Fundação Cidade das Artes

Memoria

Memória

A Fundação Cidade das Artes é um espaço concebido para abrigar múltiplas atividades artísticas, como exposições, apresentações de dança, teatro e música. Este complexo cultural também é utilizado para palestras, oficinas, congressos, conversas com autores, lançamentos de livros e outras atividades de formação cultural e artística.

Os eventos que ocorrem neste espaço são filmados e fotografados para que todos os interessados possam ter acesso, através deste site, ao histórico de programação da Cidade das Artes e os programas das peças podem ser pesquisados na Sala de Leitura, local onde serão preservados todos os materiais impressos relacionados à programação.

Eventos Passados

Sambas & Histórias | Nelson Sargento e Paulão 7 Cordas 12/11 Música Sambas & Histórias - Nelson Sargento e Paulão 7 Cordas Participação Especial de Soraya Ravenle Nelson Sargento e seu parceiro de longa data Paulão 7 Cordas, irão contar e cantar a história do samba, através de histórias e composições que Sargento e Paulão vivenciaram ao longo de suas vidas e convivências com mestres como Cartola, Nelson Cavaquinho, Clementina de Jesus, Zeca Pagodinho, tendo sido testemunhas das transformações que o samba sofreu. O talk show com Nelson e Paulão, soltando suas vozes, trará́ sambas antológicos e histórias preciosas, tendo em vista que ambos viveram e vivem suas vidas dedicadas ao gênero, quando tirarão do baú́ várias histórias que vivenciaram ao longo desses anos todos. Canções e histórias, envolvendo ícones como Cartola, Nelson Cavaquinho, Zeca Pagodinho, dentro outros estarão presentes no show. No repertório podemos destacar “Ciúme Doentio “de Nelson Sargento com parceria de Cartola, e "Realidade" de Nelson Cavaquinho, interpretada por Paulão, uma obra primorosa quase desconhecida.   [+] saiba mais Domingueira do Carlinhos 12/11 Festa DOMINGUEIRA DO CARLINHOS  Baile com Carlinhos de Jesus e Rio Orquestra Show O  primeiro baile foi um sucesso, se você perdeu, já  deixa anotado que vêm segunda edição por aí!  Dia 12/11 a partir das 18h, na esplanada da Cidade das Artes! Quatro horas de pura dança. O Mestre da dança, Carlinhos de Jesus, está de volta com o seu tradicional baile em um domingo feito para todos os amantes da dança e da boa música! ​Iniciamos com um aulão e em seguida começa o baile​, que contará com a performance da Rio Orquestra Show e com os bailarinos da companhia do Carlinho de Jesus, ensinando e acompanhando o público para não deixar ninguém perder o ritmo. Dançar não tem segredo. A dança de salão requer, acima de tudo, muita empolgação e força de vontade. Chame o seu par e venha! E se não tiver? Venha mesmo assim que aqui não vai faltar!   Para maiores informações acesse cidadedasartes.org ou ligue para 3325-0448.   ENTRADA GRATUITA. [+] saiba mais O Tempo é Só Uma Questão de Cor 06/10 a 12/11 Teatro O tempo é só uma questão de cor O espetáculo “O tempo é só uma questão de cor” apresenta ao público contos, crônicas e fragmentos de textos diversos de Caio Fernando Abreu. As histórias e situações levadas para cena abordam temas como o amor, as dificuldades dos relacionamentos afetivos em suas diversas formas, a falta de comunicação entre as pessoas e a solidão do homem contemporâneo. Textos que traduzem com emoção, humor e reflexão o universo do escritor que foi e ainda é um dos autores mais apreciado e consumido, não só através de seus livros como também através de sites e blogs que habitam o mundo virtual, principalmente das novas gerações que “descobriram” a prosa, o pensamento e a crítica de Caio Fernando Abreu, com o qual se identificam totalmente. A pesquisa, seleção dos textos e dramaturgia final foi realizada pelo diretor do espetáculo Antonio Gilberto, que com a parceria de Mauricio Silveira, mergulhou no universo de Caio trazendo para o público temas e situações de uma literatura viva, emocionante , instigante, atual, que nos convida a uma reflexão sobre a nossa existência nesses difíceis tempos que vivemos. Mas Caio nos lembra que o “tempo é só uma questão de cor” e que na vida, que precisa ser vivida, tudo passa... Com este trabalho o diretor Antonio Gilberto dá continuidade a sua pesquisa trazendo novamente para a cena textos literários (sem adaptação teatral) que são apresentados ao público, através da atuação de um único ator, como narrativas (realizadas por um “narrador” ou por um “personagem”) e também como dramatizações (de situações e conflitos criados pelos personagens). Os textos reunidos são de obras distintas e independentes, mas a partir da dramaturgia realizada, da concepção do espetáculo e da atuação de Maurício Silveira, podemos supor que formam uma única história. História que termina com um diálogo do ator/narrador/personagem com os espectadores.   O Autor Caio Fernando Abreu (Santiago do Boqueirão, RS, 1948 - Porto Alegre, RS, 1996). Contista, romancista, dramaturgo, jornalista. Muda-se para Porto Alegre, em 1963. Publica seu primeiro conto,O Príncipe Sapo, na revista Cláudia, em 1963. A partir de 1964 cursa Letras e Arte Dramática na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mas abandona ambos os cursos para dedicar-se ao jornalismo. Transfere-se para São Paulo em 1968, após ser selecionado, em concurso nacional, para compor a primeira redação da revista Veja. Seu talento de escritor foi logo reconhecido com o prêmio da União Brasileira de Escritores a seu primeiro livro de contos, Inventário do ir-remediável (1970). Na década de 70 morou no Rio de Janeiro, em Estocolmo e em Londres. Voltou a São Paulo em 1981, onde atuou como jornalista, escritor e editor de livros. Escreveu as seguintes obras: Inventário do Irremediável (1970), O Limite Branco (1971), O Ovo Apunhalado (1975), Pedras de Calcutá (1977), Morangos Mofados (1982), Triângulo das Águas (1983), As Frangas (1988), Os Dragões não conhecem o Paraíso (1988), Onde andará Dulce Veiga (1990), Ovelhas Negras (1995) e Pequenas Epifanias (1996). Por seu trabalho literário, recebeu os prêmios Fernando Chinaglia (1970), Status (1980), Prêmio Jabuti da Câmara Brasileira do Livro (em 1984 e 1989), e seus textos foram traduzidos para diversas línguas.   O Diretor Antonio Gilberto, diretor, pesquisador e produtor teatral, formou-se em Artes Cências/Direção Teatral na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e em Psicologia na PUC/RS. Estreou profissionalmente em 1984 , na cidade do Rio de Janeiro, como Assistente de Direção de Domingos Oliveira no espetáculo "Irresistível Aventura", produzido e protagonizado pela atriz Dina Sfat. Realizou a produção executiva da excursão nacional dos espetáculos "Irresistível Aventura", "De Braços Abertos", "Meno Male!", "Uma Relação Tão Delicada", “Desejo”, "Apareceu a Margarida" e "A Dama do Cerrado". Idealizou e foi curador de vários Ciclos de Leituras e Simpósios nacionais e internacionais sobre a vida e a obra de autores como Goethe, Schiller, Gogol, Dostoiévski, Tolstói e Nelson Rodrigues. Dos espetáculos que dirigiu destacam-se: "Cabaret Valentin", "Como Se Fosse a Chuva" (Prêmio IBEU de Melhor Diretor de 1997), "Credores", "Werther", "Um Brinde Ao Teatro" (espetáculo que inaugurou a Caixa Cultural no RJ), "Federico García Lorca - Pequeno Poema Infinito", "Contando Machado de Assis", "Maria Stuart", "A Esposa e a Noiva" e “Carta ao Pai” (Apresentado em 2015 no FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica na cidade do Porto/Portugal). Publicou pela Coleção Aplauso/Imprensa Oficial/SP, as fotobiografias "Dina Sfat- Retratos de uma guerreira", Ítalo Rossi, Isso é Tudo" e "Ziembinski, Mestre do Palco", e o roteiro teatral "Federico García Lorca - Pequeno Poema Infinito", em parceria com José Mauro Brant. Como gestor cultural foi diretor do Centro de Artes Cênicas da Funarte/MinC no período de 2003 a 2006 e 2011 a 2014.   O Ator Mauricio Silveira, nascido na cidade do Rio de Janeiro, em 1977, formado pela Faculdade de Publicidade e propaganda UNAERP (Universidade de Ribeirão Preto) e como ator pela CAL (Casa das Artes de Laranjeiras). No teatro participou dos seguintes trabalhos: Os Meninos da Rua Paulo (2001/ (Texto: Ferenc Molnár /Dir.: Francis Mayer) Sinfonia Metástase (2000 Texto e Direção: Roberto Alvim Cabral, que Cara de Pau! (2004/Teatro infantil/Texto: Gedivan de Alburquerque/Direção: Nico Theron) Sonho de uma noite de São João (2009/Texto e Direção: Anderson Cunha) Maria Stuart (2009/ Texto: Friedrich Schiller. Direção: Antonio Gilberto) Pulando a Cerca (2013/2015 Texto: Maurício Silveira/ Dir.Bemvindo Sequeira) Senhorita Julia e a despedida de si mesma (2014/ Texto: Beto Bellini Direção: Heitor Saraiva e Beto Bellini) Na Televisão participa na TV Globo das seguintes novelas: Paraíso Tropical (2007/Nov. de Gilberto Braga e Ricardo Linhares) Sete Pecados (2007/08/ Novela de Walcyr Carrasco) Insensato Coração ( 2011/Novela de Gilberto Braga e Ricardo Linhares) Trabalha também em outras emissoras: Preamar (HBO 2012/série) Os Mutantes: Caminhos do Coração (TV Record/2009/Nov.Tiago Santiago) Balacobaco (TV Record 2012/13/Novela de Gisele Joras) No cinema participa dos filmes: Vereda Tropical (Argentina/Brasil, 2004/Direção: Javier Torre) Bem Casados (2014/Direção: Aluizio Abranches), Solteira Quase Surtando (2016/Direção: Caco Souza) Memórias da Maré (2015/curta metragem/Roteiro e direção: Thais Drassinower) Participou como ator de várias campanhas publicitárias onde destacam-se os comerciais para Banco Itaú, Cerveja Antártica, Chevrolet, LG, Vivo, Brasas, Banco Bradesco, Brahma e Barra Shopping     Direção de Produção Bárbara Montes Claros 2017.2 – Produtora do espetáculo Passional e O tempo é só uma questão de cor. 2017- Produtora Executiva da IV Mostra Petrobras Premmia de Teatro, do Espetáculo Ivanov e do espetáculo A Guerra Não tem Rosto de Mulher. 2016- Produtora Executiva do espetáculo “Entre Corvos”. 2015 - Assistente de produção na V Semana do Patrimônio Fluminense, em Quissamã, produtora executiva da Mostra de Teatro Panorama Petrobras Distribuidora de Cultura Rio de Janeiro e Campinas, de março a julho e da Ocupação do Teatro Dulcina "Dulcina em Foco", de agosto a setembro.Produtora Executiva do espetáculo “Closer”. 2014 –Assistente de produção do espetáculo "A Estufa", de Harold Pinter, com direção de Ary Coslov. 2013- Produtora Executiva da Mostra de Teatro Panorama Petrobras Distribuidora de Cultura.,São Paulo - Novembro a Março. Produtora Executiva do espetáculo “Fish & Chips ou o que eu vim fazer aqui?”, 2013– Produtora Executiva na Ocupação do Teatro Dulcina de abril a novembro. Produtora Executiva da Mostra de Teatro Panorama Petrobras Distribuidora de Cultura. Rio de Janeiro. 2012 – Trabalhou como assistente de produção do espetáculo “Pinteresco”, direção Ary Coslov, assistente de produção do espetáculo português “Dona Maria a louca”, assistente de produção do Espetáculo “Eu é um Outro”, assistente de produção do espetáculo “A Carpa”, estagiária de direção da peça "Adeus À Carne", direção Michel Melamed 2011/2- Trabalhou na produção da temporada do Rio de Janeiro da companhia Théâtre Du Soleil no espetáculo "Naúfragos da Louca Esperança" com direção de Ariane Mnouchkine. [+] saiba mais Locanda Delle Fate 11/11 Música Locanda delle Fate - Turnê 2017 O ano de 2017 marca os 40 anos do álbum “Forse le lucciole non si amano più”. Um álbum que é considerado uma obra prima no cenário mundial e uma peça mestra do Rock Progressivo Italiano de todos os tempos, e também uma das maiores representatividades da escola italiana de Rock Progressivo. Lançado em 1977, pelo selo Polydor, com a produção de Niko Papathanassiou, irmão do famoso Vangelis.   Para celebrar a ocasião, a banda Locanda delle Fate faz uma turnê especial, pois é uma turnê em comemoração aos 40 anos do referido álbum, mas também uma despedida a todos os seus fãs. De fato, BRASIL 2017 – LOCANDA DELLE FATE FAREWELL TOUR será a última chance de ver a banda em palco. E, a primeira vez que vem ao Brasil e à América Latina.   O Locanda delle Fate sobe ao palco no teatro de câmara da Cidade das Artes, no dia 11 de novembro às 20 horas, para presentear a todo que estiverem no espaço cultural, levando na memória o show e sendo marcante para a história do Rock Progressivo brasileiro.   Além de todo repertório do Forse le lucciole non si amano piu, a banda tocará outros trabalhos trazendo os álbuns “Homo Homini Lupus” e “The Missing Fireflies”. Além disso, complementando o show, apresentará algumas peças não gravadas até hoje. Uma bela, única e grande celebração a todos os fãs presentes no show do Locanda delle Fate.   A formação atual do Locanda delle Fate: Leonardo Sasso - Voz Luciano Boero - Baixo Max Brignolo - Guitarra Giorgio Gardino – Bateria Maurizio Muha – Piano, teclados e moog Oscar Mazzoglio – Teclados [+] saiba mais Espetáculo "Sim" Festival Panorama 10/11 Festival Panorama Num espaço cênico construído por 500kg de pedras britas e um imenso painel fotográfico da mata atlântica, cinco bailarinos criam a peça em tempo real, com foco no fluxo de movimento ininterrupto, povoando o espaço de imagens e movimentos, tempos e deslocamentos, numa experiência de encontros e materialidade. O núcleo key zetta e cia. nasceu do encontro entre os diretores Key Sawao e Ricardo Iazzetta, parceiros artísticos desde 1996, no sentido de criar um espaço que possa agregar outros artistas colaboradores em torno de propostas e criações, viabilizando diálogos e pesquisas de linguagem com foco no pensamento em dança e outras territorialidades. [+] saiba mais Video Games Live 05/11 Música VIDEO GAMES LIVE™, A EMOÇÃO DA MÚSICA E DO MUNDO FANTÁSTICO DOS GAMES EM UM SÓ LUGAR. O evento que une orquestra com música de games num show de vídeo e luzes que foca em celebrar a cultura gamer, vem para mais um tour no Brasil.   Capitaneado pelo influente compositor de trilhas para games Tommy Tallarico (Eartworm Jim, MDK, Metroid Prime 2 e mais de 200 jogos), chega ao seu décimo segundo ano de Brasil com uma Tour fantástica trazendo pela primeira vez no Brasil o compositor Marty O’Donnell, clássico compositor dos temas clássicos da franquia Halo e do primeiro jogo da franquia Destiny.   Além do convidado especial a Vídeo Games Live segue com seus grandes clássicos, novos temas que fazem da VGL o maior espetáculo de música de games do mundo, viajando os 4 cantos do mundo anualmente.   Além do retorno a Cidade das Artes o Tour 2017 vai passar por diversos outros estados do Brasil. Uma experiência completamente nova e original para famílias, fãs ou apenas curiosos do mundo dos games. Um evento conceito de imersão que reúne o mundo da música dos games mais populares com a presença ao vivo de orquestra sinfônica, coro, solistas, vídeos exclusivos, arranjos musicais, iluminação sincronizada, percussionistas eletrônicos, ação ao vivo e momentos reais de interação, fantasia e entretenimento explosivo. Este é o Video Games Live™ (VGL), que chega à sua edição comemorativa de 10 anos. “Queremos provar que música dos games não é só blip blop, em referência aos sons de aparelhos mais antigos, e sim a ópera do século XXI”; explica Tommy Tallarico, compositor veterano da indústria mundial dos videogames e responsável pela série de concertos. O intuito é de encorajar e apoiar a cultura e arte dos jogos eletrônicos, apresentando músicas de mais de 50 títulos. Cada segmento é apresentado com imagens e vídeos projetados, iluminação sincronizada e momentos interativos entre os personagens dos games e o público, mais do que um show de música, a Video Games Live é uma celebração da cultura dos videogames.   A experiência, que agrada a toda família, mesmo os que não são familiarizados ao mundo dos games, começa logo na entrada da casa, com competições musicais e outros games interativos, e segue também após o espetáculo, quando todo o público tem a oportunidade de confraternizar com os compositores das trilhas dos games. Em todos os anos o evento conta com o convidado especial que vem pela primeira vez ao Brasil. Este ano traremos Marty O’Donnell, compositor da clássica trilha sonora do jogo Halo e do jogo Destiny, a Orquestra Sinfônica Villa Lobos e ainda outras surpresas que serão divulgadas posteriormente no website oficial do Tour nacional http://www.videogameslive.com.br.       Tommy Tallarico Tommy Tallarico (www.tallarico.com): É um dos maiores compositores de game music do mundo (compôs trilhas para 275 games, como Tony Hawk Pro Skater, Spider Man, Earth worm Jim, Unreal, Mortal Kombat, e Time Crisis) e está no Guiness Book of World Records – Gamer´s Edition. Tommy também é o fundador e presidente da Game Áudio Network Guild – G.A.N.G (www.audiogang.org), organização sem fins lucrativos que tem o objetivo de promover a excelência nas trilhas dos jogos eletrônicos e palestrante no TED, onde fala sobre a cultura dos videogames.   http://www.tallarico.com/index.php?s=biography http://videogameslive.com/gallery/v/Team/ http://videogameslive.com/gallery/v/flyers/   Orquestra Sinfônica Villa-Lobos Comandada pelo maestro Adriano Machado, é conhecida por seu repertório variado, que vai do popular ao erudito sem perder a excelência no trabalho e execução das obras. Mescla grandes obras do repertório internacional com os grandes compositores da música popular, trazendo sempre o melhor da música instrumental sinfônica. Mais em: www.videogameslive.com.br | www.facebook.com/gamemusicbrasil   Serviço: VIDEO GAMES LIVE   05/11 Cidade: Rio de Janeiro Local: Cidade das Artes Endereço: Av. das Américas - 5300 - Barra [+] saiba mais Workshop Afro Zuumba Solidária 04/11 Dança  Descrição: A dança é uma forma de expressar sentimentos e gerar boa energia. O objetivo do workshop é reunir dança e solidariedade. Será ensinado no workshop uma coreografia específica no ritmo da Afro Zuumba. Em contrapartida, os participantes estarão colaborando com projetos sociais atuantes na cidade do Rio de Janeiro. O evento terá cobertura audiovisual e o material será amplamente divulgado principalmente nas redes sociais. As pessoas que não puderem comparecer também podem contribuir comprando o ingresso e oferecendo a alguém, doando alimentos. A Afro Zuumba Solidária é uma iniciativa para fortalecer ações sociais através da dança. Dançar também é ser parte de uma transformação social. Sobre o professor Yemi: Prof Yemi, da African Pride Company, é nigeriano e tem trabalho com afrozuumba há 3 anos na cidade do Rio. Com vasta experiência em exercícios aeróbicos, ritmos afro, hip hop, ritmos afro latinos como salsa e merengue. Também é diretor dança profissional, diretor de arte e produtor de eventos. Para ele a dança é o elixir da vida, capaz de curar fisicamente e emocionalmente as pessoas, proporcionando bem estar para todas as idades.   Inscrições e Informações através do E-mail: orgulhodaafrica@gmail.com   Facebook Page: @streetdancenarua   Forma de pagamento: Presencial - no dia da aula [+] saiba mais Mercado Editorial 10/10 a 31/10 Cursos “MERCADO EDITORIAL” CIDADE DAS ARTES Coordenação: Cintia Barreto & Mônica Maia   PROGRAMA Aula 1: Mercado Editorial: como funciona?  – Mônica Maia Editora-executiva com atuação em empresas como Record, Intrínseca e Rocco, Mônica explica as engrenagens do mercado: a lógica comercial e de marketing que produz os best-sellers contemporâneos; aborda as articulações editoriais e econômicas que possibilitaram a formação dos novos consumidores de livros no Brasil; analisa a explosão das tiragens nacionais a partir dos anos 2000; o novo patamar de qualidade editorial, gráfica e mercadológica, a rentabilidade e difusão da indústria do livro nacional. Aborda a estrutura de pequenas, médias e grandes editoras; os e-books e a auto publicação; novas mídias e autores das redes sociais. Analisa o impacto da crise econômica para editoras, livrarias e profissionais do livro. Mestre em Media Studies/Centre for International Journalism Studies-University of Wales no Chevening Awards/British Council, especializada em Publishing Mangement/FGV-RJ. É professora da Pós-graduação em Edição e Gestão Editorial do NESPE - Núcleo de Estudos e Políticas Editoriais/USU.   Aula 2: Formação de catálogo – Maria Amélia Mello Como é feita a escolha de autores e livros nacionais e estrangeiros?  Maria Amélia Mello, editora de autores do porte de Ferreira Gullar e Ariano Suassuna na lendária editora José Olympio, é uma mestra no garimpo de jóias literárias e na gerência de obras de escritores consagrados. Com mais de 30 anos entre os livros, agora tem seu talento a serviço do Grupo Editorial Autêntica – marca mineira de sofisticação e arrojo editorial, que supreendeu o mercado e os leitores com diversidade e qualidade.   Aula 3: Agentes Literários – Marianna Teixeira Soares Como trabalham aqueles que vendem, defendem e zelam pelos escritores e suas obras; gerenciam seus interesses dos herdeiros de grandes autores? Como apresentar ou reposicionar o trabalho de um escritor no mercado? Fundadora e gestora da MTS Agência Literária, Marianna Teixeira Soares, com sua celebrada expertise e foco em ficção brasileira, é conhecida como “a agente dos novos autores nacionais”. Representa mais de 30 escritores e atua na venda de direitos autorais de livros para cinema, televisão e mini séries. O que faz um agente literário? Como é a relação deles com jornalistas, editores, representantes de editoras internacionais, diretores e produtores de áudio visual? Qual é a repercussão da literatura brasileira no exterior? Como é a inserção, os resultados comerciais e a divulgação de traduções de obras de autores nacionais? O livro brasileiro ‘viaja’ bem? Como um agente literário “vende” os seus autores para as editoras estrangeiras?   Aula 4: Literatura Infantil e Formação de Leitores - Cintia Barreto Cintia é Doutora em Literatura Brasileira (UFRJ), Diretora do Projeto “Conversa Literária” que acontece na Cidade das Artes. É Professora de Literatura Brasileira em Cursos de Graduação e Pós-graduação. Professora de Língua Portuguesa no Colégio Estadual André Maurois há mais de 15 anos. Ministra Cursos de Formação de Professores e tem artigos em revistas e livros especializados. É co-autora do livro Literatura infantil e juvenil na prática docente (Editora Ao Livro Técnico, 2010). Em sua aula, tratará do panorama da leitura literária no Brasil, características e qualidade em literatura infantil. A literatura para crianças e a sociedade contemporânea, o humor na literatura infantil, texto e ilustração: autores e ilustradores que estão fazendo a literatura hoje. Projetos e práticas de formação de leitores.   Aula 5: Literatura Juvenil, Terror e YA – Rosa Amanda Strausz Com obras publicadas na França, China, Chile e Portugal; dois Prêmios Jabuti e outros da FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil), Rosa Amanda tem três filhos e é um caso de autora que “vive do que escreve”, já escreveu e planeja escrever. Tem mais de 20 livros publicados e adotados em escolas públicas e particulares. Uolace e João Vitor foi adaptado pela TV Globo na série “Cidade dos Homens”, com direção de Fernando Meirelles. Sete ossos e uma maldição conquista adolescentes e jovens com suas histórias de terror de arrepiar. Além disso, Rosa faz coaching literário e também ensina adultos a lidar com imaginação & redação em suas oficinas de escrita criativa.   Aula 6: Divulgação de autores em feiras, bienais do livro, eventos literários & assessoria de comunicação – Valéria Martins  Jornalista e diretora da Oasys, empresa especializada em divulgação e agenciamento de autores, Valéria Martins trabalhou na editora Campus/Elsevier e no Grupo Editorial Record. Representa mais de 70 autores com foco em eventos literários e divulgação. José Eduardo Agualusa; Stella Maris Rezende; Guilherme Fiúza e José Castello estão entre os clientes de Valéria Martins, que também escreve e já publicou os livros Sara nada mais bonita, um relato sobre o desejo (editora Sete Letras); Matéria dos sonhos; A pausa do tempo e Encontro com Deus: 21 personalidades narram sua busca espiritual.   Outubro: Semana 1 > 10 de outubro Semana 2 > 19 e 17 de outubro Semana 3 > 24 e 26 de outubro  Semana 4 > 31 de outubro    Inscrições: Professora@cintiabarreto.com.br Telefone: 98985.6232  Informações: saladeleitura.fca@gmail.com Telefone: 3325.0448​     [+] saiba mais Oficina Dança Pra Geral 28/10 a 29/10 Dança DANÇA PRA GERAL  Uma oficina com a Companhia Urbana de Dança | Sonia Destri   A dança urbana contemporânea envolve a ideia de liberdade. É permitido, portanto, apropriar–se de diversas técnicas e linguagens e, organizadamente, descobrir novas parcerias que sejam urbanas e dinâmicas. Possibilitamos os alunos a aprenderem, de uma maneira lúdica, fácil e divertida, essa linguagem que eles veem nos vídeos e, que parece tão sofisticada e difícil.  A ideia da oficina é criar uma movimentação urbana e desenvolver situações de aprendizagem onde o aluno se sinta confortável e confiante tanto no aprendizado quanto nas sequências coreográficas. Qualquer pessoa pode participar da oficina, não havendo necessidade de formação acadêmica, necessidade de conhecimento da linguagem de rua, de dança contemporânea ou de hip hop.  A rotina da oficina consiste em: aquecimento, equilíbrio, percepção do espaço, deslocamentos, consciência corporal, técnicas de dança urbana e contemporânea.Exercícios de resistência e força, condicionamento e alongamento, exercícios coletivos e em dupla. Criação de novas dinâmicas e sequências coreográficas que serão executadas ao final das aulas. Aqui,  vai ser só diversão!    inscrições  : saladeleitura.fca@gmail.com - tel: 33250448 |  80 participantes     [+] saiba mais Paulo Jobim e Mario Adnet | Jobim | Orquestra e Convidados 21/10 Música Paulo Jobim e Mario Adnet lançam CD e DVD/DOC Paulo Jobim e Mario Adnet – Jobim, Orquestra e Convidados (Biscoito Fino)     Álbum é uma homenagem aos 90 anos que o maestro e compositor Antônio Carlos Jobim completaria em 2017   Canções emblemáticas de Tom Jobim são interpretadas por jovens talentos da música brasileira: Alfredo Del-Penho, Alice Caymmi, Antonia Adnet, Dora Morelenbaum, Júlia Vargas, Luiz Pié e Vicente Nucci   Filho de Paulo Jobim e neto de Tom, Daniel Jobim interpreta a canção ‘Boto’, e o violonista Yamandu Costa está à frente da orquestra em ‘Um Certo Capitão Rodrigo’   O show de lançamento está marcado para o dia 21 de outubro, na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro     Em outubro, Paulo Jobim e Mario Adnet lançam o CD e DVD/DOC Paulo Jobim e Mario Adnet – Jobim, Orquestra e Convidados (Biscoito Fino) em todo o Brasil. Gravado em maio deste ano nos estúdios da gravadora e na Cidade das Artes (Sala de Ensaio), no Rio de Janeiro, o projeto presta homenagem aos 90 anos de nascimento do compositor Antônio Carlos Jobim (1927-1994). O concerto de lançamento está marcado para o dia 21 de outubro, na Cidade das Artes. As imagens e entrevistas que compõem o DVD/DOC foram captadas durante o período de gravações. Com direção musical de Adnet e Jobim, a orquestra formada exclusivamente para o projeto reuniu 35 músicos, entre base, cordas e sopros. O grupo de 22 cordas foi arregimentado pelo violinista e maestro paulista Claudio Cruz. Das 13 músicas que compõem o repertório, dez são de autoria de Tom Jobim, algumas com parceiros, e três de Paulo Jobim e Ronaldo Bastos. Paulo Jobim e Mario Adnet selecionaram dez canções emblemáticas do repertório de Tom Jobim e convidaram jovens artistas da cena musical brasileira para participarem de oito faixas: Chovendo na Roseira (participação de Luiz Pié), Chega de Saudade, com Vinicius de Moraes, (participação de Alfredo Del-Penho); Águas de Março (participação de Antonia Adnet), Olha Maria, com Chico Buarque e Vinicius de Moraes, (participação de Júlia Vargas); Falando de Amor (participação de Alice Caymmi) e Eu Te Amo, com Chico Buarque, (participações de Dora Morelenbaum e Vicente Nucci). Filho do violonista Paulo Jobim e neto de Tom, Daniel Jobim canta, além de tocar piano, a música Boto, parceria de Tom e Jararaca; e o violão de sete cordas de Yamandu Costa está em Um Certo Capitão Rodrigo. Além das oitos faixas com participações especiais, Mario Adnet interpreta Desafinado, (Tom Jobim e Newton Mendonça); e Paulo Jobim, O Amor em Paz.  As três canções compostas por Paulo que integram o repertório são: Valse, Saci e Mantiqueira Range. “Queríamos um repertório que reunisse canções mais conhecidas, como Chega de Saudade, mas também outras como Boto e Saci, uma música espetacular e pouco conhecida do Paulo Jobim e do Ronaldo Bastos. O que temos na mão é um tesouro: são quatro arranjos originais do maestro alemão Claus Ogerman que, além do Tom, ninguém usou. De certa forma também fazemos uma homenagem a ele que se foi no ano passado. São arranjos lindos que refizemos em outras bases”, conta o arranjador, compositor, violonista e produtor Mario Adnet, que chama o projeto de “um Tom para o futuro”. “Você pergunta para um jovem: conhece essa música do Tom? Ele responde: essa não conheço, essa também não, essa também não. Quer dizer, até mesmo os cantores do meio só conhecem as músicas que foram massivamente divulgadas pela mídia, mas não conhecem a fundo a obra dele”, afirma Mario. Apesar do frescor que as canções ganharam com a participação dos jovens intérpretes, a ideia não foi dar nova roupagem à obra do Tom. Pelo contrário. Para Mario, os arranjos originais são irretocáveis e o objetivo foi apenas ressaltar a beleza das músicas. “O Tom era tão perfeccionista que não adianta querer mudar. É perda de tempo. Você vai tentar trocar uma nota aqui, outra ali e nada vai ficar melhor do que o que ele escreveu”, exalta Mario.   INTÉRPRETES E FAIXAS Chovendo na Roseira (Tom Jobim) – Luiz Pié vem sendo apontado por críticos como um dos novos grandes nomes da música brasileira. Cantor de formação jazzística e autodidata em música popular, Pié tem uma voz privilegiada de timbre grave marcante e um estilo inusitado de cantar. Ele cria novas roupagens para clássicos já reconhecidos mundialmente.   Chega de Saudade (Tom Jobim e Vinicius de Moraes) – Cantor, violonista, compositor e ator, Alfredo Del-Penho é conhecido por sua voz potente e carismática. É um dos representantes da mais nova geração do samba carioca. Apaixonado pela música popular brasileira, em 2015, lançou dois discos simultâneos: o cantado, Samba Sujo, e o instrumental, Pra essa gente boa, seus primeiros trabalhos solos, com os quais foi vencedor do prêmio de melhor cantor de samba, no 27º Prêmio da Música Brasileira. Integrante da Companhia Brasileira de Movimento e Som, “Barca dos Corações Partidos”, vem atuando em diversos musicais, entre eles, Gonzagão – A lenda, Ópera do Malandro, Auê e Suassuna – O Auto do Reino do Sol.   Águas de Março (Tom Jobim) – Filha de Mario Adnet, Antonia Adnet, que acumula funções neste projeto – coprodução e assistência de direção musical junto com sua irmã Joana Adnet – fez sua primeira turnê pelo Chile em 2016, mostrando repertório autoral de seus três discos, Discreta (2010), Pra Dizer Sim (2012) e Tem + Boogie Woogie no Samba (2015). Acompanhou a cantora Roberta Sá durante sete anos como violonista e vocalista. Recentemente esteve em turnê com o musical Gota D'Água [a seco] (indicado ao Prêmio Shell 2017 - melhor música), de Chico Buarque e Paulo Pontes, como assistente de direção musical e violonista. Entre seus trabalhos como coprodutora e assistente de direção musical, destaque para Dorival Caymmi Centenário, de Dori Caymmi e Mario Adnet (indicado ao Grammy Latino 2015) e Jobim Jazz ao Vivo, de Mario Adnet (indicado ao Grammy Latino 2016). Em parceria com Mario e Joana Adnet, coproduziu os discos de Mario Adnet: Um olhar sobre Villa-Lobos (indicado ao Grammy Latino 2013), Amazônia – Na Trilha da Floresta e o premiado Vinicius & os maestros, eleito melhor álbum na categoria especial do Prêmio da Música Brasileira (2013), entre outros.   Um Certo Capitão Rodrigo (Tom Jobim e Ronaldo Bastos) – Violonista e compositor nascido em Passo Fundo, Yamandu Costa começou a estudar violão aos 7 anos de idade com o pai, Algacir Costa, líder do grupo “Os Fronteiriços”. Aos 17 anos apresentou-se pela primeira vez em São Paulo no Circuito Cultural Banco do Brasil, produzido pelo Estúdio Tom Brasil, e a partir daí passou a ser reconhecido como músico revelação do violão brasileiro. Um violonista e compositor que não se enquadra em nenhuma corrente musical, ele é uma mistura de todos os estilos e cria interpretações de rara personalidade no seu violão de 7 cordas. Nessa música feita por Tom para a minissérie O Tempo e o Vento, Yamandu é o solista da orquestra num arranjo vigoroso de Paulo Jobim.   Olha Maria (Tom Jobim, Vinicius de Moraes e Chico Buarque) – Júlia Vargas e sua potente voz, cheia de personalidade, é apontada por nomes como Milton Nascimento, Ivan Lins, Ney Matogrosso e Alceu Valença como uma das maiores promessas da música brasileira da atualidade. Acaba de lançar seu novo CD Pop Banana, pela Biscoito Fino.   Boto (Tom Jobim e Jararaca) – Filho do compositor e arranjador Paulo Jobim e neto de Tom Jobim, Daniel Jobim já gravou e se apresentou ao lado de artistas como Dorival Caymmi, João Gilberto, Caetano Veloso, Tom Jobim, Carole Bayer Sager, Donald Fagen, Chico Buarque, Gal Costa, Maria Bethânia, Lisa Ono, John Pizzarelli, Sean Lennon, Michael Sembello, Roberto Carlos, Gilberto Gil, Milton Nascimento, Stevie Wonder e Sting, entre muitos outros. Atuou ao lado do pai no Quarteto Jobim Morelenbaum. Em 1995, formou o grupo The Bridge, com Vinnie Colaiuta, Michael Sembello, Paulinho da Costa, Nate Watts, Toshi Kubota e Dudu Falcão. Em 1997, a banda lançou no Japão e nos EUA o álbum homônimo The Bridge. Atualmente tem participado de gravações e turnês ao lado do guitarrista americano John Pizzarelli.   Falando de amor (Tom Jobim) – Aos 12 anos, Alice Caymmi fez sua primeira gravação profissional, Seus Olhos, incluída no álbum Desejo, da tia Nana Caymmi. Pouco tempo depois, participou com ela em uma apresentação lotada na tradicional casa de shows carioca Canecão. Em 2007, cantou na cerimônia de encerramento dos Jogos Pan-Americanos ao lado do pai, Danilo. Seu segundo álbum de estúdio, Rainha dos Raios (2014), é baseado em regravações e contém apenas duas músicas autorais, uma delas em parceria com Michael Sullivan. Em 2015, sua canção Como Vês figurou na trilha sonora da minissérie Felizes para Sempre?, exibida pela Rede Globo. Atualmente está gravando um novo projeto.     Desafinado (Tom Jobim e Newton Mendonça) – Músico consagrado, Mario Adnet se dedica a composição, pesquisa, recuperação e registro fonográfico de obras de grandes autores da música brasileira, tendo produzido cerca de 30 discos e registros antológicos. Sua carreira vem sendo reconhecida nacional e internacionalmente pela excelência de sua pesquisa e produção musical e pela importância de seus projetos para a história da música brasileira.   O Amor em Paz (Tom Jobim e Vinicius de Moraes) – Músico de extensa carreira, Paulo Jobim trabalhou com artistas renomados como Milton Nascimento, Antonio Carlos Jobim, Chico Buarque, Sarah Vaughan, Astrud Gilberto e Lisa Ono. Idealizou e produziu, com Mario Adnet, o projeto “Jobim Sinfônico”, focado em uma faceta pouco conhecida de Tom Jobim: a de compositor de peças orquestrais. É filho de Antônio Carlos Jobim.   Eu Te Amo (Tom Jobim e Chico Buarque) – Em 2016, Dora Morelenbaum cantou no projeto CEP 20000, no Teatro Municipal Sérgio Porto, composições próprias e canções da MPB que trazem referências e influências para o seu trabalho solo. Atualmente cursa a Faculdade de Arranjo MPB na Unirio – Instituto Villa-Lobos. É filha de Paula e Jacques Morelenbaum. Vicente Nucci começou a cantar nos renomados corais do Colégio São Vicente de Paulo, especialmente no coral São Vicente à Cappella. Filho do cantor e compositor Claudio Nucci, foi integrante de grupos vocais e participou de diversas gravações, entre elas, a trilha sonora do filme Não se preocupe, nada vai dar certo, de Hugo Carvana, composta por Edu Lobo. Como intérprete, participou do álbum e concerto Amazônia – Na Trilha da Floresta, de Mario Adnet. Atualmente, Nucci é estudante de arranjo em MPB na Unirio e trabalha como monitor de naipe masculino em diversos corais do Rio de Janeiro, além de integrar o grupo vocal Ourobá.   Saci (Paulo Jobim e Ronaldo Bastos) – Interpretada por Paulo Jobim, Antonia Adnet e Mario Adnet, além de um coro feminino, essa música é uma raridade do repertório. Foi gravada uma única vez, em 1980, pelo Boca Livre, com a participação de Tom Jobim no piano além do próprio Paulo Jobim na flauta.   Valse (Paulo Jobim) – Gravada por Tom Jobim no álbum Urubú, de 1976, com arranjo magistral de Claus Ogerman, essa música é um dos destaques instrumentais do projeto.   A Mantiqueira Range (Paulo Jobim e Ronaldo Bastos) – Gravada também por Tom no álbum Matita Perê, e também arranjada por Claus Ogerman, ganhou um novo arranjo feito por Mario Adnet. [+] saiba mais Troca-Troca de Livros 21/10 Arte e Educação TROCA-TROCA DE LIVROS   A Sala de Leitura da Cidade das Artes, abre as portas para uma tarde de troca-troca de livros em parceria com a escola Ciranda do Recreio. Nossa Sala de Leitura tem um espaço voltado para a troca de livros, você traz aquele livro que você já leu, deixa ele na nossa estante e leva outro pra casa.  A escola Ciranda do Recreio também tem esse movimento, que propõe a troca de livros entre crianças (obedecendo suas faixas etárias) e adultos. Esta iniciativa tem a intenção de estimular a leitura e nos trazer para um consumo mais consciente.  Então venha vivenciar esse momento com a gente. Traga seu livro e participe dessa troca!     PROGRAMAÇÃO GRATUITA.    [+] saiba mais Conversa Literária 18/10 Arte e Educação A Conversa Literária tem a honra em receber a escritora Marina Colasanti. Marina Colasanti é uma das mais premiadas escritoras brasileiras, detentora de vários prêmios Jabutis, do Grande Prêmio da Crítica da APCA, do Melhor Livro do Ana da Câmara Brasileira do Livro, do prêmio da Biblioteca Nacional para poesia, de dois prêmios latino-americanos. Foi o terceiro prêmio no Portugal Telecom de Literatura 2011. Tornou-se hors-concours da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), após ter sido várias vezes premiada. Ganhou, recentemente, o XIII Prêmio Iberoamericano SM de Literatura Infantil e Juvenil. Com livros de contos, poesias, crônicas, romances, de ensaios, Marina faz parte das leituras e da formação de leitores brasileiros e estrangeiros. Com histórias como “Uma Ideia Toda Azul” e “A Moça Tecelã”, a escritora promove a Liberdade. Sua narrativa, muitas vezes, revisita os Contos de Fadas tradicionais, mas trazendo à luz temas e posturas contemporâneas. As relações de gênero, de família, de poder são questionadas, o que permite a seus leitores construírem uma visão crítica sobre a sociedade e o mundo que os cerca. Diretora e Curadora: Cintia Barreto   *Sorteio de livros *Escolas interessadas em trazer seus alunos, favor entrar em contato pelo e-mail saladeleitura.fca@gmail.com ou 3325.0448 [+] saiba mais Eu Não Posso Lembrar Que Te Amei | Dalva & Herivelto 14/10 e 15/10 Teatro Release: Eu não posso lembrar que te amei – Dalva & Herivelto é um espetáculo, com Sylvia Massari e Tadeu Aguiar e texto de Artur Xexéo, sob direção de Tadeu Aguiar.  A montagem é uma celebração ao centenário de Dalva de Oliveira, nascida em Rio Claro, São Paulo, em 1917. O espetáculo usa o repertório de Dalva e Herivelto Martins para narrar a trajetória dos dois, do tempo do Trio de Ouro, nas décadas de 1930 e 40, quando eram casados, ao famoso duelo musical, no começo dos anos 1950, que marcou a carreira do casal, depois que ele se desfez.  Sylvia e Tadeu contam e cantam essa história cheia de paixão, ilustrada com alguns dos maiores sucessos da música brasileira – “Ave Maria do Morro”, “Tudo acabado”, “Errei, sim”, “Caminhemos”, “Bandeira Branca”, totalizando 24 canções, acompanhados por por Tony Lucchesi [diretor musical da encenação] / Tarantilio Costa - piano e regência [eles revezam], Thais Ferreira - violoncelo e Léo Bandeira - bateria e metalofone. Na primeira parte da peça, a do encontro dos dois, o repertório é o de sucessos do Trio de Ouro, grupo vocal que Dalva e Herivelto formaram com Nilo Chagas: “Praça Onze”, “Ave Maria do Morro”, “Segredo” e outros. Na segunda parte, a da separação, a seleção é quase toda formada pela famosa polêmica travada pelos dois: “Tudo Acabado”, “Que Será”, “”Errei Sim” e outras.   Sylvia e Tadeu Sylvia Massari e Tadeu Aguiar já representaram Dalva e Herivelto em outras ocasiões. Sylvia substituiu Marília Pêra na temporada paulista do musical "Estrela Dalva" e também deu vida à cantora nas minisséries da TV Globo Amazônia e AEIOURCA, em que Tadeu Aguiar viveu seu marido Herivelto Martins. Anos mais tarde, Sylvia e Tadeu fizeram um show em que interpretavam o casal musical. [+] saiba mais Festa SOULDORIODEJANEIRO - Edição Sunset 14/10 Dança FESTA SOULDORIODEJANEIRO - EDIÇÃO SUNSET   Festa para celebrar a alegria, reunindo democraticamente toda a diversidade cultural do nosso povo e todos que tem a dança coletiva como religião.  O maestro Willian Vourees comanda a integração entre as diversas zonas da nossa cidade em torno de um único objetivo: a alegria e descontração. A festa, convocando para o verão que se aproxima, conta com CORELLO DJ, criador do termo "charme", e com DJ SADDAN, precursor do Hip Hop na zona sul carioca. Através de um aulão de dança, você vai experimentar todo o calor humano da música black e descobrir a diferença entre o funk e o charm!   ENTRADA GRATUITA. [+] saiba mais Oficina A Arte Entre Nós 12/10 Arte e Educação NO DIA 12 DE OUTUBRO, EXPOSIÇÃO NO ESPAÇO ENTRE NÓS PROMOVERÁ OFICINAS INTERATIVAS PARA A CRIANÇADA NA CIDADE DAS ARTES.   A exposição No Espaço Entre Nós promove no dia 12 outubro, de 15h às 17h, sua oficina interativa“ A Arte Entre Nós”, exclusivamente voltada para a garotada. As atividades contemplarão grupos de 5 a 14 anos, que serão divididos em três pequenas turmas com até 20 participantes, com duração de 30 minutos. A oficina visa a resgatar o contato de crianças e jovens com o criativo através de desenhos. As obras realizadas serão postadas no Facebook da página No Espaço Entre Nós.   Mais sobre a exposição No Espaço Entre Nós Em meio à violência que assola diariamente o Rio de Janeiro, a instalação No Espaço Entre Nós, com patrocínio da Lei Rouanet, revela como a arte pode ser (e é!) um caminho eficaz para transformar padrões. A mostra apresenta a solução das conversas entre dois grupos divididos socialmente na mesma cidade, ou seja, universos distantes que se encontram pela arte. Até o dia 26 de novembro, a Cidade das Artes é palco da mostra interativa, cujos coautores são os próprios jovens em parceria com o escultor e arte-educador Helio Rodrigues. A exposição é resultado dessa “improvável união” entre alunos do CEAT (Centro Educacional Anisio Teixeira), em Santa Teresa, Zona Central do Rio de Janeiro, e adolescentes da comunidade do Jacarezinho, localizada na Zona Norte. Os jovens com idade entre 12 e 15 anos foram misturados para compor as 36 mandalas expostas em movimento por meio de animação criada por Marcos Magalhães, criador do Anima Mundi, e sonorizadas em filme por Mauricio Sales, com depoimentos dos participantes. Os dois grupos não se conheciam e só se encontraram às vésperas da montagem da primeira exibição, realizada há um ano no Museu da República. Durante as oficinas, foram realizados vários trabalhos de sensibilização a fim de instigar os adolescentes a se representarem e se comunicarem de maneira subjetiva, utilizando diversas técnicas e materiais plásticos. Para a proposta final, foram fotografadas as sombras de cada um representando com seu corpo a frase “se eu fosse arte, seria....”. Depois, organizadas em mandalas e impressas em grandes papéis, com seus centros vazios. Cada aluno recebeu a imagem da mandala em que participou para trabalhar. Ao lado da instalação, também há uma parte interativa, em que o público pode brincar com sombras imantadas sobre caixas de luz com cores, formas e o espaço entre elas. Os trabalhos criados são fotografados e postados no Facebook, e o público pode guardar e compartilhar sua criação, com a hashtag #noespacoentrenos. – 'No espaço entre nós' é uma instalação otimista, porque aponta para a possibilidade de reduzir conflitos através da arte. A proposta era: 'Como você soluciona em arte o espaço vazio que existe entre nós?’ Apesar de parecer muito simples, a arte pode ligar. Na verdade, a arte salva, porque se nutre e se fortalece justamente com as diferenças - ressalta Helio, que desde 2006 desenvolve um trabalho de artes visuais com crianças e adolescentes da comunidade do Jacarezinho, considerada uma das zonas mais violentas do Rio.   Faça a reserva do seu filho por meio do e-mail saladeleitua.fca@gmail.com ou 33250448.  *a reserva só é válida para quem chegar 20min antes da atividade e se identificar,a vaga será automaticamente revertida para outra criança se o horário não for cumprido.    Local: Cidade Das Artes, Barra da Tijuca. Endereço: Avenida das Américas, 5.300   PROGRAMAÇÃO GRATUITA.  [+] saiba mais Orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro 12/10 Música   Orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro   Orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro é hoje uma realização transformadora na vida de adolescentes e jovens das comunidades Babilônia, Chapéu Mangueira, Cantagalo, Pavão Pavãozinho, Complexo do Alemão e  Morro dos Macacos. Educar pela Arte da Música sensibiliza, promove uma mobilização integral das potencialidades do ser humano e exalta a liberdade do vir a ser. É nesse sentido que se pode afirmar que a Orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro representa hoje uma preciosa exaltação à liberdade. O Rio de Janeiro é uma das grandes metrópoles que não tinha uma orquestra sinfônica de jovens oficial da cidade do Rio de Janeiro, hoje o  projeto supre esta lacuna. A orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro já se apresentou em diversos espaços culturais e importantes no cenário Musical, como o Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), o Centro Cultural da Justiça do Rio de Janeiro, o Centro Cultural da Caixa Econômica, a Igreja Anglicana de Botafogo, a Igreja da Nossa Senhora da Paz em Ipanema, na Candelária, no teatro de câmara da Cidade das Artes , no Theatro Municipal do Rio de Janeiro e Sala Cecilia Meireles entre outros. Com grande sucesso se apresentou 01 de Agosto do Teatro principal da Cidade das Artes , onde participou acompanhando a cantora Daniela Mercury  na Ceremonia de abertura 129 do COI.   Maestro: Mateus Araujo Diretora do projeto: Fiorella Solares [+] saiba mais Dia das Crianças na Cidade das Artes 12/10 Festival Cidade das Artes comemora o Dia das Crianças Evento terá atividades voltadas para a família durante o dia inteiro Na quinta-feira, dia 12 de outubro, das 10 às 18h o complexo cultural Cidade das Artes promoverá o “Dia das Crianças na Cidade das Artes”. O evento acontece na Avenida das Américas, 5300, Barra da Tijuca e contará com uma grande variedade de atividades voltadas a todas as idades. Estão previstos brinquedos para todas as faixas etárias, desde o Espaço Baby para crianças muito pequenas, até o Espaço Radical dedicado aos mais independentes e aventureiros. Também há espaços dedicados aos esportes, à cultura, bem como à tecnologia e aos animais. Não nos esquecendo do Espaço Zen, para quem deseja relaxar da correria da cidade grande. O Espaço Cidade das Artes contará com brincadeiras e entretenimento, além de sorteios. A entrada no evento é gratuita, mas também contará com atividades pagas. Dentre as ações programadas, o evento terá palco para apresentações e animação, adoção de animais de estimação, área para pic-nic e Espaço Gourmet – que contará com diversos tipos de alimentação, além de área de foodtrucks e cerveja artesanal. Também serão disponibilizados “aulões”: de yoga, meditação e deeksha e afrozuumba. Para aqueles mais ligados na natureza, há a Horta das Artes e o Festival de Pipas. O espaço também conta com expositores de brinquedos, toy art e artesanato, dentre outros. Animais de estimação, como parte da família, são bem-vindos nas comemorações. Tudo isso em um local que dispõe de estacionamento e toda segurança, gerando liberdade para as brincadeiras dos pequenos e tranquilidade aos pais.     Dia das Crianças na Cidade das Artes Cronograma de Atividades   Yoga Rizerva Zen – 10h às 11h Nautimodelismo – 10h às 13h Adoção de Pets – 10h às 18h Espaço baby – 10h às 18h Espaço Radical – 10h às 18h Expositores – 10h às 18h Oficina de Hortas – 10h às 18h Oficina de Pipas – 10h às 18h Piquenique –10h às 18h Afrozuumba – 11h às 12h Academia Carioca de Futebol – 12h às 14h Peça teatral – 13h às 15h Hora musical com Leandro Ribeiro – 14h às 15h Slackline – 14h às 16h Academia de dança Ramalho’s - 16h às 17h Meditação & Deeksha – 16h às 17h Apresentação de Hip-Hop – 17h às 18h [+] saiba mais Lançamento do CD Harmonitango 08/10 Música HARMONITANGO - Por Sergio Roberto de Oliveira, compositor e produtor do CD Astor Piazzolla é figura múltipla, complexa e apaixonante. É um daqueles músicos difíceis de se definir: afinal, compunha tangos ou música de concerto? Sua formação e escrita inclui os dois universos de forma inegável, o que num momento de sua carreira foi negativo, tendo resistências terríveis dos tangueros tradicionais e precisando sempre se provar como compositor sério (chegou a esconder de Nádia Boulanger, quando teve aulas com ela, seu contato com o tango. Ao finalmente mostrar-lhe, ela teria dito: esse é o verdadeiro Piazzolla. Não afaste-se dele). Aliás, em relação a mestres, estudou não só com Boulanger, mas também com Ginastera, um dos maiores compositores da música de concerto argentina. Pois é justamente a tradução desse Piazzolla múltiplo e complexo que nos apaixona neste álbum do HARMONITANGO. Grupo integrados por músicos também de origens diversas – uns mais populares, outros mais eruditos – ao mesmo tempo tem em todos eles músicos experientes tanto no trabalho junto à música de concerto como à música popular. Talvez, seja exatamente por isso que possamos perceber tantas nuances. É tango, é música de câmara, tem uma abordagem popular, com improvisos e ao mesmo tempo uma profundidade seja na sonoridade, seja na interpretação que nos emociona, nos alegra, nos faz perceber essa música de Piazzolla que não acredita em fronteiras. Dos grupos que têm se debruçado sobre a obra do mestre argentino, encontrei no HARMONITANGO uma das melhores formas de expressão – com exceção dele próprio tocando, obviamente – da multidimensionalidade de sua música. E, como produtor às vésperas de completar 20 anos de ofício, tenho que confessar: é um dos raros álbuns dos que produzi que estará constantemente na minha playlist. Não importa o que você mais gosta na música de Astor Piazzolla, se sua leveza, se sua densidade, se sua dramaticidade, se seu lirismo, se a elaboração dos arranjos, a interpretação precisa ou mesmo a busca de uma sonoridade única: este álbum satisfaz a todos nós!   HARMONITANGO José Staneck, harmônica | Ricardo Santoro, violoncelo | Sheila Zagury, piano A busca por diferentes sonoridades e por novas formas de expressão: esta é a razão para a formação deste inusitado trio, formado por músicos com grande experiência camerística, como José Staneck, Ricardo Santoro e Sheila Zagury. Através da fusão de seus estilos, os músicos encontram na obra de Astor Piazzolla uma maneira de se expressar de forma emocionante e vibrante, valorizada pela riqueza tímbrica da harmônica, do violoncelo e do piano, criando uma sonoridade surpreendente dentro de uma obra fascinante. A similitude da sonoridade da harmônica com o bandoneon transfere à música de Piazzolla toda a energia de um dos mais importantes compositores do século XX, numa poderosa usina de sons valorizada pelos arranjos e pela execução do Harmonitango. Criado em 2010, o Harmonitango já se apresentou em diversas salas de concerto do Rio de Janeiro, Petrópolis, Teresópolis, Nova Friburgo, Brasília, Goiânia, Maringá, Londrina etc, sempre com grande receptividade do público e da crítica especializada, e tem como seu principal objetivo a divulgação da música de Piazzolla e também dos grandes compositores brasileiros, sempre com arranjos feitos pelos próprios músicos. Chamado de David Oïstrakh da harmônica pelo crítico francês Oliver Bellamy e comparado aos músicos Andrés Segovia e Mstislav Rostropovich por sua atuação na divulgação e construção da poética de uma harmônica brasileira pelo crítico Luiz Paulo Horta, José Staneck criou um estilo próprio onde variados elementos se fundem numa sonoridade marcante. Desenvolve importante trabalho na área do ensino, e atualmente viabiliza um trabalho social de inclusão cultural levando o ensino de música através da gaita para crianças em diversas localidades do Brasil. Atua com diferentes formações camerísticas, e já foi solista de diversas orquestras sinfônicas brasileiras e internacionais. Ricardo Santoro é Mestre pela UFRJ e violoncelista da Orquestra Sinfônica Brasileira e da Orquestra Sinfônica da UFRJ. Faz parte do Duo Santoro, do Trio Aquarius e do Trio Mignone, todos com intensa atuação no cenário musical brasileiro. Com o Trio Aquarius, participou de turnês pela Alemanha e Estados Unidos. Com o Duo Santoro, se apresentou no Carnegie Hall de NY e na República Dominicana. Gravou os CDs “Bem Brasileiro” e “Paisagens Cariocas”, com o Duo Santoro; “Trios Brasileiros” e “Peace to the city”, com o Trio Aquarius; e “Francisco Mignone: obras para flauta, violoncelo e piano”, com o Trio Mignone”. É responsável pela primeira audição mundial de alguns dos maiores compositores brasileiros, tais como Edino Krieger, João Guilherme Ripper e Ronaldo Miranda. Sheila Zagury é pianista, arranjadora e professora da UFRJ.                     Fez Bacharelado na UFRJ, Licenciatura e Mestrado na UNI-RIO e Doutorado na UNICAMP, com tese a respeito de choro nos anos 1990. Musicista de formação eclética, com passagem na música erudita e no jazz, já atuou com vários artistas e grupos de renome como Eduardo Dussek, Ângela Rorô, Rio Jazz Orchestra, UFRJazz, Daniela Spielmann, Neti Szpilman e Marianna Leporace, e em numerosos espetáculos de teatro e shows em todo o Brasil e no exterior. Desenvolve diversos trabalhos artísticos com músicos, envolvendo choro, samba e jazz, tendo participado de vários shows e gravado CDs dentro desses gêneros, como “Mulheres em Pixinguinha”, “São Bonitas as Canções”, “Brasileirinhas” e “Orquestra Lunar”.     [+] saiba mais Oficina O Passo | Música e Educação 07/10 e 08/10 Arte e Educação O Passo “O Passo” é um método que entende o fazer musical como um fenômeno inseparável do corpo. Fazer música como um transbordamento da própria existência. Um método que parte do corpo e do pulso de cada indivíduo liberta o ensino da música de modelos seletivos de acesso à prática musical.  Lucas Ciavatta, músico formado pela UNIRIO e Mestre em Educação pela UFF, desde 1996, quando criou O Passo, tem viajado pelo Brasil para a divulgação e ampliação do método. Desde 2005 vem realizando anualmente cursos d'O Passo no Westminster Choir College da Rider University. Além de cursos e oficinas de O Passo, na Conservatoire National Supérieur de Musique et Danse de Lyon e diversas outras instituições e conservatórios no Chile e Áustria. Desde sua criação, o método foi experimentado e adotado em escolas, universidades e projetos no Brasil e no mundo, aproximando centenas de professores e milhares de alunos de todas as idades em cursos, oficinas, palestras e outras atividades.  Na Cidade das Artes, a oficina terá uma imersão de doze horas em dois dias seguidos, será realizada na Sala de Ensaio 1 nos dias 07 e 08/10 das 10h às 17h30( 1h30 de almoço). Roupa confortável.   AVISO: é necessário fazer inscrição através do telefone 3325 0448 ou pelo e-mail saladeleitura.fca@gmail.com. [+] saiba mais OPES | Balão Mágico Sinfônico 07/10 a 08/10 Música Orquestra Petrobras Sinfônica celebra o Dia das Crianças com “Balão Mágico Sinfônico”, versão do sucesso dos anos 80   Depois de lotar quatro sessões de “A Arca de Noé” em 2015 e repetir o sucesso em 2016 com “Os Saltimbancos Sinfônico”, a Orquestra Petrobras Sinfônica prepara uma nova homenagem ao Dia das Crianças. Este ano, o projeto “Em Família” terá uma versão sinfônica inédita para as canções do Balão Mágico, clássico programa de TV exibido pela Rede Globo nos anos 80. Os discos com os sucessos do Balão Mágico venderam mais de 10 milhões de cópias no Brasil. Sob regência do maestro Felipe Prazeres, 47 músicos do grupo irão se apresentar na Cidade das Artes, nos dias 7 e 8 de outubro, e no Teatro Riachuelo nos dias 14 e 15 de outubro... Esta será a primeira vez que músicas como “Superfantástico” e “Amigos do Peito”, que ficaram famosos nas vozes de Simony e Jairzinho, ganharão arranjos sinfônicos, compostos pelo paraibano Mateus Freire, que também trabalhou com a orquestra nas iniciativas anteriores. O projeto é uma das ações da Petrobras Sinfônica que buscam popularizar a música clássica e renovar o público do gênero.   Sobre a Orquestra Petrobras Sinfônica  Aos 45 anos, a Orquestra Petrobras Sinfônica se consolida como uma das mais conceituadas do país e ocupa um lugar de prestígio entre os maiores conjuntos musicais da América Latina. Criada pelo maestro Armando Prazeres, a orquestra conta com uma formação de mais de 80 instrumentistas e tem como Diretor Artístico e Regente Titular o maestro Isaac Karabtchevsky, o mais respeitado regente brasileiro e um nome consagrado no panorama internacional.   Modelo de gestão: A Associação Orquestra Pró Música do Rio de Janeiro, entidade que administra a orquestra, possui uma proposta administrativa inovadora, sendo a única orquestra sinfônica do país gerida por seus próprios músicos.   Sobre a PETROBRAS: A Petrobras patrocina a Orquestra Petrobras Sinfônica há 30 anos. Através do Petrobras Cultural, a companhia busca contribuir para o fortalecimento das oportunidades de criação, produção, difusão e fruição da cultura brasileira, para a ampliação do acesso dos cidadãos aos bens culturais e para a formação de novas plateias.   Outros apoios e patrocínios: Avianca, UCI, Consulado da Argentina, Metrô Rio, Porto Bay Hotels, Hope Serviços, Aliansce Shopping Centers, Rádio MEC FM e JLT Brasil.     Programa   Felipe Prazeres, regente Orquestra Petrobras Sinfônica   Ignacio Ballesteros Diaz e Marella Cayre Superfantástico (Abertura Instrumental)   Erik Vonn e Memo Mendez Gulu Amigos do Peito (versão em português: Edgard Poças)   Alberto Ribeiro da Vinha e Carlos Alberto Ferreira Braga Tem Gato na Tuba   Alfonso Jofre de Villegas Cernuda e Genaro Monreal Lacosta A Galinha Magricela (versão em português: Edgard Poças)   Tony Landa, Tony Cruz, D.a Afonso Agullo e Eddy Guenin Ursinho Pimpão (versão em português: Edgard Poças)   Werner Thomaz e Louis Julien van Rijmenant Baile dos Passarinhos (versão em português: Edgard Poças)   Emilio Aragon Bermudez e Emilio Tomaz Aragon Alvares Ai Meu Nariz (versão em português: Edgard Poças)   Harriet Schock e Misha Segal Meninos e Meninas (versão em português: Edgard Poças)   Baltazar Fernando Candido da Silva e Hermes Adriano de Jesus Coração De Papelão   Guilherme Arantes Lindo Balão Azul   G. Gomez e R. Giron Amigo Planeta (versão em português: Edgard Poças)   Ignacio Ballesteros Diaz e Marella Cayre Superfantástico (versão em português: Edgard Poças) [+] saiba mais