maio, fará participações em quatro shows da turnê “Europa 2017", do cantor Daniel. Em Portugal, ela estará nos dias 01, no Porto, no Coliseu, 03, no Cassino de Figueira da Foz, e 04, no Coliseu de Lisboa, e 07, no Indigo at The 2, na cidade de Londres, na Inglaterra. Cada vez mais, tem conquistado seguidores fazendo com que os seus projetos se tornem uma espécie de tratado musical internacional, dando voz e levando mensagens de amor e união com a sua "nova música". Em 2013, participou de uma cena da novela “Amor à Vida”, da TV Globo, onde cantou uma aria da ópera “Paride ed Elena”, chamada “O del mio doce ardor”, de Christoph Willibald Von Gluck. Também gravou uma canção do premiado maestro e pianista americano, Joel Spiegelman, que regeu para o ex-presidente da Rússia, Michael Gorbachov. A suaexpressiva voz ecoa pelo mundo e atrai o interesse de grandes mestres da música erudita mundial, como Plácido Domingo. O soprano também é comendadora. Recebeu a Medalha maestro Carlos Gomes, no ano passado, e vai receber, ainda nesse mês de abril, a Medalha de Cinquentenário das Forças Internacionais de Paz da ONU. Plácido – Natural da Cidade do México, o barítono se apaixonou pela música desde cedo. Já compôs músicas para grandes artistas, como o próprio pai, Plácido Domingo, Sarah Brightman, Luciano Pavarotti, Diana Ross, Tony Bennett, entre outros. Em 2010, Plácido fez a sua estreia como cantor, em parceria com o premiado produtor e ganhador do Grammy, Juan Cristobal Losad, no EP “Songs for Christmas / Canciones de Navidad”. Em 2016, apresentou o show "Plácido na Alma", diante de 65 mil pessoas, no Estádio Santiago Bernabeu, em Madrid, na Espanha, onde na cidade de Zamora, no mesmo ano, dividiu o palco com Montse e Cecilia, filhas do famoso casal de soprano Montserrat Caballe e Teresa Berganza. [+] saiba mais Duo Santoro – Lançamento do CD 21/05 Música Duo Santoro lança seu segundo CD  na Cidade das Artes, domingo, 21 de maio. Com participações especiais de Cristina Braga (harpa), José Staneck (harmônica) e Ana Letícia Barros (pandeiro), "Paisagens Cariocas" reúne obras da MPB e da música clássica para dois violoncelos escritas por compositores que se inspiraram no Rio de Janeiro, como Tom Jobim, Ernesto Nazareth, Ronaldo Miranda, Ricardo Tacuchian e Sergio Roberto de Oliveira, que também assina a produção do CD. O Duo Santoro lança seu segundo CD, mais um documento representativo de suas quase três décadas de serviços prestados à música brasileira. A par de sua qualidade técnica e musical, o trabalho ininterrupto desses dois irmãos gêmeos, Ricardo e Paulo, representa uma contribuição inestimável para o escasso, quase inexistente, repertório brasileiro para essa formação antes do início de sua brilhante carreira em 1990. Atualmente esse repertório é enriquecido por dezenas de obras de compositores brasileiros, a eles dedicadas, algumas registradas no primeiro CD, outras reunidas neste segundo, além de transcrições do próprio Duo, elaboradas com perfeita adequação às sonoridades específicas do violoncelo. Outros CDs do excelente Duo Santoro, incansáveis na divulgação da música brasileira, certamente se seguirão com a continuidade desse trabalho benemérito e de excelência musical dessa rara formação instrumental. Edino Krieger PAISAGENS CARIOCAS por Arthur Dapieve Depois da ótima acolhida de crítica e público a Bem Brasileiro, o Duo Santoro resolveu ser ainda mais específico em termos geográficos no título deste seu segundo CD, Paisagens Cariocas. Se no trabalho lançado em 2013 cabiam peças para dois violoncelos escritas por brasileiros nascidos na Alemanha, na Argentina e na Polônia, “ser carioca” sempre foi uma cidadania afetiva. Portanto, nenhum dos doze compositores aqui presentes foi escolhido por ter nascido ou vivido no Rio e sim por refletir aspectos da cidade, de seus habitantes ou, até, da própria família Santoro. É assim que o CD se abre com a primeira de duas homenagens ao luthier Sandrino Santoro, italiano de nascimento, carioca por adoção, pai dos gêmeos Ricardo e Paulo Santoro, membros da Orquestra Sinfônica Brasileira. O contrabaixista Adriano Giffoni, natural de Quixadá, no Ceará, escreveu Sandrino no Choro para o seu instrumento – o mesmo de Sandrino – e um piano. A peça foi gravada pela primeira vez em disco próprio. Sua vocação popular, que evoca Noel Rosa, aqui tem um arranjo para dois violoncelos, feito pelo próprio Giffoni. Outro caso de carioquice honorária é o de Oswaldo Carvalho, violinista e autor da suíte que dá título ao CD, Paisagens Cariocas. Ele é natural de Goiânia e radicado no Rio. Ricardo e Paulo optaram por gravar três de seus quatro movimentos: Estação Candelária, Estação Arcos da Lapa e Estação Feira de São Cristóvão. Um lança mão de elementos modais e atonais para espelhar o caos de todo dia no centro da cidade, outro mistura lundu e jazz para falar da malandragem local, e o terceiro abraça o baião num quase moto perpétuo. A suíte é, ainda, a primeira das seis obras no CD dedicadas ao Duo Santoro. Num corte deliberado, há um clima espiritual no arranjo de Ricardo Medeiros para Dindi, de Tom Jobim, no qual os gêmeos contam com a participação da harpista Cristina Braga. É a ela que cabe abrir a faixa, criando uma espécie de névoa sonora da qual “emerge” a melodia, como o vento afastando a bruma do Cristo Redentor num inverno do Rio. O carioca Ronaldo Miranda contribui com outra peça dedicada ao Duo Santoro, Diálogos, de dois movimentos complementares, Preâmbulo e Desafio, um tenso, contrapontístico, o outro impetuoso, homofônico. O CD Paisagens Cariocas segue assim até o final: diluindo fronteiras entre o clássico e o popular, entre o universal e o local. Em arranjo de David Ganc, escuta-se Misturada, composição do cantor paraibano Geraldo Vandré e do percussionista catarinense Airto Moreira que faz pensar num épico nordestino, tal o vigor de suas arcadas e de seus pizzicati. Heitor Villa-Lobos, que tão bem escreveu para violoncelo, comparece com Melodia Sentimental, na qual o Duo Santoro recebe o gaitista José Staneck. O nome da peça diz quase tudo. Sentimental, sim, mas também grandeza nesse sentimentalismo, tão brasileiro, tão carioca, como o próprio Villa. Outro compositor nascido no Rio, Sergio Roberto de Oliveira, produtor do CD, oferta já a partir do título uma música em três movimentos ao Duo Santoro, Aos Santos Oro. As preces do compositor buscavam forças para superar um momento difícil, inclusive em termos de saúde. Logo, Fughetta, Oração e Júbilo apelam tanto às conexões divinas de Bach quanto à euforia sensual do frevo para a obtenção de uma cura completa. É interessante como a obra se articula com um “standard” da música carioca, no qual os irmãos se fazem acompanhar pelo pandeiro de Ana Letícia Barros: o tango brasileiro Brejeiro, de Ernesto Nazareth. A naturalidade tem sequência em Pedro e Marcela, peça de Dimitri Cervo, gaúcho de Santa Maria, uma cinematográfica cantiga de ninar que leva os nomes dos filhos dos irmãos Santoro. Ou em Mosaicos II, de Ricardo Tacuchian, parte de um ciclo inspirado nas artes visuais e escrito para diversas formações. Composto originalmente para dois violinos, o trabalho especula sobre a relação entre parte e todo em passagens sombrias e contrastantes. Vem, então, outro “standard” carioca, o choro Brasileirinho, de Waldir Azevedo, que de novo conta com Ana Letícia no pandeiro. Para um encerramento simétrico, Paisagens Cariocas tem outra homenagem ao pai dos irmãos Santoro, A Bênção, Sandrino, escrita por Leandro Braga, natural de São José dos Campos, estado de São Paulo. A obra possui uma espinha bonachona que se abre, aqui e ali, para episódios mais introspectivos. De certa forma, essa mesma alternância vale para o conjunto do CD: há muita alegria de tocar e bocados de reflexão musical. [+] saiba mais Cintia Barreto Cidade dos Contos | Oficina de Literatura Infantil e Juvenil 25/04 a 16/05 Arte e Educação O projeto “Cidade dos Contos” é uma parceria da cidade das Artes com a “Belazarte Realizações Artísticas” e apresenta na sala de leitura da Cidade das Artes, umaprogramação de apresentações literárias, palestras, oficinas de formação e aprimoramento de contadores de histórias, professores, agentes de leitura e amantes da palavra, escrita e falada.  Oficina de Literatura Infantil e Juvenil Panorama histórico da Literatura Infantil Brasileira. Fábulas, Contos de Fadas e Poesia: tradição e contemporaneidade. Aspectos da Literatura para Crianças. Principais temas, autores e ilustradores. A Lei 11.645/08: sugestões de livros de temáticas africanas e indígenas. Elaboração de plano de aula com livros infanto-juvenis. Confecção de livros artesanais.   Inscrições: saladeleitura@cidadedasartes.org ou 3325-0448  Exclusivo para professores, bibliotecários e agentes de leitura. ​50% de desconto para professores da rede municipal.  Mínimo de 8 pessoas para a realização do curso.  Capacidade: 30 vagas [+] saiba mais As Quatro Estações Portenhas | Johann Sebastian Rio | Domenico Nordio 13/05 Música Orquestra Johann Sebastian Rio e o premiado violinista italiano Domenico Nordio homenageiam Astor Piazzolla com uma noite portenha na Cidade das Artes - 13 de maio, sábado   A Orquestra Johann Sebastian Rio traz novamente ao Brasil o violinista italiano Domenico Nordio como solista convidado do concerto que acontece no dia 13 de maio, sábado, na Cidade das Artes. Eles apresentam As Quatro Estações Portenhas (1965-1970), do compositor argentino Astor Piazzolla (1921-1992) - originalmente criada para violino, guitarra elétrica, piano, baixo e bandoneón.   A obra é dividida em quatro: Verão Portenho (1964), Outono Portenho (1969), Primavera Portenha e Inverno Portenho (1970). A peça não foi criada a princípio como uma suíte em quatro movimentos, mas é apontada frequentemente como um contraponto moderno da célebre As Quatro Estações, de Vivaldi.  O termo ‘portenho’ refere-se à cidade de Buenos Aires, na qual Piazzolla se estabeleceu a maior parte da vida e absorveu suas principais referências musicas ligadas ao tango e ao clássico - que mesclou aos elementos de jazz trazidos do tempo em que viveu em Nova York.   "Escolhemos Piazzolla porque é um grande compositor que transita entre o clássico e o popular e essa característica também é uma marca registrada da Johann. Teremos novamente o prazer em receber um dos melhores violinistas da atualidade, o Domenico Nordio. Ele esteve aqui no ano passado e gravou com a gente o vídeo A Primavera Portenha, que está no nosso canal no YouTube. Agora o público terá a oportunidade de ouvir As Quatro Estações Portenhas na íntegra, em um local com uma das melhores acústicas da América Latina, a Sala de Música de Câmara da Cidade das Artes," comenta o violinista, maestro e diretor artístico da orquestra Felipe Prazeres.   O concerto integra o projeto de temporada da Johann Sebastian Rio patrocinado pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e empresa Rio Galeão, através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.   [+] saiba mais