Fundação Cidade das Artes

Memoria

Memória

A Fundação Cidade das Artes é um espaço concebido para abrigar múltiplas atividades artísticas, como exposições, apresentações de dança, teatro e música. Este complexo cultural também é utilizado para palestras, oficinas, congressos, conversas com autores, lançamentos de livros e outras atividades de formação cultural e artística.

Os eventos que ocorrem neste espaço são filmados e fotografados para que todos os interessados possam ter acesso, através deste site, ao histórico de programação da Cidade das Artes e os programas das peças podem ser pesquisados na Sala de Leitura, local onde serão preservados todos os materiais impressos relacionados à programação.

Eventos Passados

Deu Treta 10/06 a 11/06 Teatro Caio e Alex são amigos de infância e estudam na mesma faculdade que Luisa e Taís. Taís é uma daquelas pessoas sem limites e sem pudor, onde o que importa é ser feliz em tempo integral. Alex faz engenharia, é a figura mais sociável da faculdade, se dá bem com todo mundo, tem autoestima elevada e é sempre muito solicito quando se trata de amizade. Luisa está à procura de alguém para dividir as contas e o apartamento onde mora. Para encontrar seu futuro inquilino ela deixa um anuncio no quadro de avisos da faculdade, mas um detalhe em especial chama atenção no anuncio, o futuro morador precisar ser “homem e gay”. Caio fica sabendo do anuncio e vê aí sua grande chance de aproximação com Luisa (sua paixão de vários períodos). Ele então propõe a Alex que se passe pelo candidato gay. Apesar de achar uma loucura, Alex aceita e a partir daí a confusão está armada. DEU TRETA, trata-se de uma comédia teatral, escrita com intuito de divertir e fazer rir. O texto também propõe uma reflexão sobre amizade. Até onde vamos ou chegamos por uma amizade? Qual o limite imposto dentro de uma relação entre amigos? DEU TRETA é uma mistura de reflexão, diversão, paixão e entretenimento para o público. [+] saiba mais Encontro de Corais - 25 anos da Câmara comunitária da Barra da Tijuca 10/06 Música Câmara da Comunitária da Barra da Tijuca celebra seus 25 anos com programação especial A agenda de eventos inclui o Encontro de Corais, na Cidade das Artes, com a participação do violinista Allyrio Mello. A Câmara Comunitária da Barra da Tijuca celebra seu Jubileu de Prata em 2017. Para comemorar os seus 25 anos, a CCBT, preparou uma programação especial em Junho, mês de sua fundação. A programação inclui o Encontro de Corais, que será realizado, no próximo dia 10, na Cidade das Artes. O evento contará com a apresentação dos corais da Câmara Comunitária da Barra da Tijuca e dos Condomínios: Barramares, Riviera Dei Fiori, Rio 2, Nova Ipanema e Península, e com o show do violinista Allyrio Mello. Fundado em 2007,   o coral da CCBT, promove a integração dos moradores da Barra da Tijuca, com ensaios semanais no auditório da sede da instituição. Há 10 anos encantando por onde passa, o coral composto por 60 vozes, é considerado um dos mais importantes do Rio de Janeiro, tendo realizado  apresentações em diferentes lugares: Cristo Redentor, Cidade das Artes, Forte Copacabana, São Lourenço, São Paulo, entre outros.       [+] saiba mais O que é a arte? Para que serve? 10/06 Arte e Educação 10/06 – Sábado O que é a arte? Para que serve?   A arte está presente em nosso dia a dia, em nossas casas, nas ruas, na TV, na internet e até em nossas escolas. Mas o que é arte? Tendo essa questão como tema da atividade, as crianças presentes participarão de um divertido bate-papo sobre arte e a sua importância no mundo. Ao final da conversa, cada criança irá criar e participar de uma brincadeira baseada na performance “O que é arte? Para que serve?” do artista pernambucano Paulo Bruscky.   Local: Sala de Leitura Horário: 15h 25 vagas para maiores de 7 anos Inscrições pelo telefone 3325-0448 ou pelo e-mail saladeleitura@cidadedasartes.org [+] saiba mais Conversa Literária na Cidade das Artes | Bate-papo sobre o filme “A Família Dionti” com o diretor,Alan Minas, Bia Bedran e convidados 07/06 Cinema Conversa Literária na Cidade das Artes | Bate-papo sobre o filme “A Família Dionti” com o diretor,Alan Minas, Bia Bedran e convidados O projeto Conversa Literária em parceria com a Cidade das Artes convidam o público para o bate-papo sobre o filme “A Família Dionti” com o diretor premiado, Alan Minas, e elenco: Bia Bedran, Alisson Minas e Ana Luiza Marques. Os atores Alisson Minas e Ana Luiza Marques falarão sobre a experiência de participar do filme, poético, bucólico que remete ao ambiente de Guimarães Rosa e Manoel de Barros. Filmado em Cataguases, Minas Gerais, o filme encanta por seu ritmo lento (em contraponto à correria das grandes cidades) e seus silêncios (em contraponto ao excesso de informação) que remetem a uma linguagem simbólica que requer um espectador atento aos preenchimentos de sentido do texto cinematográfico que engloba imagem e palavra. A contadora de histórias, arte-educadora, compositora, cantora e escritora Bia Bedran, estreia como atriz no cinema e também participa do bate-papo. A mediação da Conversa Literária será feita pelo educador e escritor, Fernando Arosa da Escola de Formação Paulo Freire. É sobre esta experiência “Cinema e Literatura” que a Conversa Literária vai acontecer na Cidade das Artes em 07 de junho de 2017, na sala de Cinema, das 15h às 17h. Vamos saber mais sobre este filme que encantou o escritor moçambicano Mia Couto. Idealização, Produção e Direção da Conversa Literária: Prof.ª Doutora Cintia Barreto   Entrada gratuita. Sorteio e venda do livro “A Família Dionti”. Sessão de autógrafos. Local: Sala de Ensaio 3 Horário: 15h às 17h [+] saiba mais Espetáculo “Arte Volante” – Grupo Arte Volante 03/06 Arte e Educação O grupo Arte Volante convida o público a participar de uma prática de jogos teatrais e assistir o espetáculo teatral homônimo "Arte Volante" que transita pelo universo brincante e é permeado por ditos populares através de diferentes histórias. O Grupo “Arte Volante” nasceu do desejo de quatro artistas em polinizar a Arte pelas ruas acreditando que o teatro realizado em vias públicas possibilita o contato com pessoas de todos os gêneros e idades, sem nenhuma distinção, ampliando assim a propagação da Arte como via de reflexão para nossa sociedade. Vamos ocupar o jardim da Cidade das Artes com muita alegria e diversão.   Local: Jardins da Cidade das Artes Horário: 15h Atividade gratuita. Classificação etária: livre   [+] saiba mais Sifuxipá | Show Beneficente 03/06 Música A Cidade das Artes apresenta: Sifuxipá, uma festa beneficente em prol do projeto "A Arte Salva" e do "Lar Maria de Lourdes".  O evento será realizado no dia 3 de junho, a partir de 14h. A iniciativa contará com a presença da cantora Barbara Dias, dos atores Caio Lucas Leão e Thales Calvancanti além de outros artistas com apresentações musicais e performances teatrais. A entrada custa R$ 20,00 e deverá ser comprada no local. Pagamento em dinheiro. Não perca!   [+] saiba mais Exposição Vicente de Mello | Utopia Lírica + Fugitivo 01/04 a 28/05 Artes Visuais Utopia Lírica Em Utopia lírica, quis desenvolver uma visão particular sobre a arquitetura e o urbanismo da cidade, como se o que já se conhece dela e o que é relembrado fossem as camadas que originam uma “transvisão” – não um desvio, e sim uma nova ordem: uma leitura subjetiva e atemporal. Brasília representou, para a fotografia, algo semelhante que foi para a arquitetura: um marco no modernismo fotográfico do país, que resultou em registros incessantes que logo levaram a certo desgaste imagético. Fotografei os lugares conhecidos e também os pouco comentados, como a torre de TV  projetada por Lucio Costa, os edifícios funcionais, militares e religiosos de Oscar Niemeyer, procurando encontrar uma fagulha que desencadeasse uma imagem vigorosa.   Fugitivo  Um farol náutico congelado é um projetor de cinema em transe, um facho continuo que projeta um só fotograma sem imagem, límpido e branco. Fugitivo é uma instalação dentro das práticas criada por Hélio Oiticica e Neville de Almeida, do QUASI-CINEMA que são experiências com o uso dos recursos cinematográficos ou referentes a ele.Velhos spots de fotografias reunidos em uma única torre, são refugos da memória física e da transformação das utopias.  A luz que atraem os insetos é a mesma que revela imagens fulgazes nas telas. A mesma que alerta e emociona. Do cinema vem a tridimensionalidades das latas de transporte de filmes de 70 mm, dos anos sessenta, latas que guardei por 36 anos a procura de uma nova significação. Nos espaços das latas para identificação dos filmes, imagens impressas de faróis náuticos em várias cromaticidades, referenciando  evolução das películas , do preto e branco ao magenta do esmaecimento dos Technicolors. Fugitivo se mimetiza a todos os espaços, de cubos neutros à espaços em estado de abandono. O grande deflagrador da instalação é que qualquer arquitetura se amalgama à obra,  em uma unidade própria das intervenções em espaços não programados ( cantos, quinas, porões, depósitos ...). O farol que guia para fora do perigo, é o mesmo que atrai, como a doce perversão do canto das nereidas, traiçoeiras para armadilhas mortais, como o cinema que inebria e transporta para universos efêmeros. [+] saiba mais Cohen Festival 19/05 a 28/05 Teatro Em sua quarta edição, o festival de teatro judaico da Zona Oeste do Rio de Janeiro, agora como COHEN Festival, traz para o público uma mostra de dança, música, performance, teatro em diferentes gêneros sempre com uma temática judaica. São atores, bailarinos, músicos, cantores, com espetáculos singelos mas portadores de nuances da cultura judaica. A comunidade judaica da Zona Oeste apesar de pequena torna-se expressiva enquanto fomentadores de arte. PROGRAMAÇÃO Dias 19, e 21 de Maio. 1ª Sessão: 15:00h   Espetáculo:  A Estrela Amarela Gênero: Teatro / Drama Classificação: 12 anos. Duração: 50min Encenação: COHEN.Cia – Companhia de Teatro    2ª Sessão: 17:00h        Espetáculo:  Lydio Gênero: Dança Contemporânea. Classificação: Livre Duração: 50min Execução: COHEN. Co – Companhia de Dança 3ª Sessão: 19h Espetáculo:  Lydio Gênero: Dança Contemporânea. Classificação: Livre Duração: 50min Execução: COHEN. Co – Companhia de Dança   Dias 26, 27 e 28 de Maio. 1ª Sessão: 15:00h   Espetáculo:  SurpresA Gênero: Teatro / Dança  Classificação: Livre. Duração: 50min Encenação: COHEN.Cia – Companhia de Teatro    2ª Sessão: 17:00h        Espetáculo:  AKEDAH Gênero: Mimica e Pantomima. Classificação: Livre Duração: 120min Encenação: COHEN. Cia – Companhia de Teatro.   3ª Sessão: 20:00h        Espetáculo:  AKEDAH Gênero: Mimica e Pantomima. Classificação: Livre Duração: 120min Execução: COHEN. Cia – Companhia de Teatro.   INGRESSO POPULAR Inteira: R$20,00 Meia: R$10,00   Compre seu ingresso: Dias 26 ,27 e 28 /05. Clique aqui!    Compre seu ingresso: Dias 19 e 21/05. Clique aqui!    Obs: Todos os espetáculos no horário das 15h são gratuitos para alunos da rede pública de ensino. [+] saiba mais Semana Mundial do Brincar - Arte e Educação 28/05 Arte e Educação   O Movimento BrincaCidade traz a Semana Mundial do Brincar para a Cidade das Artes.   Abrimos espaços para o brincar livre, com fim em si mesmo: Um brincar que inclui elementos não estruturados, mais próximo da natureza e que respeita a cultura da infância. Convidamos vocês para entrarem nesse ritmo com a gente, traga sua canga seus quitutes e venha participar de mais um piquenique colaborativo na praça!   Dia 28 de maio, das 11h00 às 15h00 – Na praça!    Local: Jardins da Cidade das Artes (o evento acontece mesmo com chuva). Atividade livre e gratuita. [+] saiba mais Atividade de Arte e Educação - Exposição Utopia Lírica | Vicente de Mello 27/05 Arte e Educação A atividade será uma visita guiada com o Vicente a sua exposição "Utopia Lírica" sobre o recorte fotográfico de Brasília. Após a visita o público será convidado a fotografar a Cidade das Artes com o olhar embasado na troca e conceito apresentado pelo Vicente. Cada participante deverá usar o seu próprio smartphone. Após os registros, cada participante escolhe sua foto favorita e a defende apresentando-a na televisão da Sala de Leitura. Essas imagens podem ser compartilhadas no Facebook da Cidade das Artes como registro da atividade. 30 vagas para maiores de 12 anos Obs: O participante deve trazer um smartphone ou celular que possa fotografar Inscrições pelo telefone 3325-0448 ou pelo e-mail saladeleitura@cidadedasartes.org   Vicente de Mello concilia investigações sobre elementos específicos da fotografia com questionamentos de caráter intimista. Possui ensaios sobre o corpo humano, paisagens, objetos e ambientes privados, mas seu interesse está voltado, sobretudo, para a luz, o tempo e a ideia de fragmentação.   [+] saiba mais Os opostos se atraem... 27/05 Dança “Os Opostos se Atraem” é um espetáculo de dança cuja montagem surgiu de uma criação coletiva utilizando diversas técnicas de teatro, ballet clássico e hip hop. Feita por jovens do projeto “Vidançar” apaixonados por dança, que se divertem em cena, contagiando a plateia ao levar diversão e entretenimento aos espectadores. Baseada no cotidiano dos alunos do projeto “Vidançar”, o espetáculo de dança que retrata as mais diversas situações do dia a dia.   É um espetáculo cômico de estereótipos dos dançarinos, divertido e bem humorado; contagiante por natureza. A história retrata o cotidiano de uma escola de balé clássico que recebe alunos de dança de rua, que não tinham local para realizar os ensaios. No início percebemos uma rivalidade entre os grupos, mas no desenrolar da história, encontram semelhanças e afinidades, constatando que “Os Opostos se Atraem!”   ENTRADA GRATUITA. [+] saiba mais Enfim, Sexta! 07/04 a 26/05 Música "Enfim, Sexta!" Toda sexta-feira uma apresentação gratuita pra você! Venha curtir o melhor da música brasileira. O projeto contará com a presença de artistas renomados da música brasileira, que se apresentarão todas as sextas-feiras ao longo do ano, a partir das 18h. O público poderá desfrutar de uma programação totalmente gratuita na Praça da Cidade das Artes, com grandes nomes da música. O projeto inicia na primeira sexta-feira do mês de abril. Inicialmente serão duas atrações a cada sexta, sendo uma atração principal e a segunda a definir.   Confira a programação já confirmada:   26/05 - Marcelinho Moreira, Tempero Carioca e Gabby Moura.       [+] saiba mais Nádia Figueiredo & Plácido, Juntos pelo Brasil 25/05 Música NÁDIA FIGUEIREDO & PLÁCIDO, ‘JUNTOS’, PELO BRASIL SOPRANO E BARÍTONO INICIAM A TURNÊ EM MAIO De um encontro mágico nas redes sociais, em 2014, às gravações de uma música e um videoclipe. Isso só podia render bons frutos e foi o que aconteceu. ‘Juntos’ é a turnê, no Brasil, que inicia no final de maio e vem para coroar a parceria entre o soprano brasileira, Nádia Figueiredo, e o barítono mexicano, Plácido, filho do famoso tenor, Plácido Domingo. A estreia será no dia 25, no Rio de Janeiro, no complexo cultural Cidade das Artes, onde vão receber como convidado especial, o renomado artista João Donato. Depois, eles se apresentam nos teatros Guaíra, em Curitiba (26/05); J. Safra, em São Paulo (01 e 02/06); Palácio das Artes, de Belo Horizonte (03/06); Castro Alves, em Salvador (10/06); Cine Teatro São Luiz, em Fortaleza (11/06); Santa Isabel, em Recife (15 e 16/06); Trianon, em Campos dos Goitacazes - RJ (22/06), entre outros locais ainda a confirmar. Acompanhados pelos músicos João Carlos de Assis Brasil (piano), Antón Caballo (violino), Alexandre Ito (contrabaixo) e Ary Dias (percussão), os artistas prometem emocionar com um repertório conhecido do grande público, com american standards, clássicos Italianos, franceses e um pouco de música brasileira. Além dos números solo de cada um, em ‘Juntos’, Nádia Figueiredo e Plácido farão dueto em seis canções: “The way you look tonight” (letra de Dorothy Fields e música de Jerome Kern), que foi a música escolhida por eles para gravar um clipe, lançado no ano passado, assista ao vídeo, além de “Garota de Ipanema” (Antônio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes), “Manhã de Carnaval” (Luiz Bonfá e Antônio Maria), “La vie en Rose” (letra de Édith Piaf e música de Louis Gugliemi), “Sous le ciel de Paris” (Hubert Giraud e Jean Drejac) e “Parla Più Piano” (letra de Larry Kusi e música de Nino Rota). “Já se passaram três anos desde a gravação do nosso primeiro dueto. Eu sempre tive o imenso desejo de cantar com o Plácido no Brasil. É um sonho que está se realizando e sou muito grata por ele ter confiado e acreditado em mim. Espero que todos gostem do que estamos preparando para essa turnê”, diz Nádia, que fez a sua primeira parceria com o barítono, em 2015, na gravação de “Lacrime D'inchiostro”, no estilo pop com vozes líricas. O primeiro encontro da dupla aconteceu no ano passado, quando Plácido esteve pela primeira vez no Brasil. Ele convidou o soprano para prestigiar a apresentação do seu pai no “Amazônia Live”, projeto socioambiental do “Rock in Rio”. “Me sinto muito feliz e com uma imensa alegria de visitar o Brasil novamente. Eu tive o prazer de colaborar com a Nádia em duas gravações e foi lindo o resultado. Agradeço a ela de todo coração pela confiança em mim e por ter me escolhido como parceiro profissional para uma maravilhosa turnê em seu país. Será uma experiência única e inesquecível”, comenta Plácido, que, além de cantor, também é compositor e produtor.   Artistas: Nádia Figueiredo – Mineira de Belo Horizonte, Nádia começou a cantar, aos 10 anos de idade e se dedica ao seu maior projeto, o "Ópera Lounge Music", onde faz uma homenagem a diversas culturas, países, povos e tradições. No repertório, canções interpretadas em latim, francês, hebraico, esperanto, inglês, russo, alemão, espanhol, hindi e italiano. Neste mês de maio, fará participações em quatro shows da turnê “Europa 2017", do cantor Daniel. Em Portugal, ela estará nos dias 01, no Porto, no Coliseu, 03, no Cassino de Figueira da Foz, e 04, no Coliseu de Lisboa, e 07, no Indigo at The 2, na cidade de Londres, na Inglaterra. Cada vez mais, tem conquistado seguidores fazendo com que os seus projetos se tornem uma espécie de tratado musical internacional, dando voz e levando mensagens de amor e união com a sua "nova música". Em 2013, participou de uma cena da novela “Amor à Vida”, da TV Globo, onde cantou uma aria da ópera “Paride ed Elena”, chamada “O del mio doce ardor”, de Christoph Willibald Von Gluck. Também gravou uma canção do premiado maestro e pianista americano, Joel Spiegelman, que regeu para o ex-presidente da Rússia, Michael Gorbachov. A suaexpressiva voz ecoa pelo mundo e atrai o interesse de grandes mestres da música erudita mundial, como Plácido Domingo. O soprano também é comendadora. Recebeu a Medalha maestro Carlos Gomes, no ano passado, e vai receber, ainda nesse mês de abril, a Medalha de Cinquentenário das Forças Internacionais de Paz da ONU. Plácido – Natural da Cidade do México, o barítono se apaixonou pela música desde cedo. Já compôs músicas para grandes artistas, como o próprio pai, Plácido Domingo, Sarah Brightman, Luciano Pavarotti, Diana Ross, Tony Bennett, entre outros. Em 2010, Plácido fez a sua estreia como cantor, em parceria com o premiado produtor e ganhador do Grammy, Juan Cristobal Losad, no EP “Songs for Christmas / Canciones de Navidad”. Em 2016, apresentou o show "Plácido na Alma", diante de 65 mil pessoas, no Estádio Santiago Bernabeu, em Madrid, na Espanha, onde na cidade de Zamora, no mesmo ano, dividiu o palco com Montse e Cecilia, filhas do famoso casal de soprano Montserrat Caballe e Teresa Berganza. [+] saiba mais Duo Santoro – Lançamento do CD 21/05 Música Duo Santoro lança seu segundo CD  na Cidade das Artes, domingo, 21 de maio. Com participações especiais de Cristina Braga (harpa), José Staneck (harmônica) e Ana Letícia Barros (pandeiro), "Paisagens Cariocas" reúne obras da MPB e da música clássica para dois violoncelos escritas por compositores que se inspiraram no Rio de Janeiro, como Tom Jobim, Ernesto Nazareth, Ronaldo Miranda, Ricardo Tacuchian e Sergio Roberto de Oliveira, que também assina a produção do CD. O Duo Santoro lança seu segundo CD, mais um documento representativo de suas quase três décadas de serviços prestados à música brasileira. A par de sua qualidade técnica e musical, o trabalho ininterrupto desses dois irmãos gêmeos, Ricardo e Paulo, representa uma contribuição inestimável para o escasso, quase inexistente, repertório brasileiro para essa formação antes do início de sua brilhante carreira em 1990. Atualmente esse repertório é enriquecido por dezenas de obras de compositores brasileiros, a eles dedicadas, algumas registradas no primeiro CD, outras reunidas neste segundo, além de transcrições do próprio Duo, elaboradas com perfeita adequação às sonoridades específicas do violoncelo. Outros CDs do excelente Duo Santoro, incansáveis na divulgação da música brasileira, certamente se seguirão com a continuidade desse trabalho benemérito e de excelência musical dessa rara formação instrumental. Edino Krieger PAISAGENS CARIOCAS por Arthur Dapieve Depois da ótima acolhida de crítica e público a Bem Brasileiro, o Duo Santoro resolveu ser ainda mais específico em termos geográficos no título deste seu segundo CD, Paisagens Cariocas. Se no trabalho lançado em 2013 cabiam peças para dois violoncelos escritas por brasileiros nascidos na Alemanha, na Argentina e na Polônia, “ser carioca” sempre foi uma cidadania afetiva. Portanto, nenhum dos doze compositores aqui presentes foi escolhido por ter nascido ou vivido no Rio e sim por refletir aspectos da cidade, de seus habitantes ou, até, da própria família Santoro. É assim que o CD se abre com a primeira de duas homenagens ao luthier Sandrino Santoro, italiano de nascimento, carioca por adoção, pai dos gêmeos Ricardo e Paulo Santoro, membros da Orquestra Sinfônica Brasileira. O contrabaixista Adriano Giffoni, natural de Quixadá, no Ceará, escreveu Sandrino no Choro para o seu instrumento – o mesmo de Sandrino – e um piano. A peça foi gravada pela primeira vez em disco próprio. Sua vocação popular, que evoca Noel Rosa, aqui tem um arranjo para dois violoncelos, feito pelo próprio Giffoni. Outro caso de carioquice honorária é o de Oswaldo Carvalho, violinista e autor da suíte que dá título ao CD, Paisagens Cariocas. Ele é natural de Goiânia e radicado no Rio. Ricardo e Paulo optaram por gravar três de seus quatro movimentos: Estação Candelária, Estação Arcos da Lapa e Estação Feira de São Cristóvão. Um lança mão de elementos modais e atonais para espelhar o caos de todo dia no centro da cidade, outro mistura lundu e jazz para falar da malandragem local, e o terceiro abraça o baião num quase moto perpétuo. A suíte é, ainda, a primeira das seis obras no CD dedicadas ao Duo Santoro. Num corte deliberado, há um clima espiritual no arranjo de Ricardo Medeiros para Dindi, de Tom Jobim, no qual os gêmeos contam com a participação da harpista Cristina Braga. É a ela que cabe abrir a faixa, criando uma espécie de névoa sonora da qual “emerge” a melodia, como o vento afastando a bruma do Cristo Redentor num inverno do Rio. O carioca Ronaldo Miranda contribui com outra peça dedicada ao Duo Santoro, Diálogos, de dois movimentos complementares, Preâmbulo e Desafio, um tenso, contrapontístico, o outro impetuoso, homofônico. O CD Paisagens Cariocas segue assim até o final: diluindo fronteiras entre o clássico e o popular, entre o universal e o local. Em arranjo de David Ganc, escuta-se Misturada, composição do cantor paraibano Geraldo Vandré e do percussionista catarinense Airto Moreira que faz pensar num épico nordestino, tal o vigor de suas arcadas e de seus pizzicati. Heitor Villa-Lobos, que tão bem escreveu para violoncelo, comparece com Melodia Sentimental, na qual o Duo Santoro recebe o gaitista José Staneck. O nome da peça diz quase tudo. Sentimental, sim, mas também grandeza nesse sentimentalismo, tão brasileiro, tão carioca, como o próprio Villa. Outro compositor nascido no Rio, Sergio Roberto de Oliveira, produtor do CD, oferta já a partir do título uma música em três movimentos ao Duo Santoro, Aos Santos Oro. As preces do compositor buscavam forças para superar um momento difícil, inclusive em termos de saúde. Logo, Fughetta, Oração e Júbilo apelam tanto às conexões divinas de Bach quanto à euforia sensual do frevo para a obtenção de uma cura completa. É interessante como a obra se articula com um “standard” da música carioca, no qual os irmãos se fazem acompanhar pelo pandeiro de Ana Letícia Barros: o tango brasileiro Brejeiro, de Ernesto Nazareth. A naturalidade tem sequência em Pedro e Marcela, peça de Dimitri Cervo, gaúcho de Santa Maria, uma cinematográfica cantiga de ninar que leva os nomes dos filhos dos irmãos Santoro. Ou em Mosaicos II, de Ricardo Tacuchian, parte de um ciclo inspirado nas artes visuais e escrito para diversas formações. Composto originalmente para dois violinos, o trabalho especula sobre a relação entre parte e todo em passagens sombrias e contrastantes. Vem, então, outro “standard” carioca, o choro Brasileirinho, de Waldir Azevedo, que de novo conta com Ana Letícia no pandeiro. Para um encerramento simétrico, Paisagens Cariocas tem outra homenagem ao pai dos irmãos Santoro, A Bênção, Sandrino, escrita por Leandro Braga, natural de São José dos Campos, estado de São Paulo. A obra possui uma espinha bonachona que se abre, aqui e ali, para episódios mais introspectivos. De certa forma, essa mesma alternância vale para o conjunto do CD: há muita alegria de tocar e bocados de reflexão musical. [+] saiba mais Cintia Barreto Cidade dos Contos | Oficina de Literatura Infantil e Juvenil 25/04 a 16/05 Arte e Educação O projeto “Cidade dos Contos” é uma parceria da cidade das Artes com a “Belazarte Realizações Artísticas” e apresenta na sala de leitura da Cidade das Artes, umaprogramação de apresentações literárias, palestras, oficinas de formação e aprimoramento de contadores de histórias, professores, agentes de leitura e amantes da palavra, escrita e falada.  Oficina de Literatura Infantil e Juvenil Panorama histórico da Literatura Infantil Brasileira. Fábulas, Contos de Fadas e Poesia: tradição e contemporaneidade. Aspectos da Literatura para Crianças. Principais temas, autores e ilustradores. A Lei 11.645/08: sugestões de livros de temáticas africanas e indígenas. Elaboração de plano de aula com livros infanto-juvenis. Confecção de livros artesanais.   Inscrições: saladeleitura@cidadedasartes.org ou 3325-0448  Exclusivo para professores, bibliotecários e agentes de leitura. ​50% de desconto para professores da rede municipal.  Mínimo de 8 pessoas para a realização do curso.  Capacidade: 30 vagas [+] saiba mais As Quatro Estações Portenhas | Johann Sebastian Rio | Domenico Nordio 13/05 Música Orquestra Johann Sebastian Rio e o premiado violinista italiano Domenico Nordio homenageiam Astor Piazzolla com uma noite portenha na Cidade das Artes - 13 de maio, sábado   A Orquestra Johann Sebastian Rio traz novamente ao Brasil o violinista italiano Domenico Nordio como solista convidado do concerto que acontece no dia 13 de maio, sábado, na Cidade das Artes. Eles apresentam As Quatro Estações Portenhas (1965-1970), do compositor argentino Astor Piazzolla (1921-1992) - originalmente criada para violino, guitarra elétrica, piano, baixo e bandoneón.   A obra é dividida em quatro: Verão Portenho (1964), Outono Portenho (1969), Primavera Portenha e Inverno Portenho (1970). A peça não foi criada a princípio como uma suíte em quatro movimentos, mas é apontada frequentemente como um contraponto moderno da célebre As Quatro Estações, de Vivaldi.  O termo ‘portenho’ refere-se à cidade de Buenos Aires, na qual Piazzolla se estabeleceu a maior parte da vida e absorveu suas principais referências musicas ligadas ao tango e ao clássico - que mesclou aos elementos de jazz trazidos do tempo em que viveu em Nova York.   "Escolhemos Piazzolla porque é um grande compositor que transita entre o clássico e o popular e essa característica também é uma marca registrada da Johann. Teremos novamente o prazer em receber um dos melhores violinistas da atualidade, o Domenico Nordio. Ele esteve aqui no ano passado e gravou com a gente o vídeo A Primavera Portenha, que está no nosso canal no YouTube. Agora o público terá a oportunidade de ouvir As Quatro Estações Portenhas na íntegra, em um local com uma das melhores acústicas da América Latina, a Sala de Música de Câmara da Cidade das Artes," comenta o violinista, maestro e diretor artístico da orquestra Felipe Prazeres.   O concerto integra o projeto de temporada da Johann Sebastian Rio patrocinado pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e empresa Rio Galeão, através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.   [+] saiba mais Aulão de Afro Zuumba 13/05 Dança Dançar é uma forma de comunicar-se com o mundo, expressar sentimentos e exercitar-se. Afro Zuumba trabalha o interior e o exterior. Em comemoração ao Dia das Mães a Cidade das Artes em parceria com African Pride Company apresenta Aulão de  Afro Zuumba.  Fácil acesso através do Terminal Alvorada com fartura de ônibus e BRT para toda cidade do Rio.   Professor Yemi – African Pride Company Prof Yemi, do African Pride é nigeriano e tem trabalho com afro-zuumba há 3 anos na cidade do Rio. Com vasta experiência em exercícios aeróbicos, ritmos afro, hip hop, ritmos afro latinos como salsa e merengue. Também é diretor dança profissional, diretor de arte e produtor de eventos. Para ele a dança é o elixir da vida, capaz de curar fisicamente e emocionalmente as pessoas, proporcionando bem estar para todas as idades.   Professor Luís Fernando – Life, fun, dance É coreógrafo e carrega uma filosofia de vida: Life, fun, dance: Vida, diversão e dança. Essas três palavras permeiam todas as ações do professor de dança. Luiz começou na dança desde pequeno, época que imitava seu ídolo Michael Jackson. Nos dias de hoje, o dançarino diz que tenta fazer igual ao finado astro: “Ser diferente e criativo com sua alegria – a dança – se preocupando em mudar e marcar positivamente a vida das pessoas. Maitrê de ballet, fez sua carreira como coreógrafo em uma emissora no Rio e teve diversas experiências internacionais disseminando a dança pó Ottawa, Toronto e Montreal, no Canadá. Dirigiu por 3 anos um espetáculo brasileiro em Milão na Itália. Atualmente possui um estúdio de dança na Zona Oeste do Rio, cujo a marinha é Viviane Araújo e o céu o limite.   Instrutora Jacqueline Felix Brasileira, natural do Rio de Janeiro é graduanda em educação física e realizou cursos da área de dança. Atua como professora do ensino fundamental. Apaixonada pela arte de se movimentar através da dança, é instrutora licenciada pela ZUMBA ®  nos módulo básico 1, tornando-se Zin. Faz formação para professora de dança solta em formação.   Instrutor Nil Silva Nil é brasileiro, natural do Rio de Janeiro. Formado em Educação Física pela UNISUAM, pós graduado Em Ed. Física Escolar pela UNISUAM e em Educação Física adaptada para pessoas com necessidades especiais pela GAMA & SOUZA. Atuou como bailarino na abertura dos Jogos PAN e ParaPAN 2007 realizados na cidade do Rio De Janeiro. Licenciado pela ZUMBA ® Desde 2014. Capacitado aos módulos ZUMBA ® básico 1, Acquazumba ®e African Ritmics Wolds by ZUMBA ®. Nil tem dado aulas zumba em toda cidade do Rio.   Instrutor Tião Barros É graduado em Educação física pela Universidade  Estácio de Sá e graduado em dança pela UFRJ. Com pós graduação em pedagogia pela UFRJ e mestre em Ciências da Saúde pelo Centro Educacional Plinio Leite com o tema sobre envelhecimento e socialbilidade. Atuou como Bailarino na Abertura dos Jogos PAN e ParaPAN 2007 realizados na Cidade do Rio de Janeiro, foi bailarino intérprete da Companhia Folclórica da UFRJ e professor substituto pela UFRJ, no curso de dança nas disciplinas fisiologia do exercício e cinesiologia. Possui licença pela ZUMBA® nos módulo: ZUMBA ® básico 1, basico 2; ACQUAZUMBA ®; ZUMBA STEP® 1 e 2; ZUMBA PRÓ SKILS ®; ZUMBA KIDS ®; ZUMBA GOLD ®; ZUMBA SENTAO ®.   Instrutora Débora Albernaz Brasileira, do Rio de Janeiro, Debora é formada em direito, pedagogia, psicopedagogia, psicanálise, TCC - Terapia Cognitivo Comportamental, educação física e dança solta. Atua como membro do Corpo Artístico Universidade Gama Filho, dançarina de danças de salão em cursos como Jaime Aroxa, Carlinhos de Jesus, instructor Zumba – Zin nos módulos básicos I e II e professora do ensino fundamental I.   [+] saiba mais Contação de histórias e oficina para o Dia das Mães com o Atelierê 13/05 Arte e Educação Na véspera do Dia das Mães o Atelierê irá realizar uma divertida contação de histórias: “Como surgiram as bonecas Abayomys”. As crianças também poderão confeccionar uma boneca e aprenderão a produzir jóais feitas de materiais reaproveitados para presentear as mamães. O Atelierê é um projeto itinerante que tem como força motriz a criatividade e vivencias de mulheres interessadas e comprometidas em proporcionar experiências brincantes que valorizem o desenvolvimento infantil. Convide os amigos e venha participar. 30 vagas para crianças Inscrições pelo telefone 3325-0448 ou pelo e-mail saladeleitura@cidadedasartes.org [+] saiba mais Movimento Brincacidade | A Criança e o Direito a Cidade 06/05 Arte e Educação O Movimento Brincacidade convida a todos para compartilharem um grande PicNic na praça da Cidade das Artes. É dia de celebrarmos e contemplarmos a Cultura da Infância. Ofereceremos a nossa tradicional Roda de Conversa com o Tema: A Criança e o Direito a Cidade. As crianças estarão em um espaço lindo com todas as possibilidades de se expressarem. Venha e traga seus deliciosos quitutes para compartilharmos.   Local: Jardim da Cidade das Artes (caso chova, a atividade será realizada em área coberta) Maiores informações pelo telefone 3325-0448 ou pelo e-mail saladeleitura@cidadedasartes.org     [+] saiba mais Jorginho de Carvalho | Oficina de Iluminação Compartilhada | “A Construção de uma Iluminação Cênica” 18/04 a 03/05 Outros Realização: AIA - Atelier de Iluminação e Associados  "O Iluminador Jorginho de Carvalho irá compartilhar seu processo de criação da Iluminação cênica do novo espetáculo "Cão Sem Plumas", da Cia. de Dança Deborah Colker com os integrantes da oficina. Esta Oficina tem como público alvo todas aquelas pessoas que se identificam ou atuam com as linguagens das artes cênicas. Nosso foco será direcionado para o acompanhamento de um processo criativo de construção de uma Iluminação Cênica profissional." Os participantes terão a oportunidade de acompanhar a criação da Iluminação Cênica do novo espetáculo da Cia. De Dança Deborah Colker, "Cão sem Plumas".     O espetáculo é baseado na obra do autor pernambucano João Cabral de Melo Neto e é a 11ª criação do Iluminador Jorginho de Carvalho junto à Companhia.     Será proposta uma imersão no universo da  Iluminação Cênica, desde os primeiros ensaios à efetiva criação e execução do plano de luz na Grande Sala da Cidade das Artes.   [+] saiba mais