Fundação Cidade das Artes

Destaques da Programação

1 1 1 1

Dança

16/07 e 17/07

A Cidade das Artes recebe a premiada companhia de Butô SANKAI JUKU com o espetáculo MEGURI   MEGURI                                                            Mar exuberante,Terra tranquila A palavra MEGURI é representada em caracteres chineses (pictográficos) como 回 e sua pronúncia é  MEGURU   Na forma de verbo, refere-se a fenômenos como água em movimento circular e também tudo o que gira...

Música

06/06

PROGRAMA   JOHANN SEBASTIAN BACH   Suite n°1 para violoncelo solo Suite n°3 para violoncelo solo   Intervalo   Suite n°6 para violoncelo solo   JEAN-GUIHEN QUEYRAS - Técnica e sensibilidade  A precisão e a sensibilidade são as mais enaltecidas qualidades do violoncelista Jean-Guihen Queyras Jean-Guihen Queyras goza de uma reputação invejável como um músico de versatilidade e integridade excepcionais...

Música

11/05

Olli Mustonen, regência e piano   OLLI MUSTONEN (1967) Concerto Triplo (17’) DMITRI SHOSTAKOVICH (1906-1975) Concerto para Piano Nº1 em Dó menor, Op 35 (21’) ------- TOMASO ALBINONI (1671-1751) Concerto para Oboé em Ré menor, Op...

Teatro

07/05 e 08/05

O espetáculo infantil explora bullyng na escola, causado pelo inseto mais temido na infância     O infantil é uma obra originária da esquete de mesmo nome criada em 2013 e que faturou três prêmios na Mostra Infantil do 3º Festival de Teatro Universitário do Rio de Janeiro (Festu) e indicado a 4 categorias no 9º prêmio de teatro infantil Zilka Sallaberry...

Eventos Recentes

1 Patrícia Piolho 07/05 a 08/05 Teatro O espetáculo infantil explora bullyng na escola, causado pelo inseto mais temido na infância.    O infantil é uma obra originária da esquete de mesmo nome criada em 2013 e que faturou três prêmios na Mostra Infantil do 3º Festival de Teatro Universitário do Rio de Janeiro (Festu) e indicado a 4 categorias no 9º prêmio de teatro infantil Zilka Sallaberry. O espetáculo já esteve em cartaz nos Teatros Maria Clara Machado e Imperator – Centro Cultural João Nogueira, nos meses de abril e maio realizou o circuito SESI onde esteve por 7 cidades no Estado do Rio de Janeiro. No final de 2015 realizou temporada nos teatros Miguel Falabella e Gláucio Gill.   A peça narra o drama de uma menina do interior que chega à cidade grande e busca aceitação na turma do novo colégio. Logo no primeiro dia de aula, em meio a esse desafio, ela conhece o inseto mais temido na infância, o piolho, motivo de bullyng, mas que, para sua surpresa, acaba sendo seu melhor amigo.   Premiações - De autoria das atrizes Luiza Yabrudi e Karina Ramil, “Patrícia Piolho” faturou os prêmios de Melhor Esquete, Melhor Texto e Melhor Atriz, concedidos por um júri de profissionais como a atriz Sura Berditchevsky; a diretora e atriz Débora Lamm; a autora Renata Mizrahi; e a crítica Lucia Cerrone. Essas premiações serviram de incentivo para a transformação da esquete no infantil de 60 minutos que estreou em setembro de 2014 no Teatro Maria Clara Machado, na Gávea, onde ficou em cartaz por quase dois meses. Em 2015 o espetáculo concorreu a prêmio nas categorias Melhor Texto, Melhor Direção e Melhores atrizes ao Prêmio Zilka Sallaberry de Teatro Infantil 2015, que tem apoio cultural do Instituto Oi Futuro, e faturou o prêmio de Melhor Atriz com Karina Ramil, que faz o personagem do piolho no espetáculo.     FICHA TÉCNICA Elenco - Com direção de Morena Cattoni, o elenco é formado por Julia Stockler (no ar com a série “Só Garotas”, do Multishow); Felipe Haiut (de Malhação e no elenco de “A Porta da Frente”, que levou o Melhor Texto do Prêmio Shell 2014); Darília Oliveira (atriz e cenógrafa da novela “Meu Pedacinho de Chão”); Sabrine Wolfart (que fez “Rain Man”, de José Wilker); Vivian Renolli (de “O Inspetor Geral”, de Isaac Bernat); e Eduardo Speroni, de “Peça Ruim”.   Credito Fotos: Paula Mello [+] saiba mais esmeralda OSB - Série Esmeralda I 08/05 Música Lee Mills, regência   Leonardo Hilsdorf, piano   ERIK SATIE La Belle Excentrique CAMILLE SAINT-SAËNS Concerto para piano e orquestra nº 2 em sol maior,Op.22 LUDWIG VAN BEETHOVEN Concerto para piano e orquestra nº 4 em sol maior,Op.58     [+] saiba mais 1 Royal Northern Sinfonia 11/05 Música Olli Mustonen, regência e piano   OLLI MUSTONEN (1967) Concerto Triplo (17’) DMITRI SHOSTAKOVICH (1906-1975) Concerto para Piano Nº1 em Dó menor, Op. 35 (21’) ------- TOMASO ALBINONI (1671-1751) Concerto para Oboé em Ré menor, Op. 9 No. 2 (11’) FELIX MENDELSSOHN-BARTHOLDY (1809-1847) Sinfonia Nº4 em Lá Menor, Op. 90 “Italiana” (27’)     A Royal Northern Sinfonia, sediada no centro de música Sage Gateshead, é considerada a principal orquestra profissional do Nordeste da Inglaterraonde obteve o prestigiado título “Royal”.   Desde sua formação, em 1958, a Royal é reconhecida  como uma orquestra criativa e versátil. É a única orquestra no Reino Unido a ter seu próprio edifício construído com o propósito de acolher todos os seus ensaios, concertos e gravações, com uma acústica, classificada por Lorin Maazel, como “entre as cinco melhores salas de concerto do mundo”.   A Royal Northern Sinfonia conta com um rol de artistas renomados globalmente com os quais compartilha um repertório diversificado de música orquestral. Nos anos recentes, essas parcerias incluíram Sir Mark Elder, Pierre Laurent-Aimard, Yannick Nézet-Séguin e Ian Bostridge, assim como vocalistas populares como Sting, The Pet Shop Boys e Efterklang. A orquestra também contribui para a contínua reinvenção do repertório orquestral com encomendas regulares de novas obras e premières, mais recentemente, de Banedict Mason e David Lang, John Casken e Kathryn Tickell.   Aberta em sua abordagem e abrangente em seu alcance, a Royal Northern Sinfonia atinge  não só as  comunidade em seu entorno, mas diversos países ao redor do mundo; participa de residências em festivais de Aldenburgh à Hong Kong.  De volta a Sage Gateshead, a Royal Northern Sinfonia  trabalha com adultos de todas as idades e jovens, através do programa Young Musicians e do projeto In Harmony, que a exemplo do “El Sistema” venezuelano, promove uma excepcional oportunidade de aprendizagem de instrumentos.   Desde Setembro de 2015, Lars Vogt é Diretor Musical da Royal Northern Sinfonia. Lars Vogt é um artista cuja virtude e compromisso em comunicar os mais profundos valores da música orquestral não têm limites. Ele segue os passos do premiado Regente, Thomas Zehetmair, cuja permanência de 12 anos na orquestra impactou profundamente seu estilo que segue sua máxima de sempre se apresentar “como se a tinta ainda estivesse fresca no papel”.   Olli Mustonen   Olli Mustonen desenvolve três atividades simultâneas: é compositor, pianista e regente. Trabalha frequentemente com as maiores orquestras do mundo e, nesta temporada, tem concertos frente à Munich Philharmonic, a Netherlands Philharmonic e a Finnish Radio Symphony Orchestra, com a qual ele interpreta todos os Concertos para Piano de Prokofiev.   Nascido em Helsinki, Mustonen começou seus estudos de piano, cravo e composição aos 5 anos de idade. Foi aluno de Ralf Gothoni e, posteriormente, estudou piano com Eero Heinonen e composição com Einojuhani Rautavaara.   Como solista, Mustonen trabalhou com as principais orquestras do mundo, incluindo a Berlin Philharmonic, Munich Philharmonic, Chicago Symphony, Cleveland Orchestra, New York Philharmonich e o Royal Concertgebouw, atuando sob o camando de regentes como Ashkenazy, Barenboim, Blomstedt, Boulez, Chung, Dutoit, Eschenbach, Harnoncourt, Masur, Nagano, Oramo, Salonen e Saraste. Recentemente apresentou-se nos ciclos completos dos Concertos para Piano de Bartok com a BBC Scottish Symphony Orchestra, em concertos com a BBC Symphony e a Royal Stockholm Philharmonic Orchestras, ecom  Orchestre de Paris sob a batuta de Paavo Järvi. Mustonen já tocou com a Hungarian National Philharmonic, sob regência de Zoltán Kocsis, e foi convidado para ser solista no Concerto de Gala e Cerimônia de Encerramento do Winter International Arts Festival em Sochi, tocando com a Moscow Soloists Chamber Orchestra, sob regência de Yuri Bashmet.   Como pianista de recitais, Mustonen toca em todas as capitais do mundo, como por exemplo o Chopin Institute Warsaw, Diaghilev Festival Perm, Mariinsky Theatre St. Petersburg, Wigmore Hall, Tampere Hall, Flagey Brussels, Beethoven-Haus Bonn, festivais de piano de Dresden e Ruhr, Symphony Center de Chicago, New York Zankel Hall e Sydney Opera House. Nesta temporada, Olli fará uma longa turnê de recitais pela Suécia, e retorna à Sala Verdi, em Milão.   A vida de Mustonen como compositor está no centro tanto de suas performances como pianista quanto como regente. Mustonen tem uma crença profunda de que cada performance deve ser tão fresca quanto a primeira, para que a plateia e o músico encontrem o compositor como um contemporâneo vivo. Nessa linha, ele remonta ao dictum famoso de Mahler, segundo o qual a tradição pode ser preguiçosa, mas ao mesmo tempo ele suspeita igualmente das performances que buscam apenas ser diferentes. Esse espírito tenaz de descobertas o leva a explorar muitas áreas de repertório além do canon estabelecido.   BAIXE O APP CIDADE DAS ARTES E PARTICIPE DAS SUPERPROMOS EXCLUSIVAS! [+] saiba mais 1 CineArtes - Exibição do filme "Cidade Cinza" 08/05 a 11/05 Cinema O filme traz como protagonistas os principais grafiteiros brasileiros: Os Gêmeos (Otávio e Gustavo), Nina, Zefix, Finok, Ise e Nunca. O pano de fundo é a história do mural de 700 metros feito pelos artistas na Avenida 23 de Maio e apagado por "equívoco" pela prefeitura de São Paulo logo após a sua finalização, e que depois, em uma crise de arrependimento forçada pela mídia, pediu para que os artistas o refizessesm. [+] saiba mais 1 Oficina "Alguns Personagens" 12/05 Arte e Educação A Escola Pedra da Gávea apresenta a oficina "Alguns Personagens" com a artista plástica Renata Gam, no dia 12 de maio, para a Cidade das Artes.    Fruto da parceria entre as duas instituições, a oficina será voltada para mães e seus filhos de até 5 anos. Eles entrarão no universo lúdico da artista produzindo arte com caixinhas, potes ou latinhas recicladas - de fósforo, de balas, de margarina, biscoito, etc.   Renata Gam trabalha o desenho lúdico em tecidos, sucatas, vidros e quadros. São corações, passarinhos, natureza, letras e bonecas traduzidas em muitas cores e traçados leves capazes de conquistar um olhar sorridente.   [+] saiba mais 1 CineArtes - Exibição do filme "Exit Through the Gift Shop" 15/05 Cinema O documentário faz uma crítica ao mercado das artes ao mostrar a ascensão meteórica do artista de rua francês, Mr. Brainwash, que usa a sua amizade e seus contatos (com Banksy, Invader etc.) para ser reconhecido no mundo da arte contemporânea. Mesmo sem ter trabalhos marcantes, ele comprova que o círculo de amigos pode ser mais importante neste ramo do que o talento. [+] saiba mais 1 CineArtes - Exibição do filme "A Batalha do Passinho" 22/05 Cinema Surgido nas favelas cariocas, o passinho, explodiu em 2008 e desde então vem mudando a cara da periferia do Rio de Janeiro. Uma nova forma de dançar o funk, o Passinho é a manifestação cultural carioca mais importante dos últimos 10 anos.O documentário “A Batalha do Passinho”, dirigido por Emilio Domingos, acompanha de perto esse fenômeno e mostra de dentro do movimento a evolução dessa cultura.   Logo após exibição do filme, haverá o bate-papo com o diretor Emílio Domingos.     Emílio Domingos   Cineasta e cientista social, formado pela UFRJ, atua no mercado como diretor, pesquisador, roteirista e assistente de direção, com foco principal em documentários. Desde 1997 trabalha com Antropologia Visual, principalmente na área de cultura urbana, pesquisando temas como funk, samba e hip-hop. Como diretor, realizou 9 curtas e 2 longas-metragens. Sua estréia na direção de longas-metragens, o documentário L.A.P.A (2008), ganhou o prêmio de melhor filme no Festival Câmera Mundo, em Roterdã, Holanda. Entrou em cartaz nos cinemas em 2009. Em 2012, lançou seu segundo longa, “A Batalha do Passinho”, que foi vencedor da Mostra Novos Rumos no Festival do Rio. No mesmo ano criou a Osmose Filmes com Julia Mariano.   Além da produção documental, também dirigiu clipes de artistas como BNegão e Lucas Santtana e trabalhou no cinema como pesquisador, roteirista e assistente de direção com diretores como João Salles, Breno Silveira, Lula Buarque de Hollanda, Andrucha Waddington, Carolina Jabor e Denise Garcia em filmes como: "Mistério do Samba"​, "Viva São João"​, "Pierre Verger"​ e "Sou Feia Mas Tô Na Moda"​. NA TV, foi pesquisador para o programa “Esquenta”. Também realizou pesquisa de repertório para os CDs “Tudo Azul” da Velha Guarda da Portela, e “Universo Ao Meu Redor” da cantora Marisa Monte, além de pesquisa de imagens para a vídeo instalação da mostra permanente sobre a história dos bailes black a ser inaugurada no novo MIS-RJ.    Além disso, é curador da Mostra Internacional do Filme Etnográfico desde 2007 e do Festival Visões Periféricas desde 2013.  Em 2014, Emílio recebeu da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, a Medalha Pedro Ernesto por serviços prestados à cidade.  Atualmente, finaliza seu novo longa, “Deixa na Régua”, sobre barbearias na periferia do Rio de Janeiro,  e concluiu o documentário "Toda A Cidade Vai Cantar" sobre novos artistas das favelas do Rio.     Ficha Técnica   A Batalha do Passinho Documentário - 2013 - 75 minutos. De: Emílio Domingos. Ficha Técnica Direção: Emílio Domingos Produção Emílio Domingos e Julia Mariano (Osmose Filmes) Montagem: Guilherme Schumann Roteiro: Emílio Domingos e Julia Mariano Fotografia: Daniel Neves e Paulo Castiglione Som: Julio Lobato   Produção: Osmose Filmes.  Produtores Associados: Apavoramento, Boca do Trombone e Maria Gorda Filmes. [+] saiba mais 1 Festival Rio H2K - Rio Cidade das Artes Urbanas 26/05 a 29/05 Dança MAIO | MÊS DA ARTE URBANA NA CIDADE DAS ARTES RIO CIDADE DAS ARTES URBANAS    Com aulas de dança, acampamento e espetáculos, o FESTIVAL INTERNACIONAL RIO H2K coloca de crianças a idosos para dançar no mês das Artes Urbanas na CIDADE DAS ARTES!   Festival traz dançarinos de Justin Bieber, Beyonce, Justin Timberlake, Anitta e Chris Brown para a cidade!   O Rio H2K, considerado um dos maiores festivais de danças urbanas do mundo, chega a sua 6˚ edição na Cidade das Artes a partir do dia 19 de Maio. Até o dia 29 de Maio, os mais importantes coreógrafos e companhias da dança urbana mundial desembarcam na cidade para participar de uma programação especial que inclui mais de 100 workshops, 12 espetáculos, 6 painéis e bate-papos, showcase, festas, e as famosas batalhas de dança, em uma grande disputa pela melhor posição no Rio H2K Battles.   Segundo os organizadores, o evento recebe um público variado de jovens que estudam dança, que apostam nesse mercado para se profissionalizar ou que querem simplesmente aprender a dançar para trocar experiências e fazer novos amigos.   "É uma mistura de sotaques com gente de todos os estados brasileiros, e uma mistura de línguas também, espanhol, inglês, francês, pessoas de todo o mundo… todos unidos pela dança urbana", explica Miguel Colker, que dirige o Festival junto com Bruno Bastos. “Agora, todas estas pessoas, também terão a oportunidade de ficarem no acampamento do festival, vivendo a dança 24 horas por dia” termina Miguel.   Durante o período do evento, a Cidade das Artes se tornará a Cidade da Dança! Os participantes poderão ocupar literalmente todos os espaços do local. A troca de energia será 24hs por dia, já que além das atividades na praça, salas e teatros o público poderá acampar no espaço e viver por completo uma experiência dançante e inesquecível! A programação dos workshops é extensa e reúne estilos para todos os gostos e tribos, e também, níveis para que todos possam dançar, desde iniciantes que nunca experimentaram nenhuma aula de dança, passando por intermediários amadores, até profissionais.    Os alunos profissionais ou iniciantes podem aprender desde o tradicional hip hop, house e stiletto, como conhecer e aprender novos estilos e tendências como Flexionamento, Charme, Passinho e uma preparação fitness específica para dançarinos, chamada Physical training.   O público geral pode esperar por aprender com os dançarinos dos astros pop internacional e nacional, como Sheryl Murakami, coreógrafa dos videoclipes "EGO", " Who Run The World" e "Dance For You" da cantora Beyoncé, e a bailarina e coreógrafa brasileira da cantora Anitta, Arielle Macedo, que coreografou sucessos como "Show das Poderosas", "Blá blá blá" e "Na batida". Além delas, os coreógrafos Lyle Beniga, dançarino do Justin Timberlake e Usher, Josh Williams, dançarino do Pharell e Jason Derulo, e Antoine Troupe, já coreografou para Prince e Chris Brown, também darão aulas super animadas no Festival.   Para as crianças não ficarem de fora, o evento tem uma colônia de férias chamada Rio H2Kids, para crianças de 4 a 11 anos, em parceria com a Recria, responsável pela colônia de férias do CMDC (Centro de Movimento Deborah Colker). No Rio H2Kids o objetivo é criar um ambiente lúdico de aprendizado e criação tendo como mola propulsora temas artísticos e estéticos oriundos da Danças Urbanas.    Para os que ao invés de dançar, preferem assistir, o festival possui uma programação de espetáculos imperdível! O Rio H2K receberá a premiada companhia francesa S´Poart, do coreógrafo Mickael Le Mer, com o espetáculo “Rouge” na Grande Sala da Cidade das Artes nos dias 26 e 27 de Maio. O festival também abre espaço para jovens companhias e talentos mostrarem seus espetáculos na “Mostra Novos Rumos”. Além disso, serão apresentados outros espetáculos nacionais e internacionais.   Outra grande novidade de 2016 será o novo projeto realizado pela organização do festival, o Rio H2K Battles. Um duelo de dança onde o grande campeão leva uma premiação em dinheiro, além de o título de melhor dançarino do seu estilo no ranking, tendo sido julgado pelos mais importantes dançarinos do mundo.    “Para fechar com chave de ouro o Festival teremos o Rio H2K Battles, prato cheio para quem deseja somente assistir as atrações, além de torcer um pouco. São batalhas de dança, em 6 estilos diferentes, com os 8 melhores dançarinos de cada um destes estilos. As finais de cada estilo sempre reservam momentos de muita emoção, além das incríveis apresentações dos jurados” explica Bruno Bastos.   Os competidores de diferentes países, participam das batalhas nas categorias: hip hop, popping, locking, house, passinho e breaking. As inscrições acontecem até o dia 27/05 e as seletivas acontecem no dia 28/05, na Cidade das Artes. O Rio H2K Battles promete emocionar o público com batalhas de tirar o folego e atrações musicais.   O Rio H2K, apresentado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura, é uma produção da Araucária Agencia Cultural. Conta com o patrocínio da Multiterminais, Affero Lab  e Rede Globo e co-patrocinio das empresas O Boticário, Beleza Natural, Mills Estruturas, Estácio e Grupo Libra. O Grand Mercure RJ Rio Centro é o hotel oficial. É co-realizado pela Fundação Cidade das Artes e tem apoio da GL Events, Delphos e Peixe Urbano – também responsável pela venda exclusiva do evento. Os interessados podem comprar o passaporte para todo o festival ou ingresso para cada dia. Também serão vendidas entradas separadas para quem quiser conferir somente o Rio H2K Battles. A programação completa, valores dos ingressos e outras informações do festival estão no site: www.rioh2k.com.br     PROGRAMAÇÃO      • Cie S’Poart – Espetáculo  ROUGE  (França)   Datas: 26/05 – 21h | 27/05 – 21h   Local: Grande Sala – Cidade das Artes   Ingressos: R$ 50,00 (inteira) | R$ 25,00 (meia) | R$ 20,00 (convite amigo/passaporte Rio H2K) https://www.ingressorapido.com.br/compras/?id=48364#!/tickets    Coreógrafo: Mickaël Le Mer  Com parceria do Ministério da Cultura da França e co-produção do Centro Nacional de Dança Contemporânea de Angers, o lema da peça Rouge é “Tudo é Vermelho”.  O  vermelho é onipotente, por causa dos estados do corpo, coreografia, emoção, o que é visto e sentido. A cor vermelha é visualmente obscurecida, não aparece nos elementos  cênicos nem em ternos ou nas luzes, mas é o estado global do show.     • Paradox-Sal – Espetáculo FIGHTING SPIRIT (França)   Data: 26/05 – 19h   Local: Teatro de Câmara – Cidade das Artes   Ingressos: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia) https://www.ingressorapido.com.br/compras/?id=48367#!/tickets   Coreógrafo: Ousmane « Babson » Sy No show Fighting Spirit, oito dançarinas se confinam dentro dos seus diferentes gestos (popping, locking, waacking, top rock…) com um desafio único: alcançar a liberdade   de um estilo. Nesse espaço de expressão, elas vão encontrar os movimentos a fim de interpretar o que elas são: mulheres nos seus corpos e nas suas forças, a onde a pregunta da feminilidade já não é colocada, mas encarnada.   • Mostra Novos Rumos Data: 28/05 – 21h Local: Teatro de Câmara – Cidade das Artes Ingressos: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia) https://www.ingressorapido.com.br/compras/?id=48368#!/tickets   Crütz – Espetáculo: Um samba de amor desfeito (Brasil/Rio de Janeiro) Coreógrafos: Ricardo Lima e Lucas Sauer Grupo carioca de danças urbanas criado em 2010. Em 2012 participou do Festival de Dança de Rio das Ostras ganhando o prêmio ‘’destaque da noite’’. No ano seguinte, esteve presente de diversas mostras como as do Rio H2K (Rio de Janeiro – RJ), Festival Internacional de Hip Hop (Curitiba – PR) além de participar do evento X-Tudo Cultural organizado pelo SESI como grupo convidado. Ainda em 2013 foi agraciado com o Prêmio Ana Botafogo de Dança, uma competição de videodança, com a coreografia ‘’O Sofá’’. Em 2014, continuou desenvolvendo seu trabalho com música brasileira em nova apresentação no Rio H2K, abrindo a noite de competições do Festival Internacional de Hip Hop como grupo convidado e saindo vencedor do Prêmio Novos Talentos Coreográficos, organizado pelo Sindicato de Dança do Rio de Janeiro. Já em 2015, volta aos palcos do Rio H2K como grupo convidado apresentando um trecho do espetáculo ‘’Uma Dancinha Pra Machucar Os Corações’’ com excelente resposta de crítica e público.   904 KM – Espetáculo: NO (Brasil/Rio de Janeiro) Coreógrafos: Bruno Duarte e Bárbara Lima Um espaço ocupado por dois indivíduos diferentemente semelhantes, cujo suas ideologias não se conectam. Corpos que se chocam e se deslocam, que se juntam e se separam, na busca de nunca se encontrarem, em uma conexão que nunca irá acontecer. Dois ambientes, um espaço. A busca pelo lugar mais alto. Um denominador comum visto e interpretado com olhares totalmente opostos.  A dificuldade de abrir mão do próprio ego, tornando difícil o simples ato de concordar com o próximo. Dizer "não" quando poderia ser dito "sim".   Cia Gente – Espetáculo: Do It! (Brasil/Rio de Janeiro) Coreógrafos: Paulo Emílio Azevedo e Jean Clei de Oliveira Direções, conflitos, orientações, caminhos e cores. As marcas, referenciais estéticos e polaridades de uma juventude, habitam o corpo do intérprete que tem no breaking sua principal fonte de vida; também o princípio ativo de sua desistência em ser artista. Investigando os elementos de constituição de sua performance, "Do It" expressa o caráter do "fazer"; do "fazer agora"; o agora mais uma vez é a própria juventude. A obra se apresentou dentro da Semana da Dança na cidade de Campo Grande/MS e no Festival de Hip Hop Arena Híbrida do Rio de Janeiro/RJ, ambos em 2014.     WORKSHOPS RIO H2K 2016   Data: 26/05 Valor: R$110,00 Aulas com: Praça Esplanada: Babson/Kapela, Toshiba e Sheryl Murakami Sala Start: Alefh Mendes, Arielle Macedo e André Rockmaster (House) Sala I: Ricardo Lima e Lucas Sauer, JP Black   Data: 27/05 Valor: R$140,00 Aulas com: Praça Esplanada: Lyle Beniga, Arthur Saaman, Josh Williams e Showcase Sala Start: Dream Team do Passinho, Arielle Macedo, Marcio Alves, Laure Coutelllemont e André Rockmaster (Hustle) Sala I: Luan San e Sheryl Murakami   Data: 28/05 Valor: R$140,00 Aulas com: Praça Esplanada: JP Black, Ricardo Lima e Lucas Sauer, Josh Williams, Mecnun Giasar e Lyle Beniga Sala Start: André Rockmaster (House), Toshiba, Bryan Tanaka, Jeff Antonio e Dream Team do Passinho Sala I: Kid Eyez, Antoine Troupe e Arthur Samaan   Data: 29/05 Valor: R$140,00 Aulas com: Praça Esplanada: Toshiba, Bryan Tanaka, Marcio Alves e Laure Coutellemont Sala Start: Dream Team do Passinho, Jeff Antonio, Alefh Mendes e André Rockmaster (Hustle) Sala I: Mecnun Giasar e Kid Eyez   Obs: Passaporte 1° lote: R$ 220 - Inclui todos os Workshops oferecidos na Praça Esplanada, Sala Start e Sala I durante os quatro dias de evento.      RIO H2K BATTLES: Data: 29/05 | 16h às 19h Local: Grande Sala – Cidade das Artes Ingressos: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia) https://www.ingressorapido.com.br/compras/?id=48967#!/tickets   O Rio H2K Battles são as grandes finais das nossas famosas batalhas de danças urbanas. Um duelo onde o grande campeão leva uma premiação em dinheiro, além de o título de melhor dançarino do seu estilo no ranking, tendo sido julgado pelos mais importantes dançarinos do mundo. Os competidores de diferentes países participam das batalhas nas categorias: hip hop, popping, locking, house, passinho e breaking. As inscrições acontecem até o dia 27/05 e as seletivas acontecem no dia 28/05. A grande final acontece no dia 29/05 na Grande Sala da Cidade das Artes.  O Rio H2K Battles promete emocionar o público com batalhas de tirar o folego e atrações musicais.         [+] saiba mais 1 Dorotéia | Rosamaria Murtinho e Letícia Spiller 07/05 a 29/05 Teatro DOROTÉIA, DE NELSON RODRIGUES   Rosamaria Murtinho e Letícia Spiller  juntas em cena, como a fera e a bela, na montagem de “Dorotéia”, texto de Nelson Rodrigues, com direção e encenação de Jorge Farjalla, em nova temporada aqui na Cidade das Artes. Rosamaria Murtinho interpreta Dona Flávia, uma mulher feia, frustrada e infeliz que faz de tudo para destruir a beleza da prima Dorotéia, ex- prostituta, uma pecadora incorrigível, porém arrependida, vivida por Letícia Spiller.   “Sempre interpreto mulheres ricas e sofisticadas. Queria uma personagem que me desconstruísse completamente, e pedi isso ao Farjalla”, revela Rosamaria, que idealizou o projeto junto com o diretor, dentro das comemorações de seus 60 anos de carreira.   Letícia Spiller se descobriu apaixonada por “Dorotéia”. “Logo que comecei a estudar teatro, o meu desejo era fazer essa peça”, lembra ela que, mais de 20 anos depois, enfim recebeu o convite do diretor Jorge Farjalla e de Rosamaria Murtinho para encená-la.   “Sou um privilegiado por trabalhar com duas gerações de grandes atrizes, com personagens de peso e no texto de Nelson. A energia que a Letícia tem é exatamente o que eu quero para a Dorotéia e Rosinha traz a visceralidade peculiar à Dona Flávia”, diz Farjalla.   Bate-papo com o diretor Jorge Farjalla na Sala de Leitura nos dias 14 e 21/05, às 18h30.   SINOPSE   DOROTÉIA, ex-prostituta que largou a profissão depois da morte do filho, vai morar na casa de suas primas, três viúvas puritanas e feias que não dormem para não sonhar, portanto condenadas a desumanização e a negação do corpo, dos sentimentos e da sexualidade. DOROTÉIA linda e amorosa, nega o destino e entrega-se aos prazeres sexuais. Este é seu crime, e por ele pagará com a vida do filho buscando a sua remissão. Na história desta família de mulheres, o drama se inicia com o pecado da avó, que amou um homem e casou-se com outro. É neste momento que recai sobre todas as gerações de mulheres da família a “maldição do amor”: estarão todas condenadas a ter um defeito de visão que as impede de ver qualquer homem, casarem-se com um homem invisível e sofrer da náusea nupcial – único sinal de contato que teriam em toda vida com este marido invisível. DOROTÉIA, em troca de abrigo, aceita se tornar tão feia e puritana como as primas.       Ficha Técnica   Direção e encenação | Jorge Farjalla Ass. Direção | Diogo Pasquim e Raphaela Tafuri Elenco | Rosamaria Murtinho, Leticia Spiller, Alexia Dechamps, Dida Camero, Jaqueline Farias e Anna Machado Homens Jarro | André Américo, Daniel Martins, Du Machado, Fernando Gajo, Pablo Vares e Rafael Kalil Direção musical | João Paulo Mendonça Trilha original | João Paulo Mendonça, Leila Pinheiro, Fernando Gajo e Rafael Kalil Produção musical | André Américo, Daniel Martins, Du machado, Fernando Gajo, Pablo Vares e Rafael Kalil Direção de arte e espaço cênico | José Dias Figurinos | Lulu Areal Maquiagem e visagismo | Anderson Calixto Fotografia | Carol Beiriz Preparação vocal | Patrícia Maia Iluminação | Patrícia Ferraz, Jorge Farjalla e José Dias Assessoria de imprensa | Debs Comunicação Produção executiva | Sandra Valverde Coordenação de produção | Lu Klein     [+] saiba mais 1 Jean-Guihen Queyras 06/06 Música PROGRAMA   JOHANN SEBASTIAN BACH   Suite n°1 para violoncelo solo Suite n°3 para violoncelo solo   Intervalo   Suite n°6 para violoncelo solo   JEAN-GUIHEN QUEYRAS - Técnica e sensibilidade  A precisão e a sensibilidade são as mais enaltecidas qualidades do violoncelista Jean-Guihen Queyras. Jean-Guihen Queyras goza de uma reputação invejável como um músico de versatilidade e integridade excepcionais. Seus horizontes musicais são aparentemente sem limites e ele está presente no cenário musical, tanto como solista com orquestras e maestros internacionais, como músico de câmara e artista solo. Ele já se apresentou com grandes orquestras do mundo, incluindo a Philharmonia, Orchestre de Paris, NHK Symphony, Tokyo Symphony, a Filarmónica de Roterdam, Tonhalle de Zurique, Leipzig Gewandhaus, Budapest Festival Orchestra, Orchestre de la Suisse-Romande e Holanda Philharmonic sob a batuta de maestros como Franz Brüggen, Günther Herbig, Ivan Fischer, Philippe Herreweghe, Yannick Nézet-Séguin, Jiri Belohlavek, Olivier Knussen e Sir Roger Norrington.    Jean-Guihen fez a sua estreia no Carnegie Hall, em Nova York, com o Concerto Köln, em Março de 2004. Jean-Guihen é um expoente entusiasta da música contemporânea e está empenhado em expandir os limites de repertório do seu instrumento.  Ele estreou o concerto de Michael Jarrel, bem como concerto de Johannes-Maria Staud, que estreou na Berlin Konzerthaus e o Musikverein Wien em 2010 e, posteriormente, realizado no Festival de Salzburgo.   Jean-Guihen fez várias gravações de sucesso, a exemplo das Suites solo de Bach em 2008, pelo qual recebeu o reconhecimento imediato, premiado com o Diapason d'Or e CD do Ano em Diapason, CHOC du Monde de la Musique, além das nomeações como Solista do Ano no Victoires de la Musique e artista do Ano dos leitores de Diapason em 2009, quando lançou mais três gravações; um CD Debussy-Poulenc com o pianista Alexandre Tharaud, Cello Concertos do século 21 e, mais recentemente, Vivaldi Cello Concerti com Akademie für Alte Musik Berlin. CDs anteriores incluem de Schubert 'Arpeggione' ao lado de obras de Berg e Webern, Concerto para Violoncelo de Dvorák com a Filarmônica de Praga sob a batuta de Jiri Belohlavek. Jean-Guihen toca um violoncelo feito por Gioffredo Cappa em 1696.     BAIXE O APP CIDADE DAS ARTES E PARTICIPE DAS SUPERPROMOS EXCLUSIVAS! [+] saiba mais 1 Inusitado | Villa Lobos Ontem e Hoje 07/06 a 08/06 Música INUSITADO | VILLA LOBOS ONTEM E HOJE   Mais uma vez à frente da curadoria, André Midani reforça o caráter de experimentação do Inusitado, cujo objetivo é deixar os artistas completamente livres para executar suas ideias. “A liberdade criativa e rebelde de cada artista deve ser incentivada. Se ele quiser pintar em vez de cantar, que pinte como um pintor. Ou então, que cante e faça, no transcurso de duas noites, o que ele sempre quis fazer e nunca fez, seja um número de circo, de magia ou um recital de poesia”, comemora Midani, que criou o formato após receber um convite de Emilio Kalil, presidente da Fundação Cidade das Artes, para desenvolver um projeto especialmente para o espaço cultural da Barra   VILLA LOBOS ONTEM E HOJE   Dado Villa Lobos (guitarra) ao lado de Cristina Braga (harpa) que toca um dos instrumentos preferidos de Heitor, eles desafiam, a pedido de André Midani, o melhor do tempo e dos dois mundos, o do clássico e o do rock.                                      Composições e músicas gravadas por Dado; prelúdios, bachianas e canções de Heitor. O que é ontem, o que é hoje? Quem toca o quê? Uma harpa, instrumento milenário, entra no rock, e uma guitarra tange com suas cordas elétricas sons eruditos. Isto é Inusitado. Acompanhados ora de quarteto de cordas, ora do contrabaixo de Ricardo Medeiros e da bateria de Joca Moraes, o espetáculo conta ainda com a participação de um jovem de 16 anos Miguel Braga, que personifica o jovem Heitor Villa Lobos, com um cello nas mãos.                             [+] saiba mais 1 Sankai Juku | Meguri 16/07 a 17/07 Dança A Cidade das Artes recebe a premiada companhia de Butô SANKAI JUKU com o espetáculo MEGURI   MEGURI                                                            Mar exuberante,Terra tranquila A palavra MEGURI é representada em caracteres chineses (pictográficos) como 回 e sua pronúncia é  MEGURU.  Na forma de verbo, refere-se a fenômenos como água em movimento circular e também tudo o que gira. MEGURI, é, portanto, um termo usado para tudo o que se move ou circula seguindo uma ordem ou um sistema pré-descrito, como a passagem do tempo, o ciclo das quatro estações e as transições que já ocorreram na terra.   Sequência   I.       Um clamor à distância II.      Transformação do fundo do mar III.     Duas superfícies IV.     Premonição – Quietude—Tremores V.      Floresta de Fósseis VI.     Entrelaçamentos VII.   Retorno   SANKAI JUKU sob a direção de USHIO AMAGATSU   SANKAI JUKU foi criada em 1975 sob a direção de Ushio Amagatsu, que pertence à segunda geração de dançarinos de Butô.  Os fundadores desta forma de dança foram  Hijikata e Kazuo Ono. O Butô transcendeu as reações da geração “pós-Hiroshima” no Japão na década de 1960, e lançou a base para uma abordagem radical da dança japonesa contemporânea.   Na visão de Amagatsu, o Butô não é simplesmente uma nova técnica, ou um estilo acadêmico, mas concentra-se na articulação da linguagem corporal a fim de encontrar, no íntimo de cada ser humano, a universalidade serena, mesmo que possa estar, por vezes, ligada a crueldade ou brutalidade.  Porém, a percepção pode variar de um indivíduo para outro.  A busca pessoal de Amagastu baseia-se em “Diálogo com a gravidade” - um livro publicado em 2001 pela Actes Sud Edition.   Antes de praticar Butô, Amatagsu  treinava na “Escola de Dança Clássica e Moderna” em Tóquio.  Em 1975,   Iniciou uma série de oficinas para encontrar dançarinos para sua recém-criada companhia.  Do grupo de 30 - do sexo masculino e feminino - no início, apenas 3 rapazes ficaram até o final de um ano do projeto.  Sankai Juku era então conhecida como uma companhia formada apenas por homens.  Sankai Juku significa, literalmente “oficina da montanha e do mar”, em referência aos dois elementos básicos da topografia japonesa.   Já em 1975, Sankai Juku começou a se apresentar no Japão em pequenos teatros de vanguarda.  A maior montagem do grupo foi KINKAN SHONEN, em 1978. A peça revelou a nova direção artística de Amagatsu, que conferiu ao Butô uma imagem mais clara e mais transparente, assim como também mais telúrica.     A força de cada expressão individual, em cada movimento e em cada emoção íntima, alimenta-se  das origens do mundo para representar uma percepção apaixonada da vida, da morte e da universalidade.   Em 1980, SANKAI JUKU recebeu o primeiro convite para a Europa – para o Festival de Nancy.  A partir de então, radicado em Tóquio, o grupo tem realizado tournées pela Europa, América do Sul, Austrália, Ásia e pelos Estados Unidos.   Fora do âmbito de sua companhia,  AMAGATSU criou uma peça intitulada “Fifth” (O quinto) com cinco dançarinos ocidentais, em 1988.  Encenou, também, a criação mundial da ópera “Trois Soeurs” (Três irmãs), de Peter Eotvos, na Ópera de Lyon(1988), no Théâtre du Chatelet, em Paris,  no Théatre de la Monnaie em Bruxelas, e no Wiener Festwochen em Viena.  Apresentou, ainda, a mais recente montagem de “Lady Sarashina”, também de Peter Eotvos, na Ópera de Lyon e na Opéra Comique de Paris. Amagatsu coreografou uma peça solo para o dançarino indiano Shantala Shivalingappa.     Prêmios    Chevalier des Arts et Lettres - França Président du jury des Rencontres Internationales de Bagnolet - França. Prix du Ministère des Affaires Etrangères du Japon - Japão. Prix du Syndicat National de la Critique pour « Trois Sœurs » - França Prix de l’Association des critiques du Japon - Japão Laurence Olivier Award: meilleure production chorégraphique « Hibiki » - Reino Unido. Président du Jury du Toyota Choreography Award - Japão Art Encouragement Prize du Ministère de la Culture et Education du Japon - Japão Grand Prix of the 6th Asahi Performing Arts Awards - Japão Prix du Syndicat National de la Critique en France pour « Lady Sarashina » - França Commandeur des Arts et Lettres - França   BAIXE O APP CIDADE DAS ARTES E PARTICIPE DAS SUPERPROMOS EXCLUSIVAS! [+] saiba mais