Fundação Cidade das Artes

Destaques da Programação

1 rio orquestra peter brook trio 1

Música

05/05 e 06/05

Concebido com o objetivo de proporcionar a artistas renomados, de áreas distintas, novas possibilidades de experimentação criativa, o projeto Inusitado inaugura em abril, na Cidade das Artes, a sua terceira edição A programação desta temporada, que acontece sempre nas primeiras terças e quartas de cada mês, até outubro, traz espetáculos inéditos – e não convencionais – de  Alcione, Zélia Duncan, Anitta, Kassin, Lenine, Hamilton de Holanda e Cacá Diegues...

Música

25/04 a 29/04

Dentro das comemorações dos 450 anos da fundação do Rio de Janeiro, a Cidade das Artes apresenta, de 25 a 29 de abril, um evento dedicado exclusivamente à música instrumental Realizado em parceria com o British Council – e paralelamente à 2ª Conferência Internacional MultiOrquestra, cuja proposta é discutir as oportunidades e a interação com o entorno, dentre os principais desafios do setor em âmbito mundial...

Teatro

30/04 e 01/05

O que nos teria levado de volta a The Suit  – uma peça que já tinha viajado pelo mundo por tantos anos com texto em francês? A resposta é bem simples: nada no teatro permanece imóvel; alguns temas simplesmente se esgotam e outros anseiam por voltar à vida Tudo começou na África do Sul, nos anos 50, quando um brilhante autor negro, Can Themba, escreveu um conto intitulado The Suit (O Terno)...

Música

23/04 a 26/04

O AZERBAIJÃO Poucos países no mundo são tão intrigantes quanto o Azerbaijão, conhecido como Terra do Fogo Sendo um dos berços da civilização humana, o Azerbaijão fica no cruzamento entre Ocidente e Oriente no coração da Eurásia...

Teatro

29/05 a 31/05

O Théâtre de la Ville de Paris traz pela primeira vez ao Brasil duas montagens de obras de Eugène Ionesco - o mestre do Teatro do Absurdo -, profusamente elogiadas na Europa e nos Estados Unidos Ambas têm a assinatura do diretor Emmanuel Demarcy-Mota, desde 2008 à frente do palco parisiense, um dos mais conceituados do mundo ocidental...

Eventos Recentes

1 Caçadas de Pedrinho com Fátima Café 18/04 Arte e Educação Para apresentar “Caçadas de Pedrinho”, Fátima Café conjuga as possibilidades interpretativas do teatro de animação com a arte milenar dos contadores de histórias, buscando apoio nas histórias de Monteiro Lobato. Utilizando títeres com diferentes técnicas de manipulação o espetáculo é apresentado de forma descontraída estimulando a participação da platéia. [+] saiba mais 1 Show do Quarteto Pedro Amorim de Choro 18/04 Arte e Educação Apresentação em homenagem ao Dia Nacional do Choro que é comemorado no dia 23 de abril em razão do nascimento de Pixinguinha.     Distribuição de senhas uma hora antes na bilheteria. [+] saiba mais 1 Show “Rodinha de Música” 25/04 Arte e Educação Show "Rodinha de Música" com o grupo Brincando de Papel O grupo Brincando de Papel apresenta um show para bebês com cantigas infantis (“O sapo não lava o pé’’, “Fui no tororó’’, ”Marcha soldado” “Pintinho amarelinho“, “Borboletinha“, “O pato”, etc.) onde as crianças e bebês participam ativamente com instrumentos musicais de brinquedo e interagem com fantoches, papel colorido, bolinhas de sabão etc. Vagas limitadas a 40 crianças. Inscrições pelo telefone 3325-0448 [+] saiba mais 1 Sarau do POVEB e lançamento do livro ProtoPoemas de Aluizio Resende 25/04 Arte e Educação O grupo de poetas do POVEB (Poesia Você Está na Barra) convida para um divertido sarau e para o lançamento do novo livro do poeta Aluizio Resende. [+] saiba mais trio FESTIVAL DO AZERBAIJÃO 23/04 a 26/04 Música O AZERBAIJÃO Poucos países no mundo são tão intrigantes quanto o Azerbaijão, conhecido como Terra do Fogo. Sendo um dos berços da civilização humana, o Azerbaijão fica no cruzamento entre Ocidente e Oriente no coração da Eurásia. Uma terra de contrastes com montanhas altas, terras vulcânicas, cânions, planícies, vales e litorais, o país possui uma geologia única com depósitos de gás natural que ao longo dos séculos criaram fissuras onde o fogo surge espontaneamente. Essa magia fez com que o Azerbaijão se tornasse num local de nascimento do Zoroastrismo. Depois da chegada de São Eliseu no século I A.C., o país se tornou um centro do Cristianismo na região. A expansão árabe no século VII trouxe o Islã, que se tornou a religião dominante no país. Esta diversidade contribui muito para a grande variedade da arte e da dança, da música clássica, da gastronomia local, etc. Tudo isto, aliado a uma das capitais mais lindas do mundo, Baku.   O FESTIVAL DO AZERBAIJÃO A gastronomia, a dança, o cinema, a fotografia, a música sinfônica e a música tradicional, executada em instrumentos originais, proporcionarão para os cariocas experiências inéditas com esta civilização milenar.    O Festival  do Azerbaijão é uma realização do Ministério da Cultura e do Turismo do Azerbaijão, da Embaixada do Azerbaijão no Brasil e da Cidade das Artes, em homenagem aos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro, apresentando pela primeira vez a cultura azerbaijanesa no Brasil. [+] saiba mais rio orquestra RIO ORQUESTRA 25/04 a 29/04 Música Dentro das comemorações dos 450 anos da fundação do Rio de Janeiro, a Cidade das Artes apresenta, de 25 a 29 de abril, um evento dedicado exclusivamente à música instrumental. Realizado em parceria com o British Council – e paralelamente à 2ª Conferência Internacional MultiOrquestra, cuja proposta é discutir as oportunidades e a interação com o entorno, dentre os principais desafios do setor em âmbito mundial. O tema desta edição da conferência é “A Orquestra e a Cidade”.   A primeira edição do RIO ORQUESTRA traz  uma série de concertos que incluem desde renomadas orquestras, conjuntos instrumentais formados por jovens universitários e de organizações sociais.    PROGRAMAÇÃO   CONCERTOS ESPECIAIS | ABERTURA E GRATUITOS   Sábado, dia 25 - Teatro de Câmara, 20h30 Concerto de abertura para os participantes da Conferência - Scottish Ensemble,diretor artístico Jonnathan Morton   Quarta-feira, dia 29 - Sala 1, 14h Orquestra Maré do Amanhã   Quarta-feira, dia 29 - Sala 1, 14h45 Orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro - Grupo de Cordas,regente Juliano Dutra    CONCERTOS ESPECIAIS | INGRESSOS A  R$ 1,00    Domingo, dia 26 - Grande Sala, 11h Orquestra Sinfônica da UFRJ e Coro, regente André Cardoso   Domingo, dia 26, Teatro de Câmara,16h30 Academia Juvenil da Orquestra Petrobras Sinfônica, regente Felipe Prazeres   Segunda-feira, dia 27, Teatro de Câmara, 18h30  Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo   Terça-feira, dia 28, Grande Sala, 20h30 Orquestra Filarmônica de MG, regente Marcos Arakaki   Quarta-feira, dia 29, Sala 1, 14h45 Orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro   CONCERTO ESPECIAL DA SÉRIE ESMERALDA OSB |  VALOR DE INGRESSO DA SÉRIE ESMERALDA    Domingo, 26, Grande Sala, 18h Orquestra Sinfônica Brasileira, regente Yalchin  Adigezalov   INGRESSOS   Ingressos a partir de R$1 na bilheteria da Cidade das Artes nos dias dos concertos.  Concertos gratuitos - distribuição de senhas,uma hora e meia antes de cada concerto: Orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro - Grupo de Cordas e Orquestra Maré do Amanhã Orquestra Sinfônica Brasileira - Série Esmeralda - ingressos pela ingresso rápido         [+] saiba mais peter brook PETER BROOK | THE SUIT 30/04 a 01/05 Teatro O que nos teria levado de volta a The Suit  – uma peça que já tinha viajado pelo mundo por tantos anos com texto em francês? A resposta é bem simples: nada no teatro permanece imóvel; alguns temas simplesmente se esgotam e outros anseiam por voltar à vida. Tudo começou na África do Sul, nos anos 50, quando um brilhante autor negro, Can Themba, escreveu um conto intitulado The Suit (O Terno). «Isto mudará nossa vida e nos trará fortuna», disse ele à esposa, mas o destino decidiu de outro modo. O apartheid decidiu de outro modo. Assim como aconteceu com todos os autores negros, vivos ou mortos, os livros de Can Themba foram banidos e ele exilou-se na Suazilândia, onde logo morreu de pobreza, tristeza e alcoolismo. Só muitos anos depois é que foi possível transformar em peça de teatro o texto de Can Themba. A primeira versão surgiu em Joanesburgo, no Market Theatre, versão que foi para Londres e, mais tarde, transformou-se numa nova adaptação com título em francês: Le Costume. Para o trio de Uma Flauta Mágica reunir-se novamente para apresentar The Suit na língua de origem (inglês) foi um processo bem natural, permeado de músicas de diversas fontes, de Schubert a Miriam Makeba, executadas e cantadas por um pequeno grupo de atores e músicos. Assim teve início uma nova aventura. Esperava-se que o conto The Suit do escritor sul-africano Can Themba mudasse a vida de sua esposa. Tragicamente, as restrições impostas pelo apartheid fizeram com que essas mudanças tomassem um rumo inesperado. Themba precisou exilar-se na Suazilândia, suas obras foram proibidas na África do Sul e ele morreu de alcoolismo antes que seu texto mais conhecido fosse adaptado para o teatro por Mothobi Mutloatse e Barney Simon, no Johannesburg’s Market Theatre, na recém-liberada África do Sul dos anos 1990. O renomado diretor Peter Brook já adaptara essa versão teatral e viajara com ela em turnê. O espetáculo era então falado em francês. Agora, porém, decidiu ele dar nova vida à obra fazendo-a retornar à língua de origem. Num trabalho conjunto com a colaboradora de longa data Marie-Hélène Estienne e o compositor Franck Krawczyk, a peça foi adaptada e musicada, bebendo em fontes musicais tão diversas quanto Franz Schubert e Miriam Makeba. A história de The Suit centra-se em Philomen, um advogado de classe média, e sua mulher Matilda. O terno mencionado no título pertence ao amante de Matilda e é deixado para trás quando Philemon apanha em flagrante o casal clandestino. Para castigar a mulher, Philemon faz Matilda tratar o terno como se este fosse um convidado de honra. Ela precisa alimentá-lo, dar-lhe atenção e sair frequentemente com ele a passeio, a fim de que tivesse a constante lembrança de seu adultério. A história transcorre em Sophiatown, um populoso reduto destruído pelo apartheid pouco depois de Themba ter escrito seu conto. O lugar é tão personagem da peça quanto o infeliz casal, e, com um elenco diminuto, a direção consegue infundir vida e energia a esta nova adaptação teatral.   [+] saiba mais 1 INUSITADO | ZÉLIA DUNCAN 05/05 a 06/05 Música Concebido com o objetivo de proporcionar a artistas renomados, de áreas distintas, novas possibilidades de experimentação criativa, o projeto Inusitado inaugura em abril, na Cidade das Artes, a sua terceira edição. A programação desta temporada, que acontece sempre nas primeiras terças e quartas de cada mês, até outubro, traz espetáculos inéditos – e não convencionais – de  Alcione, Zélia Duncan, Anitta, Kassin, Lenine, Hamilton de Holanda e Cacá Diegues. O idealizador e curador da série, André Midani – um dos nomes mais importantes da indústria fonográfica brasileira nos últimos 60 anos –, responde pela seleção do elenco, mas deixa a cargo dos artistas a escolha e elaboração do que será apresentado. “Os artistas têm carta branca para pensar e executar quaisquer ideias que venham à cabeça, com a condição de que estas estejam fora dos padrões normais de suas trajetórias. É uma oportunidade para saírem da zona de conforto e emprestarem frescor ao processo criativo”, explica Midani.   Zélia Duncan homenageia Milton Nascimento Nos dias 5 e 6 de maio será a vez de Zélia Duncan subir ao palco do Teatro de Câmara, com um show baseado inteiramente na obra de Milton Nascimento, em formato de recital.   A sequência do projeto contará com apresentações (cujo teor será anunciado mais adiante) de Kassin (23 e 24 de junho); Anitta (7 e 8 de julho); Lenine (4 de 5 de agosto); Hamilton de Holanda (1 e 2 de setembro) e Cacá Diegues (6 e 7 de outubro).   Nas edições anteriores, a série promoveu espetáculos idealizados por músicos, cineastas e atores, como Arnaldo Antunes, Andrucha Waddington, Blitz, Elza Soares, Erasmo Carlos, Fernanda Montenegro, Frejat, Lenine, Paula Toller e Ney Matogrosso. As performances incluíram uma mistura de samba com música eletrônica proposta por Elza Soares; um recital de poesia em que Arnaldo Antunes explorou de maneira singular as possibilidades fonéticas da língua portuguesa; e o encontro de Fernanda Montenegro com a Velha Guarda da Mangueira, no qual a atriz declamava letras emblemáticas do lendário grupo para introduzir as canções que seriam executadas em seguida.    Os ingressos estão à venda no site da Ingresso Rápido e você também pode  adquirir entradas para os sete shows de estreia de uma vez só, por meio do sistema de assinaturas  www.ingressorapido.com.br          [+] saiba mais PROJETO INTERLOCUÇÕES | "HAMLET E O FANTASMA DO PAI" 08/05 Arte e Educação "HAMLET E O FANTASMA DO PAI" leitura psicanalítica da obra Hamlet de Shakespeare com enfoque às nuances da relação pai-filho e seus efeitos particulares. Palestrante: ADELINA LIMA FREITAS, psicanalista, professora da graduação de psicologia e pós-graduação em Teoria Psicanalítica da UVA. [+] saiba mais 1 IONESCO | SUITE 30/05 a 31/05 Teatro O Théâtre de la Ville de Paris traz pela primeira vez ao Brasil duas montagens de obras de Eugene Ionesco - o mestre do Teatro do Absurdo -, profusamente elogiadas na Europa e nos Estados Unidos. Ambas têm a assinatura do diretor Emmanuel Demarcy-Mota, desde 2008 à frente do palco parisiense, um dos mais conceituados do mundo ocidental.   Nascida de um processo de pesquisa e exercício de Emmanuel Demarcy–Mota com seus atores, a Suite Ionesco resulta de um trabalho coletivo que costura cenas de diversas obras do dramaturgo. “Pensei num formato em que os atores estivessem em contato muito próximo com o público”, descreve o diretor. “Escolhemos alguns temas - convenções sociais, o medo da existência, medo de expressar-se, de não ser ouvido e entendido pelos outros”.   Em 2015, completam-se dez anos do ínicio desse trabalho, “que continua evoluindo”. São excertos de diversas obras da primeira fase de Ionesco, nos anos 1950, “período de reconstrução e esperança, mas ainda povoado pela dor do conflito e onde o entusiasmo ideológico estava congelado pela guerra fria”. Os trechos foram combinados e remisturados debaixo de situações de família, de casais, da vida escolar. É como um teatro burlesco que escapa doconvencional final feliz exigido pelo público burguês.   Os sete atores, de diversas procedências e diferentes gerações, apresentam os trechos de Jacques ou la soumission, Délire à Deux, La Cantatrice Chauve (A Cantora Careca), Exercices de Conversation et de Diction Françaises pour les Étudients Américains e La Leçon. São trechos que retratam as dores da construção, de destruição e da reconstrução do grupo e do indivíduo. “Não é somente um olhar político, porque é divertido demais; não é uma simples brincadeira, porque é real demais. É um momento de puro teatro, louco e profundamente impactante”, define o encenador. [+] saiba mais 1 IONESCO | RINOCERONTE 29/05 a 31/05 Teatro O Théâtre de la Ville de Paris traz pela primeira vez ao Brasil duas montagens de obras de Eugène Ionesco - o mestre do Teatro do Absurdo -, profusamente elogiadas na Europa e nos Estados Unidos. Ambas têm a assinatura do diretor Emmanuel Demarcy-Mota, desde 2008 à frente do palco parisiense, um dos mais conceituados do mundo ocidental.   Rinoceronte e Ionesco Suite   Rinoceronte clássico que estreou em 1960, acompanha em tom de farsa trágica a estranha transmutação dos habitantes de uma pequena cidade em paquidermes, testemunhada por um único morador - um alcoólatra - que permanece na forma humana.   A encenação em FRANCÊS tem legendas em PORTUGUÊS.   [+] saiba mais